Projeto Caretas

Uma experiência entre a ficção e a realidade

Fotomontagem com fotos da personagem Fabi Grossi e a marca do projeto Caretas
UNICEF Brasil

O que é o Projeto Caretas

O Projeto Caretas é uma experiência inovadora de interação online desenvolvida pelo UNICEF no Brasil, em parceria com as empresas Sherpas e Chat-Tonic, o Facebook e a ONG Safernet, que usa inteligência artificial para criar uma das primeiras peças de ficção por meio do storytelling. Nele, Fabi Grossi, uma personagem fictícia, interage com adolescentes e jovens entre 13 e 24 anos por um chat na internet e a história avança segundo essas interações.

Ao longo do diálogo, a personagem conta os desafios que está vivendo e discute os riscos do vazamento de imagens íntimas na rede e as opções para obter apoio. Os participantes são informados de que é uma história fictícia e têm sua privacidade preservada.

Quase um milhão de pessoas, em grande parte meninas, já participaram da experiência, lançada em fevereiro de 2018. Com o sucesso do Caretas no Brasil, o projeto já foi replicado para outros três países: Argentina (https://www.facebook.com/ProyectoIntimos/), África do Sul (https://www.facebook.com/maskaraidproject) e Ucrânia (https://www.messenger.com/t/768641443501477 ou m.me/768641443501477).

Objetivos

  • Discutir o sexting e os riscos do compartilhamento de imagens íntimas sem consentimento
  • Entender melhor esse fenômeno
  • Apoiar as vítimas de vazamento de imagens íntimas
  • Promover mudança de comportamento ao romper o ciclo de compartilhamento de conteúdo que vise ferir a honra e a reputação de pessoas
  • Gerar subsídios para ações para prevenir e enfrentar o problema no Brasil
imagem de uma conversa no messenger do Facebook com a personagem Fabi Grossi, do projeto Caretas

 

Como funciona

Na história criada, Fabi Grossi é uma jovem de 21 anos que tem um vídeo íntimo vazado pelo ex-namorado na internet e pede ajuda a internautas.

Para conversar com a personagem, as pessoas precisam ter uma conta no Facebook e acessar a fanpage do Projeto Caretas. Nela, há vídeos, textos e imagens que simulam a página de uma usuária comum.

O público contata Fabi pelo Messenger, espaço de bate-papo do Facebook. Por meio do chat, a jovem vai dando detalhes da situação que tem vivenciado e pede conselhos. A conversa é alimentada por conteúdo multimídia, como imagens e áudios compartilhados por Fabi, simulando uma conversa real entre jovens nos meios digitais. São sete etapas de interação, que começam com o relato da personagem sobre o vazamento do vídeo íntimo, passam pela problematização da questão no Brasil até chegar à solução e ao empoderamento da jovem.

A página também traz informações sobre o projeto, confirma que se trata de uma peça de ficção e dá instruções para começar a experiência. Quem interpreta Fabi Grossi é a atriz Kathia Calil. Caso não queiram mais participar, basta que os internautas parem de interagir com Fabi ou acionem o comando PARA. Ao final, todos são convidados a responder algumas questões para uma avaliação do projeto.

Resultados

Quase 1 milhão de participantes

537 mil pessoas concluíram todas as etapas de interação

Avaliação

75% eram mulheres de 13 a 25 anos

93% avaliaram a experiência como boa ou muito boa

Quase metade disse já ter praticado sexting ou falado sobre isso

92% afirmaram que aprenderam mais sobre o tema com o Caretas

* Fonte: respostas ao questionário disponível no final da experiência, 100 mil respondentes.

Adolescentes e o risco de vazamento de imagens íntimas na internet

Em um ano, quase 1 milhão de pessoas, em sua maioria meninas, interagiram com o bot Fabi Grossi. Para entender melhor a relação delas com o sexting e vazamento de imagens íntimas, o UNICEF realizou uma pesquisa. Foi enviado um questionário a 14 mil adolescentes de 13 a 18 anos, do sexo feminino, que participaram da experiência. E foi feita, também, uma análise qualitativa dos diálogos completos de 100 meninas que interagiram com Fabi Grossi.

Acesse esse estudo em nossa Biblioteca.

Você também pode ajudar o UNICEF em suas ações.