Temos de dar prioridade às raparigas na nossa recuperação da COVID-19

Declaração da Directora Executiva do UNICEF Catherine Russell no Dia Internacional da Mulher

08 Março 2022
Temos de dar prioridade às raparigas na nossa recuperação da COVID-19
UNICEF/MOZA2021-01256/Ricardo Franco

NOVA IORQUE, 8 de Março de 2022 - "No Dia Internacional da Mulher, reconhecemos os ganhos duramente conquistados pela comunidade internacional para as mulheres e raparigas do mundo. Celebramos os feitos notáveis das mulheres e raparigas nas nossas sociedades. E redobramos o nosso empenho em estender esses ganhos a todas as raparigas, em todo o lado. 

"Mas a luta pela igualdade de género está longe de ter terminado. De facto, mesmo antes da COVID-19, a desigualdade de género persistiu como a injustiça mais generalizada e significativa do nosso tempo. Mas esta injustiça tem sido multiplicada pelos impactos da pandemia.    

"Ao entrarmos num terceiro ano da COVID-19 e ao trabalharmos para uma era pós-pandémica, a verdadeira recuperação deve ser igualitária em termos de género.

"A COVID-19 está a devastar a vida das raparigas. O encerramento de escolas, o stress económico e as interrupções dos serviços estão a colocar em risco a saúde, o bem-estar e o futuro das raparigas mais vulneráveis. A nível mundial, mais de 11 milhões de raparigas podem nunca mais voltar à escola depois da pandemia. Mais 10 milhões de raparigas estão em risco de uniões prematuras durante a próxima década. E, de acordo com o UNFPA, poderão ocorrer mais dois milhões de casos de mutilação genital feminina. 

"Como os lockdowns forçam as crianças a passar mais tempo nas suas casas, as raparigas estão a suportar mais do trabalho doméstico. Muitas são forçadas a ficar em aposentos fechados com um perpretador de abusos, separadas dos serviços e comunidades que as ajudam a proteger. A violência baseada no género, incluindo a violência sexual, está a aumentar.  

"Não podemos deixar que uma geração de raparigas suporte o custo desta pandemia para o resto das suas vidas. Ao trabalharmos para uma era pós-pandémica, as raparigas devem estar no centro da resposta global, nacional e local a uma pandemia e dos planos de recuperação.   

"Isso significa manter as escolas abertas para permitir que as raparigas retomem a sua educação, e investir em recursos para ajudar as que ficaram para trás a recuperar o atraso.  

"Significa reinvestir na saúde e educação das raparigas, incluindo na sua saúde e direitos sexuais e reprodutivos, e melhorar o acesso das raparigas a serviços de saúde e higiene menstrual de qualidade.  

"Significa proteger as raparigas de todas as formas de violência, incluindo práticas nocivas como as uniões prematuras e a mutilação genital feminina.  

"Raparigas com poder de progresso. As raparigas de todo o mundo defendem os seus direitos e exigem exactamente este tipo de medidas. Precisamos de ouvir. A estabilidade global, a paz e a prosperidade dependem disso.    

"No Dia Internacional da Mulher, vamos empenhar-nos numa recuperação pós COVID-19 centrada nas raparigas que ajude a criar um mundo pós-pandémico mais justo e igual para as raparigas, e um futuro mais brilhante, mais pacífico e próspero para todos nós". 

 

Contacto para os media

Gabriel Pereira
Communication Officer
UNICEF Moçambique
Telefone: +258 82 316 5390

Sobre o UNICEF

O UNICEF trabalha em alguns dos lugares mais difíceis do mundo, para chegar às crianças mais desfavorecidas. Para salvar as suas vidas. Para defender os seus direitos. Para ajudá-las a alcançar o seu verdadeiro potencial. Presentes em 190 países e territórios trabalhamos para cada criança, em qualquer parte, todos os dias, para construirmos um mundo melhor para todos. E nunca desistimos. Para mais informação sobre o UNICEF e seu trabalho para cada criança, visite www.unicef.org.mz

Siga as actividades do UNICEF no Twitter e Facebook