Imprensa

Notícias

Notícias de 2017

Notícias de 2016

Notícias de 2015

Notícias de 2014

Notícias de 2013

Notícias de 2012

Notícias de 2011

Notícias de 2010

Notícias de 2009

Notícias de 2008

Notícias de 2007

Materiais para radialistas

Contatos

 

ONU e Governo Brasileiro promovem ações de segurança alimentar e nutricional em comunidades indígenas

© UNICEF/BRZ/Daniela Silva

Brasília, 9 de agosto – As Nações Unidas em parceria com o Governo Brasileiro estão executando o Programa Conjunto de Segurança Alimentar e Nutricional de Mulheres e Crianças Indígenas no Alto Rio Solimões (AM) e em Dourados (MS), com o propósito de garantir os direitos à saúde e à alimentação saudável para a população indígena das duas regiões.

No Dia Internacional dos Povos Indígenas, 9 de agosto, vale lembrar que o Brasil e os outros 192 países-membros das Nações Unidas se comprometeram a alcançar os oito Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) até 2015, e o Programa Conjunto de Segurança Alimentar e Nutricional é uma das ações em curso no País com o propósito de contribuir com os avanços brasileiros em torno destes objetivos, especialmente, os referentes à redução da fome e das taxas de mortalidade infantil.
O Programa Conjunto tem sido realizado, desde o ano passado, por cinco agências da ONU (FAO, OIT, OMS/Opas, PNUD e UNICEF), em parceria com o Governo Brasileiro, representado pela Fundação Nacional do Índio (Funai); Ministério da Saúde (MS); Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS) e Agência Brasileira de Cooperação (ABC).

O projeto foi aprovado e é financiado pelo Fundo Espanhol para o Alcance dos ODM, além de contar com parcerias de instituições públicas locais, universidades, entidades da sociedade civil, lideranças e organizações indígenas envolvidas na implementação das ações.

A partir de demandas das comunidades e prioridades estabelecidas nos programas governamentais do Brasil, desde 2010, o Programa Conjunto tem apoiado a qualificação e integração de políticas públicas voltadas para a segurança alimentar e nutricional nas duas regiões, especialmente nas áreas da saúde, da alimentação e do desenvolvimento social em nível local, com a finalidade de garantir direitos e promover a equidade.

Em uma dimensão mais ampla, o projeto contribui para o empoderamento dos povos indígenas com relação à Declaração dos Direitos dos Povos Indígenas da ONUe à Convenção n°169 da OIT, além do alcance dos ODM.

Atividades – Entre as ações já realizadas, está o fortalecimento do Sisvan (Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional) nas áreas indígenas do Alto Solimões e Dourados, com a realização de cursos para os profissionais de saúde indígenas e não-indígenas, distribuição de 290 balanças para uso durante as visitas domiciliares, além de terem sido pactuadas a inclusão do indicador altura/idade e adoção das curvas de crescimento enquanto rotina dos serviços de saúde indígena.

Também estão em curso ações de fortalecimento da promoção do aleitamento materno e alimentação complementar em ambas as regiões de atuação do Programa, que podem se tornar piloto para a Rede de Aleitamento Materno e Alimentação Complementar na perspectiva da Saúde Indígena.

Com o objetivo de melhorar a segurança alimentar e nutricional dos povos indígenas, o Programa Conjunto tem incentivado ainda a troca de experiências e intercâmbios entre os indígenas das regiões do Alto Rio Solimões, Dourados e outras etnias. Eles têm conhecido projetos de conservação da agrobiodiversidade, já participaram de feiras de sementes tradicionais, cursos de hortas escolares, capacitação para mulheres indígenas sobre elaboração de projetos comunitários e ações de estruturação de cadeias produtivas, recuperação de áreas degradadas (sistemas agroflorestais) e de tanques de piscicultura.

Outra preocupação do Programa Conjunto é com a humanização nos serviços públicos de saúde, contemplando a valorização da cultura indígena. Nesse sentido, foram realizadas oficinas de diagnóstico e, este mês, será realizado um encontro sobre “Etnicidade e Humanização na Saúde Indígena”, em sintonia com as diretrizes das Políticas Nacional de Atenção a Saúde Indígena e Nacional de Humanização (PNH).

O Programa Conjunto tem favorecido ainda o intercâmbio entre conhecimentos indígenas e não indígenas, com ênfase nos cuidados e direitos dos povos indígenas, especialmente, crianças e mulheres, durante Oficinas de Troca de Saberes sobre Direitos e Cuidados com as Crianças de Zero a Seis anos e Disseminação da Convenção nº 169 da OIT.

Articulações – No âmbito da Comissão Nacional de Erradicação do Trabalho Infantil (ConatiI), o Programa Conjunto contribuiu com a formação de um grupo de estudos sobre trabalho infantil e infância indígena. Representantes dos povos indígenas das regiões do programa têm sido incentivados a participar ainda das reuniões da Comissão Permanente de Povos Indígenas e das plenárias do Conselho Nacional de Segurança Alimentar (Consea).

Além disso, o Programa Conjunto está colaborando para o fortalecimento institucional da Funai e Coordenações Regionais. Foram contratados três consultores para trabalharem na Sede e nas Regionais da fundação, em Alto Solimões/AM e Dourados/MS, com o objetivo de integrar e articular as ações no território. Os três profissionais contribuirão ainda com o sistema de monitoramento e avaliação da situação de segurança alimentar e nutricional dos povos indígenas. Essa atividade subsidiará a iniciativa já contemplada no Plano Plurianual (PPA) 2011-2014 do Programa de Promoção e Proteção aos Direitos dos Povos Indígenas. O Programa Conjunto também fez o resgate de importantes mapeamentos etnoecológicos para referenciar o desenvolvimento de ações.

Por meio de articulações, o Programa Conjunto apoiou a instalação de uma sucursal do cartório no interior do Hospital de Benjamin Constant com o propósito de combater o sub-registro de nascimento e garantir o direito da criança indígena de ter o nome na língua materna expresso no documento. Outros municípios da região já estão replicando a iniciativa com o apoio do governo do Estado.

Ainda este ano, adolescentes indígenas participarão de oficinas de comunicação, com o intuito de fomentar a participação social dessa população. A partir de debates, reflexões e noções de ferramentas de comunicação, espera-se que os adolescentes se envolvam com a temática da segurança alimentar e nutricional, na perspectiva dos direitos humanos e dos povos indígenas. As ações do Programa Conjunto continuarão até, pelo menos, final de 2012.

Mais informações:
Daniela Silva, Ponto focal de comunicação do Programa Conjunto Segurança Alimentar e Nutricional de Crianças e Mulheres Indígenas.
92 3632-1829 | 92 3642-8016 | 92 9261-0856 | dsilva@unicef.org

 

 
unite for children

O UNICEF (Fundo das Nações Unidas para a Infância) é uma parte integral das Nações Unidas. A missão do UNICEF é promover os direitos e bem-estar de todas as crianças em tudo o que fazemos e, junto com nossos parceiros, traduzir esse compromisso em ações práticas em benefício das crianças de todos os lugares. Nossos programas dependem integralmente de contribuições voluntárias de pessoas físicas e organizações, além dos fundos arrecadados por meio de nossas atividades, como a venda de produtos licenciados. O UNICEF é isento de todos os impostos diretos no Brasil sob os direitos internacionais e brasileiros.

Para mais informações relacionadas à sua doação, entre em contato no 0800-605-2020 ou pelo e-mail amigodacrianca@unicef.org

Para informações de privacidade, acesse nossa política de privacidade.

CNPJ: 03744126/0001-69