Semana Mundial de Imunização 2019: #VacinasFuncionam

Descubra como as vacinas mantêm suas crianças e suas comunidades seguras

Uma criança sorri enquanto recebe vacina contra sarampo e rubéola durante uma campanha de vacinação móvel apoiada pelo UNICEF em Aden, Iêmen, em 9 de fevereiro de 2019.
UNICEF/UN0284427/Fadhel

#VaccinesWork

As vacinas funcionam como um escudo, protegendo crianças e recém-nascidos de doenças perigosas e poupando até 3 milhões de vidas a cada ano.

No entanto, no mundo hoje, ainda existem quase 20 milhões de crianças não vacinadas e/ou que não receberam todas as doses devidas de uma vacina. Essas crianças correm o risco de doenças graves, complicações e até morte.

Muitos pais querem vacinar seus filhos, mas não conseguem porque não têm acesso aos serviços de saúde. Mas, cada vez mais, alguns pais estão optando por não fazê-lo.

Essa relutância geralmente origina-se de concepções errôneas sobre vacinas ou complacência sobre a probabilidade de se infectar. Por isso, ficar informado sobre os benefícios das vacinas – e os riscos de não se vacinar – é mais importante do que nunca.

Nesta Semana Mundial da Imunização, o UNICEF lançou uma campanha global para enfatizar o poder e a segura das vacinas entre os pais e os usuários das redes sociais.


De 24 a 30 de abril, a Fundação Bill & Melinda Gates contribuirá com US$ 1 para o UNICEF a cada curtida ou compartilhamento de postagens em redes sociais usando a hashtag #VaccinesWork, até o teto de US$ 1 milhão, para garantir que todas as crianças recebam as vacinas necessárias.

Link para o vídeo em seu site de origem
UNICEF Brasil
Vejam o recado de Cristina Albuquerque, chefe de Saúde e Desenvolvimento Infantil do UNICEF no Brasil.

Ajude a proteger as crianças de doenças mortais dizendo aos pais em todo o mundo que #VacinasFuncionam (#VaccinesWork)!

O UNICEF e seus parceiros apoiam programas de imunização em mais de 100 países.

Em 2018, o UNICEF atingiu quase metade das crianças do mundo com vacinas que salvam vidas.
Você também pode ajudar a realizar o direito das crianças à sobrevivência e à boa saúde.