Desenvolvimento inclusivo na Primeira Infância debatido em Moçambique

02 Dezembro 2019
Desenvolvimento inclusivo na Primeira Infância debatido em Moçambique
UNICEF Mozambique/2019/Claudio Fauvrelle

MAPUTO, 2 de Dezembro de 2019 – O primeiro workshop de produção de material realizado em Moçambique sobre o Desenvolvimento da Primeira Infância (DPI) concluiu seus trabalhos no Sábado com a apresentação de materiais de educação e comunicação holísticos para crianças pequenas, que serão utilizados em todo o país. Tais materiais serão utilizados num movimento para promover o cuidado de crianças e adolescentes, incentivar os pais e cuidadores de crianças no início da educação de seus filhos e crianças nos primeiros anos de vida. 

O workshop, organizado pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) e pela Rede Nacional de DPI, decorreu durante seis dias em Maputo e reuniu especialistas em educação da primeira infância, talentos e artistas criativos, trabalhadores da linha de frente e parceiros para, numa oficina altamente interactiva e criativa, elaborar e desenvolver materiais sobre o desenvolvimento da primeira infância de padrão internacional. O workshop teve como base materiais de primeira qualidade que já foram testados em mais de 30 países ao redor do mundo e muitas das produções desses materiais de educação e entretenimento ganharam prémios nacionais ou internacionais. Eles também foram traduzidos para outras línguas (p.e. língua de sinais) e formatos de comunicação social.

O evento desta natureza aconteceu pela primeira vez num país de língua portuguesa e, portanto, Moçambique está liderando o caminho na criação de materiais de DPI que podem ser usados em todo o país e além-fronteiras.

“Ver criatividade e inovação como esta é tão empolgante”, disse Marcoluigi Corsi, Representante do UNICEF em Moçambique. "Este workshop realmente reuniu os melhores talentos em Moçambique de vários sectores e esses materiais terão uma influência na vida das crianças nos próximos anos", continuou ele.

As iniciativas e programas de desenvolvimento da primeira infância geralmente concentram-se em crianças de 0 a 8 anos; no entanto, em Moçambique, o foco será em crianças de 0 a 5 anos nesta fase inicial de implementação. Os resultados e benefícios gerais de DPI incluem crianças que se tornam fisicamente mais saudáveis, mais emocionalmente seguras, mais socialmente competentes e mais intelectualmente curiosas. No entanto, há evidências de que as intervenções de DPI também têm um efeito positivo na economia de um país. De acordo com um estudo realizado pelo The Lancet em 2011, um aumento de 50% nas matrículas no nível pré-escolar em países de baixa e média renda poderia gerar benefícios de 15 a 34 mil milhões de dólares dos EUA, a uma taxa de retorno entre 6:1 e 17:1, dependendo da percentagem de crianças matriculadas.

Mas existem desafios tanto em Moçambique como no continente africano em termos de integração do desenvolvimento da primeira infância. Aproximadamente 66% de todas as crianças menores de 5 anos na África Subsaariana estão em risco de maus resultados no desenvolvimento devido à pobreza e à desnutrição crónica (baixa estatura para a idade). Como resultado, eles terão pior cognição, piores resultados educacionais, menor renda, maior fertilidade e menor saúde e nutrição na sobrevivência infantil. O nível de desnutrição moderada a grave em Moçambique, actualmente, é de 43% e o nível de educação pré-escolar é de apenas 4%.

“O argumento para expandir os programas de desenvolvimento da primeira infância em qualquer sociedade é muito forte”, diz Barbara Kolucki, facilitadora do workshop de Maputo e especialista em DPI. "A neurociência nos diz que o cérebro de um bebé está formando novas conexões a uma taxa espantosa de um milhão de conexões por segundo. Este período na vida de uma criança pequena é um momento crítico para o desenvolvimento saudável do cérebro. Mas esse desenvolvimento está intimamente ligado à saúde e ao nível de nutrição da criança, e ainda há progresso a ser feito em Moçambique para melhorar as condições das crianças que permitem que as intervenções de DPI floresçam ”, concluiu Kolucki.

O UNICEF e os parceiros estão comprometidos em expandir suas actividades de DPI, trabalhando em estreita colaboração com os ministérios do governo para melhorar ainda mais a educação e o desenvolvimento das crianças de Moçambique.
 
 

###

 

Nota para os Editores


A principal facilitadora deste workshop é a Sra. Barbara Kolucki, Consultora de longa data do UNICEF e Especialista  em DPI, CpD, Media e Crianças com Deficiência, com mais de 30 anos de experiência trabalhando em África, Ásia, Europa e EUA, ajudando os participantes a desenvolver uma comunicação de classe mundial. Ela foi a primeira Directora de Programas da Vila Sésamo a introduzir crianças e adultos com deficiência no programa de TV e facilitar a utilização e mobilização de parceiros-chave para aprimorar o aprendizado e as habilidades holísticas das crianças.

Contacto para os media

Gabriel Pereira

Communication Officer

UNICEF Moçambique

Telefone: +258 82 316 5390

Claudio Fauvrelle

Communication Officer

UNICEF Moçambique

Telefone: +258 82 305 1990

Sobre o UNICEF

O UNICEF trabalha em alguns dos lugares mais difíceis do mundo, para chegar às crianças mais desfavorecidas. Para salvar as suas vidas. Para defender os seus direitos. Para ajudá-las a alcançar o seu verdadeiro potencial. Presentes em 190 países e territórios trabalhamos para cada criança, em qualquer parte, todos os dias, para construirmos um mundo melhor para todos. E nunca desistimos. Para mais informação sobre o UNICEF e seu trabalho para cada criança, visite www.unicef.org.mz

Siga as actividades do UNICEF no Twitter e Facebook