Curso de formação de professores à distância continua a inspirar crianças

Maria Natália, participante do primeiro curso de formação de professores à distância continua a inspirar crianças.

Armando Ali
participante do primeiro curso de formação de professores à distância continua a inspirar crianças
UNICEF Mozambique/2021/Armando Ali
02 Junho 2021

Nampula, Moçambique - Maria Natália de Gussule é a quinta de doze irmãos nascidos nos arredores da cidade de Nampula. Seu pai era serralheiro dos Caminhos de Ferro de Moçambique e sua mãe doméstica. De entre os doze irmãos, seis são mulheres e destas, quatro têm um emprego formal.

Maria cresceu como outras crianças do seu bairro. Na sua infância, em tempo de guerra civil em Moçambique, frequentou a escola, onde ia a pé com os seus amigos e amigas do bairro. Iniciou a pré-primária na Escola Primária 25 de Junho mas depois estudou nas escolas primárias Parque Popular e 7 de Abril. No regresso da escola, para além de ajudar nas tarefas domésticas, brincava à neca, ao salto de corda e à banana (cheia).

 

COMBATEU NA GUERRA CIVIL E ESCOLHEU SER PROFESSORA

Aos 19 anos, Maria foi chamada a cumprir o Serviço Militar Obrigatório. Fez parte do 9º curso do Destacamento Feminino (DF). Sua instrução militar foi feita no centro de Michafutene e  cumpriu o serviço militar no Comando Militar de Inhambane até ser desmobilizada pela ONUMOZ em 1994. Ela sempre quis inspirar crianças a seguirem os seus sonhos e acreditava que como professora, podia fazer isso.

Em 1998 fez o curso de professores de 10ª classe mais 20 dias. A 09 de Fevereiro de 1999 iniciou a sua carreira de professora (na categoria N4). Trabalhou em varias escolas como professora e ajudou muitas crianças a darem os seus primeiros passos na leitura, contagem e cálculo. Diz que sempre sentiu que as meninas em particular, olhavam para ela não apenas como a professora. Era como se os seus olhares dissessem… quando eu crescer, quero ser como ser como a senhora. Por isso, decidiu continuar a estudar, aperfeiçoar seus conhecimentos para poder melhor interligar o processo de ensino e aprendizagem e continuar a inspirar crianças.

 

JUNTOU-SE AO PRIMEIRO CURSO DE FORMAÇÃO DE PROFESSORES À DISTÂNCIA

Reconhecendo a limitação que muitos professores enfrentavam na sala de aulas por não terem tido uma formação psicopedagógica completa, o Ministério da Educação e Desenvolvimento Humano, criou em outubro de 2016, o IEDA – Instituto de Educação Aberta e à Distância. O IEDA resulta da fusão do então Instituto de Aperfeiçoamento de Professores (IAP) com o Departamento de Educação à Distância (DED), unidades orgânicas outrora adstritas ao Ministério da Educação (1996-2004). A missão do IEDA é proporcionar a formação à distância de professor em exercício e ao cidadão não cobertos pelo sistema de ensino presencial, comprometendo-se com a equidade de género, justiça social, inclusão social, inovação tecnológica, gerando, sistematizando e difundido o conhecimento.

Maria sentia que apesar de sua boa vontade, ainda lhe faltavam técnicas e abordagens para melhor interligar o processo de ensino e aprendizagem, para elaborar planos de aulas e dosificar os conteúdos, para melhor dialogar com os pais e encarregados de educação e para gerir instituições de ensino. Decidiu então integrar o primeiro curso do Departamento de Educação à Distância, em 27 de Dezembro de 2005. Foram dois anos de formação.  Ela destaca o nível de motivação dos integrantes deste primeiro curso. Nenhum dos trinta participantes desistiu e cerca de 85% deles são agora gestores de escola. Como gestora de escola, sente que sua influência sobre as crianças da escola aumentou e que está a inspirar as meninas a serem líderes no futuro.

ALARGANDO AS POSSIBILIDADES DOS PROFESSORES

Preocupada com a melhoria da qualidade de formação dos professores, o UNICEF achou por bem apoiar a iniciativa do MINEDH de formação de professores em exercício e à distância. Por isso, desde 2018, o UNICEF estabeleceu parceria com o ILEDA para melhorar a capacidade em equipamentos para o melhor funcionamento dos NUFORPEs (Núcleos de Formação de Professores em Exercício) e seus respectivos Núcleos Pedagógicos. O UNICEF está a apoiar o MINEDH de Moçambique não apenas em material e equipamento para a melhoria da qualidade do ensino, mas também a moldar exemplos para as crianças como foi o caso da professora Maria. Este apoio inclui o fornecimento de carteiras, computadores, impressoras, tablets, manuais, para facilitarem a formação em exercício e à distância dos professores em Moçambique.

Para além de capacidades técnicas, professores bem treinados, que comunicam bem e são cidadãos exemplaras, podem ser inspiração para o futuro de muitas crianças em Moçambique. Actualmente, Maria Natália Gussule é directora da EPC Bairro Cimento em Monapo.  

Agora, passados 15 anos desde que Maria frequentou o curso no Núcleo Pedagógico (NP) recebeu materiais e equipamentos do UNICEF na Escola EPC Bairro Cimento. Maria nos disse gentilmente que “esses materiais e equipamentos me fazem sentir muito impressionada, pois estudei num NP há 15 anos , quando não havia muitos materiais e equipamentos. Agora, após 15 anos, sou uma directora de escola e recebi esses apoios generosos para aumentar a capacidade deste NP”. Eu podia sentir sua emoção em sua voz e olhos quando ela disse isso. Ela continuou: “Estou especialmente grata pelas carteiras e cadeiras, pois as trazíamos de outras salas de aula, uma vez que não as tínhamos. Agora podemos fornecer aos professores espaço para estudar confortavelmente”.