Imprensa

Notícias

Notícias de 2016

Notícias de 2015

Notícias de 2014

Notícias de 2013

Notícias de 2012

Notícias de 2011

Notícias de 2010

Notícias sobre o Haiti

Notícias de 2009

Notícias de 2008

Notícias de 2007

Concurso Adobe Youth Voices Aspire Awards UNICEF Challenge

Concurso infanto-juvenil de vídeos de um minuto

Materiais para radialistas

Dia Internacional da Criança no Rádio e na TV

Discursos do Representante do UNICEF no Brasil

Artigos

Outros discursos

Expresso 227

Contatos

 

Mais de 180 milhões de pessoas não têm água potável em países devastados por conflitos ou instabilidades – UNICEF

Crianças que vivem em situações frágeis têm quatro vezes mais chance de não ter acesso a água potável

Nova Iorque/Estocolmo, 29 de agosto de 2017 – Mais de 180 milhões de pessoas não têm acesso a serviços básicos de água potável em países afetados por conflitos, violência e instabilidade* em todo o mundo, alertou o UNICEF hoje, durante a Semana Mundial da Água.

"O acesso das crianças a água potável e saneamento, especialmente em conflitos e emergências, é um direito, não um privilégio", disse Sanjay Wijesekera, chefe global de Água, Saneamento e Higiene do UNICEF. "Nos países atingidos por violência, deslocamento, conflito e instabilidade, o meio mais básico de sobrevivência das crianças – a água – deve ser uma prioridade".

As pessoas que vivem em situações frágeis têm quatro vezes mais chance de não ter água potável do que as populações em situações não frágeis, de acordo com uma recente análise do UNICEF e da Organização Mundial da Saúde (disponível somente em inglês). Dos cerca de 484 milhões de pessoas que viviam em situações frágeis em 2015, 183 milhões não possuíam serviços básicos de água potável.

No Iêmen, um país instável pelo impacto de mais de dois anos de conflito, as redes de abastecimento de água que atendem suas maiores cidades estão em risco iminente de colapso devido a danos e dilapidações infligidos pela guerra. Cerca de 15 milhões de pessoas no país deixaram de ter acesso regular a água e saneamento.

Na Síria, onde o conflito atinge o sétimo ano, aproximadamente 15 milhões de pessoas necessitam água potável, incluindo cerca de 6,4 milhões de crianças. A água tem sido frequentemente usada como uma arma de guerra. Somente em 2016, houve pelo menos 30 cortes de água deliberados – inclusive em Alepo, Damasco, Hama, Raqqa e Dara, com bombas destruídas e fontes de água contaminadas.

Nas áreas afetadas pelo conflito no nordeste da Nigéria, 75% da infraestrutura de água e saneamento foi danificada ou destruída, deixando 3,6 milhões de pessoas sem sequer serviços básicos de água.

No Sudão do Sul, onde os combates se estendem por mais de três anos, quase a metade dos pontos de água em todo o país foi danificada ou completamente destruída.

"Em muitos casos, os sistemas de água e saneamento foram atacados, danificados ou dilapidados até o colapso. Quando crianças não têm água segura para beber e quando os sistemas de saúde são deixados em ruínas, desnutrição e doenças potencialmente fatais, como cólera, inevitavelmente virão", disse Wijesekera.

No Iêmen, por exemplo, as crianças constituem mais de 53% dos mais de meio milhão de casos de suspeita de cólera e diarreia líquida aguda relatados até o momento. A Somália sofre o maior surto de cólera dos últimos cinco anos, com aproximadamente 77 mil casos de suspeita de cólera/diarreia líquida aguda. E, no Sudão do Sul, o surto de cólera é o mais grave que o país já viveu, com mais de 19 mil casos desde junho de 2016.

Nos já ameaçados pela fome nordeste da Nigéria, Somália, Sudão do Sul e Iêmen, quase 30 milhões de pessoas, incluindo 14,6 milhões de crianças, precisam urgentemente de água potável. Estima-se que mais de 5 milhões de crianças estejam desnutridas neste ano, com 1,4 milhão de casos severos.

###

* De acordo com a lista harmonizada do Banco Mundial de situações frágeis (disponível em inglês).

Sobre o UNICEF – O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) trabalha em alguns dos lugares mais difíceis do planeta, para alcançar as crianças mais desfavorecidas do mundo. Em 190 países e territórios, o UNICEF trabalha para cada criança, em todos os lugares, para construir um mundo melhor para todos.

Acompanhe nossas ações no Facebook, Twitter, Instagram e Youtube.

Você também pode ajudar o UNICEF em suas ações. Faça uma doação agora.

Fotos e vídeos disponíveis para download: http://weshare.unicef.org/Package/2AMZIFLPXK4D

Para mais informações:
Pedro Ivo Alcantara, UNICEF Brasil, (61) 3035 1947, pialcantara@unicef.org
Elisa Meirelles Reis, UNICEF Brasil, (61) 3035 1979
Joe English, UNICEF Nova Iorque, +1 917 893 0692, jenglish@unicef.org
James Elder, Escritório Regional do UNICEF em Nairóbi, +254 71558 1222, jelder@unicef.org
Thierry Delvigne-Jean, Escritório Regional do UNICEF em Dakar, +221 77 819-2300, tdelvignejean@unicef.org
Tamara Kummer, Escritório Regional do UNICEF em Amã, +962 797 588 550, tkummer@unicef.org
Marixie Mercado, UNICEF Genebra, +41 79 559 7172, mmercado@unicef.org

 

 
unite for children