Sobre o UNICEF

Criado pela Organização das Nações Unidas em 1946, o UNICEF promove os direitos e o bem-estar de crianças e adolescentes em 190 países e territórios. Está presente no Brasil desde 1950.

Funcionária do UNICEF ergue bebê no colo
UNICEF/BRZ/Raoni Libório

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) recebeu da Assembleia Geral da ONU o mandato de defender e proteger os direitos de crianças e adolescentes, ajudar a atender suas necessidades básicas e criar oportunidades para que alcancem seu pleno potencial. O UNICEF é guiado pela Convenção sobre os Direitos da Criança e é o principal defensor global de meninas e meninos.

O UNICEF foi criado no dia 11 de dezembro de 1946, por decisão unânime da Assembleia Geral da ONU, para fornecer assistência emergencial a milhões de crianças no período pós-guerra na Europa, no Oriente Médio e na China. Em 1953, tornou-se órgão permanente do sistema das Nações Unidas e teve seu mandato ampliado para chegar a crianças e adolescentes em todo o mundo. Em 1965, o UNICEF recebeu o Prêmio Nobel da Paz.

Diretor executivo do UNICEF em 1970 saúda um menino tailandês.
UNICEF/UN04138
Por volta de 1970, durante uma visita à Tailândia, o então diretor executivo do UNICEF, Henry Labouisse, saúda um menino tailandês.

"O bem-estar das crianças de hoje está inseparavelmente ligado à paz do mundo de amanhã."

Henry Labouisse, diretor executivo do UNICEF de 1965 a 1979

O UNICEF desenvolve o seu trabalho por meio de sete escritórios regionais e mais de 150 escritórios espalhados pelo mundo. Existem ainda 34 Comitês Nacionais que arrecadam fundos com a ajuda de voluntários. A sede da organização encontra-se em Nova Iorque.

UNICEF no Brasil

O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) está presente no Brasil desde 1950, apoiando as mais importantes transformações na área da infância e da adolescência no País. O UNICEF participou das grandes campanhas de imunização e aleitamento materno; da mobilização que resultou na aprovação do artigo 227 da Constituição Federal e na elaboração do Estatuto da Criança e do Adolescente; do movimento pelo acesso universal à educação; dos programas de enfrentamento ao trabalho infantil; entre outros grandes avanços para a garantia dos direitos de meninas e meninos brasileiros.

Nas últimas décadas, o Brasil promoveu um forte processo de inclusão de crianças e adolescentes nas políticas públicas. Entretanto, uma significativa parcela da população continua excluída. Por isso, em seu programa de cooperação com o governo brasileiro para o período de 2017 a 2021, o UNICEF concentra seus esforços nas meninas e meninos mais vulneráveis e excluídos, com foco especial nas crianças e nos adolescentes que são vítimas de formas extremas de violência.

Essas crianças e esses adolescentes em situação de maior vulnerabilidade estão espalhados por todo o Brasil, mas se concentram mais na Amazônia, no Semiárido e nos grandes centros urbanos. Por meio do Selo UNICEF, o UNICEF fomenta compromissos para a garantia dos direitos de crianças e de adolescentes no Semiárido e na Amazônia Legal brasileira. Nas grandes cidades, o UNICEF atua com foco na redução das desigualdades intramunicipais, por meio da Plataforma dos Centros Urbanos (PCU).

Com o engajamento de todos, o UNICEF espera promover mudanças positivas que possam potencialmente impactar a vida de todas as crianças e todos os adolescentes no Brasil.

Os programas do UNICEF dependem integralmente de contribuições voluntárias. Por isso, o UNICEF trabalha para arrecadar recursos, como forma de assegurar os direitos de cada criança e cada adolescente. Todas as pessoas físicas, empresas e instituições podem contribuir com o trabalho do UNICEF no Brasil.