"Tive que optar por proteger os meus filhos"

Moradora da Zona Oeste do Rio de Janeiro, Carolina Terto da Silva revela o desafio de garantir a saúde da família diante da epidemia da Covid-19

UNICEF Brasil
02 junho 2020

A família de Carolina foi uma das beneficiadas da doação de 1,5 milhão de sabonetes realizada pela Jonhson’s em parceria com o UNICEF em três capitais brasileiras.

Com 32 anos, dona de casa e técnica de enfermagem por formação, a carioca Carolina Terto é apenas um dos muitos bons exemplos de força e adaptação às dificuldades criadas pela pandemia do novo coronavírus.

Desde que a epidemia chegou ao Rio, Carol tem se dedicado a cuidar de seus dois filhos, um de 12 e outro de 15 anos – o mais velho é autista. Ela é responsável ainda por cuidar do seu cunhado, de 38 anos, também autista. Certamente, não tem sido nada fácil adaptar a rotina. "Eles adoram estar na rua, no parque, na praia... essa era nossa rotina. Agora, eles ficam aborrecidos, não entendem o porquê de estar em casa. Tento criar novas atividades dentro de casa".

Como técnica de enfermagem, Carolina se via correndo riscos fora de casa. Trabalhando em hospitais, a chance de contaminação era grande. "Tive que optar entre preservar a mim e meus filhos ou estar no trabalho exposta ao vírus. Preferi ficar em casa, tomar conta deles e evitar pegar o vírus".

Nesta fase, todo apoio tem sido bem-vindo. A família de Carolina foi uma das 125 mil famílias beneficiadas pela doação de 1,5 milhão de sabonetes realizada pela Johnson’s em parceria com o UNICEF. No mês de maio, foram distribuídos a diferentes comunidades e instituições nas cidades de Fortaleza, Rio de Janeiro e São Paulo, buscando alcançar as famílias mais vulneráveis. No Rio, 554 mil sabonetes foram entregues a famílias vulneráveis, população em situação de rua e adolescentes no sistema socioeducativo, com apoio do Cieds e de outras oito instituições locais. Em Fortaleza, quase 200 mil sabonetes estão sendo distribuídos em parceria com o Iprede. Em São Paulo, 777 mil sabonetes estão chegando às comunidades mais vulneráveis graças à Sociedade Santos Mártires e outras organizações comunitárias.

"Fui contemplada com uma cesta básica, que veio com os sabonetes, o que foi muito bom. Com duas crianças em casa, a demanda é muito grande: banho, limpeza... A doação foi de grande ajuda", destaca Carolina.

Nas três cidades, junto com os sabonetes, foram distribuídos 125 mil folhetos informativos produzidos pelo UNICEF. O primeiro deles, criado em parceria com a Mauricio de Sousa Produções, com dicas de prevenção ao novo coronavírus e também de cuidados com a saúde mental e o bem-estar das crianças. O segundo, numa parceria com Congemas, traz informações sobre o auxílio emergencial do governo federal.

Cuidados com a distribuição – A distribuição das doações tem sido um desafio para as organizações e lideranças comunitárias, junto com suas equipes e voluntários. "Estamos sempre de luva, máscaras, com álcool em gel, também oferecendo para a população que recebe os kits. Estamos sempre em lugares abertos, evitando aglomerações", descreve Joana Clemente, diretora do Iprede, em Fortaleza. "Muitas vezes, a população tem desconhecimento sobre o que fazer. Por isso, junto com os kits, a gente ressalta a importância do uso das máscaras e passa informações sobre prevenção. É olhando a família que a gente está ajudando as crianças", completa.