O meu desejo para as crianças de Moçambique por Weiss Pambe, 15 anos

"Os Direitos das Crianças em Moçambique estão a ser implementados lentamente."

Weiss Pambe
O meu desejo para as crianças de Moçambique por Weiss Pambe, 15 anos
UNICEF/2019

12 Novembro 2019

Os Direitos das Crianças em Moçambique estão a ser implementados lentamente, mas pouco á pouco estamos a conseguir alcançar melhorias para o bem das crianças.

Weiss Pambe, 15 anos

MAPUTO - “Os Direitos das Crianças em Moçambique estão a ser implementados lentamente, mas pouco á pouco estamos a conseguir alcançar melhorias para o bem das crianças.” Olá, eu chamo-me Weiss Tiago Pambe, tenho 15 anos de idade, sou apresentador dum programa infantil de televisão e também sou deputado do Parlamento Infantil e frequento á 10ª Classe.  

Sou uma criança que gosta estudar, andar de bicicleta, conversar com os meus amigos e também gosto muito de pensar como eu posso mudar o mundo. Eu também gosto muito da minha família, principalmente dos meus pais que muito me apoiam.

Graças a Deus ainda não tive nenhum direito violado até hoje! Mas, diariamente, quando caminho para a escola, vejo crianças que deveriam estar a brincar e estudar, na rua a vender bens e alimentos, e eu sem poder ajudar por não saber qual será a reacção dela e da família.

Um dos direitos que eu mais gosto tem haver com o acesso aos serviços sociais básicos nas zonas rurais, por exemplo, o artigo 26 da Convenção sobre os Direitos da Criança (CDC) diz que “As crianças têm o direito à ajuda do governo através da previdência social ou seguro social em caso de estarem numa situação de pobreza ou necessitadas”.

Outro direito, é o do poder de decisão na sociedade, que é refletido no artigo 12 da CDC - “As crianças têm o direito de serem ouvidas, de darem a sua opinião e de essa opinião ser respeitada e levada em conta em decisões que afectam a sua vida”.

Se eu fosse Presidente o que faria?
UNICEF/2019

Se eu fosse Presidente o que faria?

(Risos) Acredito que se fosse presidente, muita coisa teria feito, não chegaria lá em vão, teria sido um forte combatente dos direitos das crianças. Eu iria construir infra-estruturas infantis (escolas, orfanatos e jardins para diversão) para melhorar suas vidas e seus direitos, e também investiria nas crianças das zonas rurais, que muitas vezes são as mais vulneráveis, para terem acesso aos mesmos direitos que as crianças das zonas urbanas.

Em 2019 celebramos os 30 anos da Convenção, e para mim este ano está ser muito bom porque o Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) convidou-me para ser um Jovem Advogado dos direitos das crianças em Moçambique (Youth Advocate), e irei fazer o meu máximo para encontrar e ajudar casos de crianças com seus direitos violados. Aceitei ser um advogado dos direitos das crianças porque quero poder ver um sorriso nos rostos das crianças vulneráveis, pobres ou que têm os seus direitos violados.

“O meu desejo para as crianças de moçambique é de ver todas estáveis socialmente, á nível educacional e que estejam felizes pelo pouco que têm.”