Jovem com deficiência não desiste de estudar devido a pandemia da COVID-19

Doris passa a maior parte do seu tempo em conversa com os irmão e a estudar pois, o seu sonho é um dia ser engenheiro informáfico para arranjar computadores.

Claudio Fauvrelle
Jovem com deficiência não desiste de estudar devido a pandemia da COVID-19
Light for the World/2020

14 Maio 2020

Sofala - A pandemia da COVID-19 obrigou o encerramento das escolas por quase todo o mundo, incluindo Moçambique, e para ultrapassar isso, as crianças estão a ter aulas a partir de casa pela televisão, pela rádio ou com ajuda dos seus pais e encarregados de educação. Mesmo assim, tem sido complicado para algumas crianças, principalmente para as que têm deficiência e as que vivem em zonas com acesso limitado a estes meios, como é o caso de Doris Zambo Carlos, de 23 anos de idade, que vive no distrito de Búzi, na província de Sofala.

Doris tem uma deficiência física que começou quando tinha 3 anos. Aos 14 anos de idade, Doris conseguia apenas andar com muletas, mas sua situação piorou e ele perdeu os movimentos nos pés e precisou de cadeira de rodas para se locomover.

Hoje com 23 anos de idade, Doris frequenta a 7ª classe, e por causa do encerramento das escolas, ele se orienta através de brochuras que os professores preparam semanalmente.

 

É um pouco difícil ter todas as brochuras porque nem sempre minha mãe consegue dinheiro para as cópias, o sustento dela é a sua machamba que foi afectada pelo ciclone Idai e não produz o suficiente. Mas eu não quero desistir da escola, quando não consigo copiar as brochuras, eu espero que um dos meus colegas termines às dele para poder me emprestar.
Light for the World/2020

É um pouco difícil estudar agora, mas eu não quero desistir da escola.

Doris Zambo Carlos, de 23 anos de idade.

“É um pouco difícil ter todas as brochuras porque nem sempre minha mãe consegue dinheiro para as cópias, o sustento dela é a sua machamba que foi afectada pelo ciclone Idai e não produz o suficiente. Mas eu não quero desistir da escola, quando não consigo copiar as brochuras, eu espero que um dos meus colegas termines às dele para poder me emprestar, as vezes fico com matérias atrasadas, mas ainda assim é melhor que nada,” disse Doris.

Doris passa a maior parte do seu tempo em conversa com seus irmãos e a estudar pois, o seu sonho é um dia ser engenheiro informáfico para arranjar computadores, máquinas electrónicas, celulares e outros equipamentos.

Para garantir que as pessoas com deficiência e suas famílias tenham informação sobre os métodos de prevenção contra a COVID-19, a Light for the World, com o generoso financiamento do Governo da Noruega e do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF), está a formar activistas do programa de Reabilitação Baseada na Comunidade a nível dos distritos de Dondo, Nhamatanda, Gorongosa e Búzi, na província de Sofala, para que possam por sua vez, sensibilizar estas pessoas que são consideradas um grupo de alto risco devido a sua condição. Também foram apoiados no distrito de Búzi, cerca de 5,070 famílias de pessoas com deficiência com bens alimentícios, produtos de higiene, mantas e redes mosquiteiras, como forma de garantir que as pessoas com deficiência e suas famílias, não sejam duplamente afectadas pela pandemia do coronavírus.