15 Janeiro 2024

Acesso seguro a Água, Saneamento e Higiene, e Clima e Ambiente Seguros e Sustentáveis

Água, Saneamento e Higiene (ASH) é uma questão abrangente com implicações de longo alcance para a saúde, nutrição, educação, protecção, inclusão, igualdade de género e equidade geral. Trabalhando em estreita colaboração com o Governo de Moçambique, o UNICEF está a contribuir para o fornecimento de água potável, saneamento e higiene (ASH) para…, DESAFIOS, Acesso desigual à água e ao saneamento entre as zonas rurais e urbanas: A nível nacional, a proporção de pessoas com acesso a fontes de água melhoradas aumentou de 61% em 2015 para 73% em 2020, mas a percentagem de pessoas sem acesso a água melhorada é 5,5 vezes superior nas zonas rurais. Durante o mesmo período, o acesso a saneamento melhorado…, História: Corrane: construir uma casa longe de casa para os deslocados de Cabo Delgado, Corrane: construir uma casa longe de casa para os deslocados de Cabo Delgado Um dos primeiros grupos de deslocados internos da província de Cabo Delgado chegou a Nampula em 2020 e refugiou-se numa escola primária em Namialo, que estava vaga devido ao encerramento das escolas durante a pandemia da COVID-19. Mas quando as escolas reabriram, não…, O QUE DEVE ACONTECER?, É necessário melhorar o acesso equitativo à água e ao saneamento, garantindo que mais crianças tenham acesso a infra-estruturas e serviços de água e saneamento melhorados, seguros, resilientes e geridos de forma sustentável. Políticas, normas e padrões fundamentais para ASH precisam de ser implementadas e os fundos afectados para garantir que as…, Soluções de ASH para satisfazer as necessidades crescentes dos deslocados internos e das comunidades de acolhimento em Cabo Delgado, Soluções de ASH para satisfazer as necessidades crescentes dos deslocados internos e das comunidades de acolhimento em Cabo Delgado O censo de 2017 de Moçambique mostrou que a província de Cabo Delgado tinha uma das taxas mais baixas de cobertura de abastecimento de água potável, e a cobertura caiu ainda mais devido aos danos nas infra-estruturas…, A RESPOSTA DO UNICEF, acesso a serviços de água potável, infra-estruturas de saneamento e serviços de higiene seguros em Moçambique. Com o apoio dos parceiros, o UNICEF prioriza: Integrar e expandir ASH sensível ao género e inclusivo em relação à deficiência nas comunidades, escolas e instalações de cuidados de saúde, promovendo a educação em matéria de higiene e a…
27 Julho 2023

Aprendendo dos Distritos LIFECA em Moçambique

Moçambique comprometeu-se a prosseguir o Objectivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU (ODG) 6.2 com vista a alcançar o acesso ao saneamento e higiene adequados e equitativos para todos e acabar com o fecalismo a céu aberto até 2030. No entanto, ainda há muito a ser feito. Dados recentes indicam que 36 por cento da população (11,6 milhões de pessoas) ainda utilizam instalações não melhoradas que não foram concebidas para impedir higienicamente o contacto humano com excrementos. Além disso, Moçambique tem uma elevada taxa de fecalismo a céu aberto, situada em 23 por cento (7,1 milhões de pessoas). A prevalência de práticas sanitárias pouco seguras, como a utilização de instalações sanitárias não melhoradas ou fecalismo a céu aberto, é particularmente elevada nas zonas rurais, onde se verifica uma alarmante falta de acesso a instalações sanitárias seguras por parte de 75 por cento da população. Com base nestas tendências, prevê-se que Moçambique não alcançará um estatuto de país livre do fecalismo a céu aberto até 2068. Com vista a acelerar o alcance de melhores resultados, o Governo de Moçambique (GdM) aprovou recentemente a Estratégia de Saneamento Rural (2021-2030) que visa eliminar a defecação aberta e alcançar o acesso universal ao saneamento básico até 2030 utilizando o Saneamento Total Liderado pela Comunidade (CLTS) como abordagem central. Como parceiro-chave do GdM no subsector do saneamento rural, o UNICEF tem apoiado programas de saneamento em grande escala em várias províncias.