Vacinação

O UNICEF Angola colabora com os seus parceiros nacionais para aumentar o acesso à imunização de rotina, a capacitação dos técnicos de saúde e os conhecimentos da população em geral

O pai do Pedro Paulo levou o filho para tomar as vacinas contra o Sarampo, Rubéola e Pólio durante a Campanha Nacional de 2018, em Luanda
UNICEF Angola/2018/Carlos César

Imunização, o princípio de uma infância saudável

A vacinação constitui a primeira linha de defesa contra vários tipos de doenças infecciosas. Uma criança não vacinada pode enfrentar graves problemas, incluindo doenças potencialmente não tratáveis que podem ser mortais.

Em Angola, apenas 31% das crianças dos 12 aos 23 meses são vacinadas contra todas as doenças infantis (BSG, Poliomielite, Sarampo e DTP). Todas as crianças devem ser vacinadas antes de completarem os 12 meses.

As vacinas mantém as crianças vivas e saudáveis, protegendo-as contra muitas doenças evitáveis. A imunização é um dos primeiros passos para uma vida plena 

Em 2017, Angola vacinou 75% de suas crianças, considerando a cobertura de Penta 3, um indicador da productividade de programas de imunização. 

O número de infecções respiratórias agudas, causadas por gripes e pneumonias, pode também ser reduzido com recurso à vacinação. 

A vacinação constitui a intervenção de saúde pública mais bem-sucedida e eficaz em termos de custos para reduzir a mortalidade infantil e melhorar a saúde da criança no país.  

O subprograma de Vacinação do UNICEF Angola pretende apoiar o Governo de Angola no fortalecimento da capacidade humana e institucional nacional de prestação de serviços de vacinação através das seguintes estratégias: 

  • Capacitação de pessoal de saúde e de logística na instalação de equipamentos da cadeia de frio, conceito que inclui o armazenamento, o transporte e a manipulação de vacinas desde o laboratório até o momento em que a vacina é aplicada
  • Capacitação de profissionais de saúde em comunicação interpessoal com ênfase na imunização
  • Apoio técnico ao engajamento comunitário para aumentar a demanda por serviços de imunização
  • Capacitação para a coordenação, o micro-planeamento, a implementação e a monitoria de actividades de imunização em municípios com baixa cobertura de imunização
  • Financiamento e ampliação de actividades de imunização de rotina em municípios-alvo para aumentar o acesso e a demanda por serviços de imunização
  • Responder aos surtos que possam vir a registar-se com a preparação de mobilizadores sociais para o fornecimento, apoio e distribuição de vacinas