Programa de subsidio para criança ajuda mãe de seis filhos a alimentar seus filhos em Nampula

"Com o dinheiro consegui comprar comida e comecei a alimentar-me bem, depois o meu leite do peito começou a fluir, foi um alívio, o meu bebé começou a crescer saudável".

Eleanor Hill
Programa de subsidio para criança ajuda mãe de seis filhos a alimentar seus filhos em Nampula
UNICEF/2021/Eleanor Hill
20 Janeiro 2022

Lalaua, Nampula - Sentada à sombra da sua mangueira, em Nicquosse, no distrito de Lalaua na província de Nampula, Estala Ateline chora quando lembra dos tempos difíceis após o nascimento do seu filho, "eu queria alimentar o meu bebé mas não conseguia, não consegui produzir leite do meu peito", ela tentou diversas vezes mas não foi capaz de produzir leite suficiente para amamentar o seu bebé.

A família de Estala é pobre, por isso não havia dinheiro para comprar leite em pó, por isso ela obteve apoio da sua comunidade. "Para o meu bebé sobreviver, levei-o a outras mães lactantes e pedi ajuda, o meu bebé tinha tanta fome e era tão pequeno, era tão doloroso, chorava tanto", recorda Estala. 

Estala tinha 35 anos de idade quando Jaca Alexandre nasceu. Jaca é uma das seis crianças de Estala. Ela vive com o seu marido que vende pequenos acessórios num quiosque no mercado local, mas ele não ganha dinheiro suficiente. Eles cultivam feijão, milho e mandioca na machamba da família, mas é difícil ter comida suficiente para toda a família.

"Vai haver um programa para ajudar as crianças pequenas, para as tornar saudáveis", ouviu Estala numa reunião comunitária sobre o programa de subsídio para crianças. Poucos meses depois, Estala recebeu dinheiro do programa pela primeira vez, "com o dinheiro consegui comprar comida e comecei a alimentar-me bem, depois o meu leite do peito começou a fluir, foi um alívio, o meu bebé começou a crescer saudável". Sem o subsídio para criança, ela acredita que o seu filho não estaria vivo hoje.

A fase de arranque do programa de Subsidio para criança (0-2 anos) em Moçambique é implementado pelo Ministério do Género, Criança e Acção Social (MGCAS), através do Instituto Nacional de Acção Social (INAS) com o apoio da Suécia, Holanda e Reino Unido, e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF). A fase de arranque foi iniciada em Setembro de 2018 em quatro distritos de Nampula, uma das províncias mais pobres de Moçambique. A fase de arranque será finalizada em Dezembro de 2021, quando todas as 15.345 crianças e os cuidadores terão recebido 24 meses de pagamentos, e se graduarem no programa. Com base nos resultados positivos da fase de arranque do programa, o Governo de Moçambique está e a preparar-se para a sua expansão a fim de atingir mais crianças e famílias.

Com o dinheiro que recebe, Estala compra alimentos como ovos, vegetais, e açúcar, e também compra roupa para o Jaca. Ela usa o dinheiro para apoiar também os seus outros filhos, para comprar roupa, uniforme escolar e pagar a inscrição escolar. Mas o maior ganho tem sido Jaca, Estala expressou a sua gratidão pelo programa de subsídio para criança e disse que "se sente tão feliz, o meu filho cresceu e está saudável".