O mundo é um “potencial barril de pólvora” devido aos níveis catastróficos de desnutrição infantil aguda grave, de acordo com o UNICEF

O aumento dos preços dos alimentos devido à guerra na Ucrânia e os cortes orçamentários causados pela pandemia aumentarão a necessidade de tratamento alimentar terapêutico vital, elevando seu custo em até 16%

17 maio 2022
Uma criança é segurada por sua mãe enquanto se alimenta de um sachê de comida terapêutica pronta para uso na Somália.
UNICEF/UN0591078/Taxta
Na Somália, uma criança pequena está no colo de sua mãe enquanto se alimenta com um sachê de alimento terapêutico pronto para uso .

Nova Iorque, 17 de maio de 2022 – O número de crianças com desnutrição aguda grave estava aumentando antes mesmo da guerra na Ucrânia ameaçar mergulhar o mundo ainda mais em uma crise alimentar global em espiral – e está piorando, disse o UNICEF em um novo Alerta para a Infância.

Lançado hoje, Desnutrição aguda grave: uma emergência de sobrevivência infantil negligenciada (Severe wasting: An overlooked child survival emergency – disponível somente em inglês) mostra que, apesar dos níveis crescentes de desnutrição aguda grave em crianças e dos custos crescentes para tratamento, o financiamento global para salvar a vida de crianças que sofrem de desnutrição aguda também está sob ameaça.

“Mesmo antes de a guerra na Ucrânia pressionar a segurança alimentar em todo o mundo, conflitos, choques climáticos e a covid-19 já estavam causando estragos na capacidade das famílias de alimentar suas crianças”, disse a diretora executiva do UNICEF, Catherine Russell. “O mundo está rapidamente se tornando um potencial barril de pólvora de mortes evitáveis de crianças e de crianças que sofrem de desnutrição aguda”.

Atualmente, pelo menos 10 milhões de crianças gravemente desnutridas – ou duas em cada três – não têm acesso ao tratamento mais eficaz para a desnutrição aguda, os alimentos terapêuticos prontos para uso. O UNICEF alerta que uma combinação de choques globais à segurança alimentar em todo o mundo – liderados pela guerra na Ucrânia, economias que lutam com a recuperação da pandemia e condições de seca persistente em alguns países devido às mudanças climáticas – está criando condições para um aumento significativo nos níveis globais de desnutrição aguda grave.

Enquanto isso, o preço dos alimentos terapêuticos prontos para uso deverá aumentar em até 16% nos próximos seis meses devido a um aumento acentuado no custo dos ingredientes brutos. Isso pode deixar até 600 mil crianças adicionais sem acesso a tratamento vital nos níveis atuais de gastos. Os custos de envio e entrega também devem permanecer altos.

“Para milhões de crianças todos os anos, esses sachês de alimento terapêutico são a diferença entre a vida e a morte. Um aumento de preço de 16% pode parecer administrável no contexto dos mercados globais de alimentos, mas no final dessa cadeia de suprimentos está uma criança desesperadamente desnutrida, para quem as apostas não são administráveis”, disse Russell.

Desnutrição aguda grave – quando uma criança é muito magra para sua altura, resultando em sistemas imunológicos enfraquecidos – é a forma de desnutrição mais imediata, visível e com risco de vida. Em todo o mundo, pelo menos 13,6 milhões de crianças menores de 5 anos sofrem de desnutrição aguda grave, resultando em uma a cada cinco mortes nessa faixa etária.

A Ásia Meridional continua sendo o “epicentro” da desnutrição aguda grave, onde cerca de uma em cada 22 crianças está severamente desnutrida, três vezes mais do que a África ao sul do Saara. E no resto do mundo, os países estão enfrentando taxas historicamente altas de desnutrição aguda grave. No Afeganistão, por exemplo, espera-se que 1,1 milhão de crianças sofram de desnutrição aguda grave neste ano, quase o dobro do número de 2018. A seca no Chifre da África significa que o número de crianças com desnutrição aguda grave pode aumentar rapidamente de 1,7 milhão para 2 milhões, enquanto se prevê um aumento de 26% no Sahel em relação a 2018.

O Alerta para a Infância também observa que mesmo países em relativa estabilidade, como Uganda, viram um aumento de 40% ou mais na desnutrição aguda de crianças desde 2016, devido ao aumento da pobreza e à insegurança alimentar doméstica, causando qualidade e frequência inadequadas de dietas para crianças e mulheres grávidas. Choques relacionados ao clima, incluindo secas cíclicas severas e acesso inadequado a serviços de água potável e saneamento, estão contribuindo para o aumento dos números.

O relatório segue alertando que a ajuda para a desnutrição aguda permanece lamentavelmente baixa e deve diminuir acentuadamente nos próximos anos, com pouca esperança de recuperar os níveis pré-pandêmicos antes de 2028. De acordo com uma nova análise realizada para o informe, a ajuda global destinada à desnutrição aguda representa apenas 2,8% do total do setor da saúde da Assistência Oficial ao Desenvolvimento (AOD) e 0,2% do gasto total da AOD.

Para alcançar todas as crianças com tratamento para a desnutrição aguda grave, o UNICEF está pedindo que:

  • Os governos aumentem a ajuda destinada à desnutrição aguda em pelo menos 59% acima dos níveis da AOD de 2019 para alcançar todas as crianças que precisam de tratamento em 23 países com carga elevada de casos.
  • Os países incluam o tratamento para a desnutrição aguda infantil nos esquemas de financiamento de saúde e desenvolvimento de longo prazo para que todas as crianças possam se beneficiar de programas de tratamento, não apenas aquelas em cenários de crise humanitária.
  • Alocações orçamentárias sejam garantidas para enfrentar a crise global da fome, incluindo alocações específicas para intervenções alimentares terapêuticas para atender às necessidades imediatas de crianças que sofrem de desnutrição aguda grave.
  • Doadores e organizações da sociedade civil priorizem o financiamento para desnutrição aguda para garantir um ecossistema diversificado, crescente e saudável de apoio dos doadores.

“Simplesmente não há razão para que uma criança sofra de desnutrição aguda grave – não quando temos a capacidade de evitá-lo. Mas há muito pouco tempo para reacender um esforço global para prevenir, detectar e tratar a desnutrição antes que uma situação ruim fique muito, muito pior”, disse Russell.

###

Notas para editores

Conteúdo multimídia para download aqui

Sobre os alimentos terapêuticos prontos para uso
Os alimentos terapêuticos prontos para uso possuem uma composição padronizada altamente calórica, incluindo vitaminas e minerais em sua composição. O UNICEF, líder global em aquisição de alimentos terapêuticos prontos para uso, compra e distribui cerca de 75%-80% da oferta mundial de mais de 20 fabricantes localizados em todo o mundo.

Sobre a AOD
A assistência oficial ao desenvolvimento (AOD) é a ajuda governamental que promove e visa especificamente ao desenvolvimento econômico e ao bem-estar dos países em desenvolvimento. O Comitê de Ajuda ao Desenvolvimento (CAD) da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) adotou a AOD como principal instrumento de ajuda externa em 1969 e continua a ser a principal fonte de financiamento da ajuda ao desenvolvimento. Os dados da AOD são coletados, verificados e disponibilizados publicamente pela OCDE.

Contatos para a imprensa

Elisa Meirelles Reis
Oficial de Comunicação
UNICEF Brasil
Telefone: (61) 98166 1649
Ester Correa Coelho
Oficial de Comunicação
UNICEF Brasil
Telefone: (61) 99122 8671

Sobre o UNICEF
O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) trabalha em alguns dos lugares mais difíceis do planeta, para alcançar as crianças mais desfavorecidas do mundo. Em mais de 190 países e territórios, o UNICEF trabalha para cada criança, em todos os lugares, para construir um mundo melhor para todos.

Acompanhe nossas ações no Facebook, Twitter, Instagram, YouTube, LinkedIn e TikTok.

Você também pode ajudar o UNICEF em suas ações. Faça uma doação agora.