Declaração de Adele Khodr, diretora regional do UNICEF para o Oriente Médio e Norte da África, sobre a matança e os ferimentos contínuos de crianças e adolescentes na Faixa de Gaza e a situação humanitária

09 dezembro 2023

Amã, 9 de dezembro de 2023 – “A Faixa de Gaza é o lugar mais perigoso do mundo para ser uma criança. Há relatos de que dezenas de crianças e adolescentes estão sendo mortos e feridos diariamente. Bairros inteiros, onde meninas e meninos costumavam brincar e ir à escola, foram transformados em pilhas de escombros, sem vida.

O UNICEF e outros atores humanitários têm soado o alarme há semanas. A nossa equipe no local descreve ter encontrado crianças e adolescentes com membros perdidos e queimaduras de terceiro grau, e meninas e meninos que ficaram em estado de choque pela violência contínua que os rodeia.

Perto de um milhão de crianças e adolescentes foram deslocados à força de suas casas. Estão agora sendo empurrados cada vez mais para sul, para áreas minúsculas e superlotadas, sem água, alimentos ou proteção, o que os coloca em risco acrescido de infecções respiratórias e doenças transmitidas pela água. A vida deles está ainda mais ameaçada pela desidratação, desnutrição e doenças.

As restrições e os desafios em relação à entrega de ajuda vital que entra e atravessa a Faixa de Gaza são outra sentença de morte para meninas e meninos. As quantidades entregues não são nem de longe adequadas em comparação com o nível de necessidade, e a distribuição da ajuda tornou-se um desafio cada vez maior devido aos bombardeios e à falta de combustível. O sistema humanitário está colapsando, especialmente sob a extrema pressão causada pelas medidas impostas após o fim do cessar-fogo, à medida que a população é empurrada ainda mais para o desespero.

Um cessar-fogo humanitário imediato e duradouro é a única forma de acabar com a matança e os ferimentos de crianças e adolescentes, a única forma de proteger os civis e a única forma de permitir a entrega urgente da ajuda desesperadamente necessária para salvar vidas.

A ajuda humanitária deve ser permitida em grande escala para evitar mais sofrimento. O UNICEF e as organizações humanitárias devem ter acesso seguro a todos os meninos e meninas e às suas famílias, onde quer que se encontrem na Faixa de Gaza, incluindo no norte.

O mundo está assistindo, indefeso e devastado – não podemos agir com rapidez suficiente. Isso deve parar imediatamente.”

Contatos para a imprensa

Elisa Meirelles Reis
Oficial de Comunicação
UNICEF Brasil
Telefone: (61) 98166 1649
Luana Ribeiro Piotto
Oficial de Comunicação
UNICEF Brasil

Sobre o UNICEF
O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) trabalha em alguns dos lugares mais difíceis do planeta, para alcançar as crianças mais desfavorecidas do mundo. Em mais de 190 países e territórios, o UNICEF trabalha para cada criança, em todos os lugares, para construir um mundo melhor para todos.

Acompanhe nossas ações no Facebook, Twitter, Instagram, YouTube, LinkedIn e TikTok.

Você também pode ajudar o UNICEF em suas ações. Faça uma doação agora.