Pais não desistem do registo de nascimento de suas crianças

A falta da documentação dos pais é uma das mais comuns dificuldades com as quais as pessoas se deparam para registar seus filhos.

Save the Children
Pais não desistem do registo de nascimento de suas crianças
Save the Children/2018/Vieira
15 Março 2018

Maputo, 15 Março 2018 - Nelton Nhapulo é um jovem que felizmente conhece a importância do registo de nascimento. Contudo, devido a falta de documentação da sua mulher, as suas duas filhas não tinham sido registadas, “a cédula da minha esposa molhou e nela nada se pode ver”.

Consciente da necessidade de registar suas crianças, Nelton dirigiu-se as conservatórias para  fazer o registo de nascimento da Celeize e Ângela de 5 e 3 anos de idade, respectivamente, mas não teve sucesso devido ao mau estado da cédula da sua esposa, Niquinilda. Era  preciso voltar a conservatória de origem em Zandamela (província de Inhambane) onde a cédula de Niquinilda foi tratada para emissão de uma segunda via. 

"A falta da documentação dos pais é uma das mais comuns dificuldades com as quais as pessoas se deparam para registar seus filhos."

Quando a Save the Children dá início as acções de sensibilização para aderência aos registos de nascimentos, associadas ao Projecto de Mobilização Social para o Fortalecimento dos Serviços de Registo de Nascimento em Moçambique, vários materiais de informação e comunicação foram distribuídos e parte deles são camisetes com a mensagem “vamos registar as crianças”, que chegou a atenção de Nelton, que procurou pelo apoio do Oficial de Mobilização Provincial da Save the Children, que conseguiu ajudar a família até que as crianças fossem registadas.

Hoje, Nelton e a sua esposa estão felizes por finalmente terem conseguido registar as crianças, “agora estão devidamente identificadas, é importante a criança estar registada para que seja reconhecida,” afirma Nelson e promete brevemente avançar com a aquisição dos Bilhetes de Identificação das suas filhas.

Pais não desistem do registo de nascimento de suas crianças
Save the Children/2018/Vieira

"Agora estão devidamente identificadas, é importante a criança estar registada para que seja reconhecida."

Nelton Nhapulo

Para o ano, Celeize terá idade de ingresso escolar e seus pais sentem-se tranquilos por já reunirem a documentação para que a Celeize tenha uma educação e possa sonhar com o seu futuro.

Com o financiamento do Governo de Canadá e a assistência técnica da Save the Children e do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), o Governo de Moçambique  lançou, em 2017, o Projecto de Mobilização Social para o Fortalecimento dos Serviços de Registo de Nascimento em Moçambique, que está sendo implementado em 28 locais distribuídos por: Maputo Cidade, Gaza (Xai-Xai), Maputo Província (Magude), Nampula (Cidade) e Zambézia (Morrumbala e Milange), durante três anos e espera-se alcançar 45 por cento da população total, cerca de 1.400.000 de pessoas.

(Texto original: Save the Children Moçambique)