UNICEF realiza encontro para formação de monitores dos Espaços da Criança em Roraima

02 Outubro 2018
Pessoas que participaram da capacitação em Roraima com colete do UNICEF
UNICEF/BRZ/Inaê Brandão

Boa Vista, 2 de outubro de 2018 – O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) promoveu no sábado 29 de setembro o primeiro encontro de formação com monitores dos Espaços da Criança de Boa Vista e Pacaraima, em Roraima. As ONGs Visão Mundial e Fraternidade – Federação Humanitária Internacional são parceiras do UNICEF na implementação dos Espaços.

O objetivo da oficina foi formar e informar monitores e novos voluntários sobre a importância dos espaços para crianças e adolescentes que vivem em um contexto de emergência e conectar esses parceiros à rede de proteção local. Além disso, eles receberam orientações sobre os direitos garantidos pelas leis brasileiras para essa população e noções de primeiros socorros e prevenção de acidentes.

Os monitores que já atuam nos seis espaços amigáveis instalados em Roraima puderam compartilhar as dificuldades e as vitórias conquistadas nos quatro meses de trabalho. Relatos sobre crianças que já respondem às atividades com mudanças de comportamento foram compartilhados, mas problemas de violação de direitos, como casos de exploração de crianças para a mendicância, ainda ocorrem.

É nesse contexto, sensível e complexo, que entra a atuação dos Espaços da Criança, explica o consultor do UNICEF nas áreas de proteção e educação José Vasquéz. Os espaços são locais seguros, adaptados às necessidades de crianças e adolescentes, onde eles podem realizar atividades, brincar, se comunicar e aprender novas habilidades. Por meio das atividades recreativas, os espaços têm como finalidade promover a recuperação emocional e identificar casos de violação de direitos.

“Se há um espaço protetor, é mais difícil que ocorram violações porque vai haver pessoas atentas”, explica José. Durante a capacitação, os colaboradores foram orientados sobre como identificar os sinais dados pelas crianças e pelos adolescentes que indicam que algo não vai bem – como a falta de apetite e comportamentos violentos – e os impactos psicossociais causados pela imigração que podem atrapalhar o desenvolvimento dos pequenos venezuelanos.

Mas, além de ensinar a identificar, o UNICEF se preocupou com o próximo passo: é preciso saber como ajudar e onde buscar essa ajuda, no qual a capacitação realizada ficou focada. A consultora do UNICEF na área de proteção Jaqueline Ferreira explica que “é importante que o Espaço da Criança seja visto, por todos os que convivem no abrigo, não apenas como um local que promove atividades, mas como uma referência de segurança e proteção para crianças”.

Para isso, parte da palestra foi dedicada a explicar para os monitores sobre as leis brasileiras que tratam dos direitos da criança e do adolescente e quais órgãos fazem parte da rede de proteção, como postos de saúde, conselhos tutelares, Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas) e Centro de Referência de Assistência Social (Cras). “A ideia é que os monitores se sintam fortes e empoderados para trocar com essa rede local, para agir se for necessário. A gente espera que não seja, mas às vezes é e eles precisam estar preparados. Eles precisam ser esse ponto de apoio dentro dos abrigos”, reforçou Jaqueline.

Said Guaramata, de 19 anos, foi um dos 35 participantes da capacitação. Ele, que é da cidade de Puerto La Cruz e está em Roraima há sete meses, atua há dois como monitor no abrigo Nova Canaã. “Uma das coisas novas que aprendi hoje é que temos que entender as crianças, conversar, consolar e, mais que tudo, dar amor. Tudo o que aprendemos me deu mais energia pra trabalhar”.

Essa foi a primeira de uma série de capacitações que serão realizadas com o grupo sobre temas específicos, como proteção, saúde e educação. Além de os monitores que já atuavam nos espaços, José Vasquéz explica que a atividade serviu para treinar novos colaboradores. O objetivo do UNICEF é colocar um Espaço da Criança em cada refúgio onde vivem meninas e meninos. Norys Menezes, de 48 anos, é uma dessas novas colaboradoras. Moradora do abrigo Rondon 1, é lá que ela vai atuar quando o espaço for inaugurado.

“Sou professora e trabalhei a vida toda com educação de crianças em El Tigre [no estado Anzoátegui]. Achei a oficina muito interessante e participativa porque foram compartilhadas experiências. Achei que aprender sobre as leis brasileiras e sobre a finalidade do trabalho que vamos fazer foi muito importante. Foi muito produtivo e estou ansiosa para começar”, conta a professora.

Espaços da Criança
Os Espaços da Criança ou Espaços Amigos da Criança (em inglês chamados de Child Friendly Spaces) fazem parte da resposta do UNICEF na área de proteção à emergência em Roraima. Eles começaram a ser instalados no Estado em maio e atendem desde então uma média diária de 50 crianças por dia. Atualmente, seis espaços funcionam no Estado, sendo quatro em abrigos para imigrantes venezuelanos e dois nos Centros de Triagem mantidos em Boa Vista e Pacaraima pela Força Tarefa Humanitária das Forças Armadas.

Contatos para a imprensa

Elisa Meirelles Reis

Oficial de Comunicação

UNICEF Brasil

Telefone: (61) 3035 1979

Telefone: (61) 98166 1649

Brenda Hada

Oficial de Comunicação

UNICEF Brasil

Telefone: 61 3035 1973

Sobre o UNICEF
O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) trabalha em alguns dos lugares mais difíceis do planeta, para alcançar as crianças mais desfavorecidas do mundo. Em 190 países e territórios, o UNICEF trabalha para cada criança, em todos os lugares, para construir um mundo melhor para todos.

Acompanhe nossas ações no FacebookTwitterInstagramYouTube e LinkedIn.

Você também pode ajudar o UNICEF em suas ações. Faça uma doação agora.