Volta às aulas com segurança e esperança

Para apoiar na prevenção da covid-19 nesta volta às aulas presenciais, UNICEF e Hidrovias do Brasil entregaram 24 estações de lavagem de mãos em escolas no Pará

UNICEF Brasil
Foto mostra uma menina de uniforme escolar lavando as mãos. A estação de lavagem de mãos tem desenho do Mauricio de Sousa e os logos do UNICEF e Hidrovias do Brasil
UNICEF/BRZ/Nay Jinknss
01 abril 2022

Ludmila Silva, de 10 anos, retornou às aulas recentemente depois de um longo período em casa. Ela estuda na Escola Municipal de Ensino Infantil e Fundamental Maria Cecilia Vasconcelos Ribeiro, na cidade de Barcarena, no Pará. A escola iniciou suas atividades em 2019, apenas alguns meses antes do início da pandemia de covid-19 no País, e logo precisou fechar as portas para se adaptar à nova realidade. Para Ludmila, esse período foi muito difícil. “Eu estava estudando em casa, mas sempre sentindo falta da escola”, lembra. “Era um pouquinho ruim, é só você estudando”, diz. Agora, voltando para o ensino presencial, a menina define seu sentimento em uma palavra: “Emocionada”.

Para apoiar a volta de estudantes como Ludmila às aulas presenciais em segurança, o UNICEF, em parceria com Hidrovias do Brasil, entregou cerca de 24 estações de lavagem de mãos para 24 escolas nos municípios de Barcarena, Itaituba, Almerim e Mocajuba, no Pará, incluindo a Escola Municipal Maria Cecilia. “Se proteger da covid-19 é o certo, porque ela tira a nossa vida”, explica Ludmila. “Eu estou lisonjeada por voltar. Eu quero que não aconteça outra pandemia, que a gente sempre fique aqui, que eu vá crescendo nesta escola e eu tenha um futuro grande. E lavem suas mãos”, deixa o recado.

O sentimento de felicidade da menina foi resultado de vários esforços para garantir aos estudantes um ambiente escolar seguro para recuperação da aprendizagem. Para a gestora da Escola Maria Cecilia, Josi Rodrigues, o período de pandemia deixou inúmeras preocupações, uma delas foi o sentimento de insegurança do retorno dos alunos à rotina presencial.

“O nosso retorno foi precedido por uma preparação para receber os alunos. Investimos em comunicação, proteção, busca ativa, pois muitos pais ainda tinham medo de trazer seus filhos para a escola”, lembra. A essas iniciativas agora somam-se também as estações de lavagem de mãos. “Foi muito doloroso ver a escola vazia, eu pensei que passaríamos apenas alguns dias. Hoje, ouvir os gritos, as risadas fortes dentro da escola é um sentimento de gratidão”, comemora.

Foto mostra uma menina pequena de uniforme escolar ao lado de uma lavagem de mão com os logos do UNICEF e Hidrovias do Brasil e de desenhos do Mauricio de Sousa
UNICEF/BRZ/Nay Jinknss

A Creche Maria Lúcia, no mesmo município, também enfrentou dificuldades para a volta às aulas durante a pandemia. Muitas crianças estão indo para a escola pela primeira vez, após passar mais de dois anos apenas no convívio familiar. Para tornar esse retorno mais divertido e priorizando a prevenção da covid-19, a creche recebeu as estações de lavagem de mãos entregues pelo UNICEF e Hidrovias do Brasil. “[A entrega das estações] foi muito divertida para eles e algo novo. Todo mundo queria participar, lavar a sua mãozinha, até mesmo porque [a estação] foi adaptada para o tamanho deles, isso é muito importante”, comenta a gestora da creche, Cláudia Monteiro.

Aos poucos, a escola e as crianças têm se adaptado e Cláudia está esperançosa com essa nova rotina. “Nós podemos acreditar nesse retorno. Acreditar não que será como antes, mas no novo, que nós temos que inovar”, explica. “A sensação de voltarmos às aulas foi de muita alegria, não somente nossa, mas dos alunos e dos pais, um momento muito prazeroso e significativo para todos. Foi muita satisfação ver a nossa creche novamente viva, porque a escola ela é viva, ela é movimento”, comemora.