Programa de apoio social directo em Milange, ajuda viúva e mãe de 9 filhos

Alusivo a celebração do Mês da Mulher e do Dia da Mulher Moçambicana, o UNICEF destaca os testemunhos de mulheres beneficiárias da resposta da protecção social ao programa COVID-19 (PASD-PE COVID-19) em Milange.

Julia Kusoffsky & Claudio Fauvrelle
Social protection response during COVID-19 helps mother of 9 feed her children
UNICEF/2022/Nazera Nangy
02 Abril 2022

Alusivo a celebração do Mês da Mulher e do Dia da Mulher Moçambicana, o UNICEF destaca os testemunhos de mulheres beneficiárias da resposta da protecção social ao programa COVID-19 (PASD-PE COVID-19) em Milange, apoiado pelo UNICEF e pelo o Programa Mundial de Alimentação (PMA), financiado pelo Governo do Canadá, a Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID) e KfW. O objectivo do programa é apoiar e reforçar a resiliência dos agregados familiares em situações de pobreza e vulnerabilidades expostas aos efeitos da COVID-19, com enfoque nas crianças, mulheres e pessoas com deficiência, através de transferências monetárias móveis. Colocando as mulheres como principais destinatárias de transferências de dinheiro pode capacitá-las através da influência da dinâmica de poder no agregado familiar e nas comunidades, melhorando a auto-estima das mulheres, o poder de negociação e aumentando a sua independência para a tomada de decisões.


Milange, Zambézia - Mariazinha Pedro, de 35 anos de idade, é viúva a cerca de 2 anos, tem 9 filhos sendo que 7 ainda são menores de idade e a viver com ela.

“Antes da COVID-19 aparecer nas nossas vidas, eu conseguia sustentar os meus filhos através do negócio de bebida tradicional que eu fazia em casa. Com o pouco lucro que fazia conseguia comprar comida para os seus filhos não dormirem com fome,” lembra Mariazinha.

Após ter sido escolhida para beneficiar do programa de resposta da protecção social durante a COVID-19 (PASD-PE COVID-19), ela recebeu a primeira prestação de 4,500 meticais e conseguiu comprar material escolar e roupa para os filhos, instalar energia eléctrica na sua casa, comprar material de construção para melhorar sua casa, e ainda comprar milho para retomar o seu negócio de venda de bebida tradicional. Com a segunda prestação ela adquiriu alguns produtos para vender na banca da sua casa, bem como fazer uma poupança (xitique) no valor de 2,000 meticais.

Mariazinha agradece o apoio recebido e pede que o programa não pare para que possa ajudar outras famílias que passam por dificuldades devido a COVID-19.

A resposta da protecção social ao programa COVID-19 (Programa de Apoio Social Directo - Pós-emergência) em Moçambique é implementada pelo Ministério de Género, Infância e Acção Social (MGCAS), através do seu braço operacional, o Instituto Nacional de Acção Social (INAS), com o financiamento do Governo do Canadá, a Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID) e KfW. O grupo alvo para a programa são agregados familiares vulneráveis em zonas urbanas e peri-urbanas, com o objectivo de apoiar e reforçar a resiliência dos agregados familiares em situações de pobreza e vulnerabilidades expostas aos efeitos da COVID-19, através de transferências monetárias móveis. Como parte da resposta governamental, o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e o Programa Mundial de Alimentação (PMA) estão a prestar apoio técnico ao governo em conjunto com organizações da sociedade civil. Esta intervenção está a atingir cerca de 77,000 beneficiários na província da Zambézia, com pagamentos móveis. No distrito de Milange, o programa atingiu 8,645 beneficiários com 9,000 meticais no total (pagos em duas parcelas).