Brigadas Móveis Integrais da saúde ajudam no rastreio de casos de desnutrição nas comunidades

DFID apoia o UNICEF e o Programa Alimentar Mundial (PAM) nos esforços de emergência na área de nutrição nos distritos que apresentam a níveis elevados de desnutrição aguda

Claudio Fauvrelle
Brigadas Móveis Integrais da saúde ajudam no rastreio de casos de desnutrição  nas comunidades remot
UNICEF Mozambique/2019/Ouquita Cardoso

03 Dezembro 2019

Namuno, Cabo Delgado – “A Zinha não fez o aleitamento materno exclusivo e nós iniciamos a alimentação familiar muito cedo, antes dos 6 meses, ela teve vários episódios de diarreia e foi levada a unidade sanitária mas próxima onde ficou internada,” conta a avó de Zinha Damião, uma criança de 19 meses de idade, residente na comunidade Mithiaca, localizada a 9 km da sede distrital de Namuno, com uma população de 3,196 habitantes, na província de Cabo Delgado.

Durante um rastreio nutricional numa visita da brigada móvel integrada (BMI) de saúde a comunidade de Mithiaca, no mês de Julho de 2019, foi detectado que a pequena Zinha sofria de desnutrição aguda grave (DAG).  Zinha nasceu em casa  com apoio de uma parteira tradicional, e sua mãe, Dona Clementina, sofre de problemas de saúde mental desde a infância, facto este que contribuiu para que Zinha não tivesse um bom desenvolvimento. Com 1 mês de vida, Zinha teve vários episódios de diarreia e foi levada a unidade sanitária mas próxima e ficou internada por duas semanas, ela apresentava uma falência de crescimento, aos 4 meses, ela iniciou o controlo de crescimento na unidade sanitária, onde foi feita avaliação antropométrica tendo apresentado um baixo peso de 4,4 kg no mês de Agosto de 2018. Em Novembro do mesmo ano, ela voltou a unidade sanitária novamente com episódios de diarreia e perda de apetite, com uma redução de peso para 4,2 kg, e foi encaminhada para consulta onde recebeu medicação para tratar a diarreia e de seguida encaminhada a uma consulta para apoio nutricional.

“A Zinha não fez o aleitamento materno exclusivo e nós iniciamos a alimentação familiar muito cedo, antes dos 6 meses, ela teve vários episódios de diarreia e foi levada a unidade sanitária mas próxima onde ficou internada,” conta a avó de Zinha Damião, uma criança de 19 meses de idade, residente na comunidade Mithiaca, localizada a 9 km da sede distrital de Namuno, com uma população de 3,196 habitantes, na província de Cabo Delgado.
UNICEF Mozambique/2019/Ouquita Cardoso

A Zinha não fez o aleitamento materno exclusivo e nós iniciamos a alimentação familiar muito cedo, antes dos 6 meses, ela teve vários episódios de diarreia e foi levada a unidade sanitária mas próxima onde ficou internada.

avó de Zinha Damião

O Governo de Moçambique tem trabalhado com o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), e com o apoio financeiro do Departamento do Reino Unido para o Desenvolvimento Internacional (DFID), para a melhoria dos cuidados de saúde das crianças nas comunidades remotas, onde os serviços de saúde são de difícil acesso. Uma das iniciativas usadas são as BMI de saúde. O UNICEF tem financiado a implementação de BMI, como parte do seu apoio a Direção Provincial de Saúde (DPS) na província de Cabo delgado, onde são disponibilizados serviços de saúde e nutrição, nos distritos que foram afectados pelo ciclone Kenneth, assim como, nos distritos em que existe uma emergência nutricional.

No distrito de Namuno, têm sido realizadas acções de busca activa e rastreio nutricional massivo as crianças menores de 5 anos, sendo a comunidade de Mithiaca um desses locais. Durante as brigadas móveis realizadas na comunidade de Mithiaca no mês de Julho de 2019, foram rastreadas 104 crianças menores de 5 anos para verificar se sofriam de desnutrição aguda, sendo identificadas 19 crianças, onde 11 tinham DAG e 9 desnutrição aguda moderada (DAM), tendo iniciado o tratamento na comunidade com os suprimentos nutricionais.

Foi uma BMI, que se deslocou a comunidade de Mithiaca, que identificou a Zinha com DAG, e que deu o inicio ao tratamento com o Alimento terapêutico pronto para uso (ATPU). Após duas semanas a avó da Zinha levou-lhe à unidade sanitária para seguimento do tratamento.

Agora, Zinha já apresenta melhorias, pois já brinca e tem apetite, ela já teve alta do programa de reabilitação nutricional, apenas está em seguimento para manutenção do seu estado de saúde de modo a garantir que ela não tenha nenhuma recaída. De acordo com a Dona Jacinta, Parteira tradicional que esteve a apoiar na visita a esta comunidade de Mithiaca, Zinha Damião, teve uma boa recuperação embora com as dificuldades financeiras da família e condição de saúde da mãe.

Desde 2017, o DFID apoia o UNICEF e o Programa Alimentar Mundial (PAM) nos esforços de emergência na área de nutrição nos distritos que apresentam a níveis elevados de desnutrição aguda. O programa começou em Novembro de 2017 para abordar as situações humanitárias no sector de nutrição em todos os distritos afetados pela seca em Moçambique.