UNICEF, AIFO e Noruega ajudam crianças com deficiência a retomar seus estudos em Moçambique

A AIFO, com financiamento do UNICEF e do Governo da Noruega, presta apoio psico-social as crianças com deficiência para as encorajar a continuar com os seus estudos.

Paulo Hansine e Cláudio Fauvrelle
“Eu sonho em ser alfaiate ou modista assim que terminar o nível secundário, porque gosto de ser independente no trabalho e por ver o meu vizinho que é alfaiate,” disse Lucas Manuel Armando, de 14 anos de idade, no bairro Munhinga Sede. Lucas frequenta a 6ª classe na Escola Primária Completa de Munhinga, no distrito de Sussundenga, na província de Manica.
UNICEF Mozambique/AIFO/2021/Paulo Hansine
11 Maio 2021

Sussundenga, Manica – “Eu sonho em ser alfaiate ou modista assim que terminar o nível secundário, porque gosto de ser independente no trabalho e por ver o meu vizinho que é alfaiate,” disse Lucas Manuel Armando, de 14 anos de idade, no bairro Munhinga Sede. Lucas frequenta a 6ª classe na Escola Primária Completa de Munhinga, no distrito de Sussundenga, na província de Manica.

Apesar de viver a 500 metros da escola, Lucas enfrentava muitas dificuldades em locomover-se. Agora que recebeu novas muletas ele se desloca com muita facilidade e consegue chegar a tempo na escola. Lucas adora brincar na escola  com seus amigos, “os meus amigos brincam bem comigo, nunca fui discriminando pela minha deficiência,” contou Lucas.

Em 2019, Lucas e sua família foram afectados pelo ciclone Idai, vendo a sua casa precária e a colheita de milho destruídas. A Associação Italiana Amigos de Raoul Follereau (AIFO), com financiamento do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e do Governo da Noruega, prestou apoio psico-social que encorajou ao Lucas a continuar com os seus estudos. Também, no âmbito da prevenção da pandemia da COVID-19, Lucas e sua família receberam kits de prevenção constituído por máscaras e sabão. Lucas fez  parte de quarenta (40) crianças com deficiência que receberam apoio de meio de assistência para locomoção (muletas).

“Lucas é um aluno inteligente e dedicado nas aulas, ele nunca falta a escola e participa activamente nas aulas,” disse o professor do Lucas.