Sete maneiras de os empregadores apoiarem pais e mães que trabalham durante o surto de Covid-19

Crianças e adolescentes de todo o mundo precisam do apoio dos pais, mães e responsáveis agora. Quem tem criança em casa precisa de um apoio especial de seu empregador

UNICEF
um pai beija a cabeça do filho
UNICEF/BRZ/João Ripper
26 março 2020

As consequências do surto de doença por coronavírus (Covid-19) estão sendo sentidas em todo o mundo. Para muitas crianças e adolescentes, isso significa ter de lidar com fechamento das escolas, doenças na família e perda de renda familiar – coisas que afetam desproporcionalmente meninas e meninos das famílias mais pobres.

Pais, mães e responsáveis que trabalham o tempo precisam de apoio para cuidar de seus filhos e filhas. As políticas voltadas para a família no local de trabalho – como licença parental paga, licença médica paga, acordos de trabalho flexíveis e acesso a cuidados infantis de qualidade e acessíveis – ajudam a reduzir a carga sobre os adultos e, consequentemente, as crianças e os adolescentes.

Aqui estão sete maneiras de os empregadores apoiarem pais, mães e responsáveis que trabalham para que cuidem de si mesmos, de seus filhos e filhas e de suas famílias durante o surto de Covid-19:


1. Avaliem se as políticas atuais do local de trabalho apoiam efetivamente as famílias

As políticas existentes são de apoio suficiente para as famílias? Comece identificando as necessidades mais prementes de pais, mães e responsáveis, que trabalham. Deve-se focalizar especificamente grupos vulneráveis, como trabalhadores temporários, informais, migrantes, grávidas ou de enfermagem, trabalhadores com deficiência e aqueles que não têm acesso a benefícios como licença médica remunerada.


2. Concedam acordos de trabalho flexíveis

Arranjos de trabalho flexíveis dão liberdade aos trabalhadores sobre quando e onde cumprem suas responsabilidades profissionais. Como as necessidades de pais, mães e responsáveis que trabalham podem variar bastante, diferentes tipos de arranjos flexíveis de trabalho ajudam a cuidar de seus filhos e filhas e famílias. Os acordos de trabalho flexíveis incluem o trabalho remoto, a compactação da semana de trabalho ou a garantia de férias de longo prazo protegidas, para que os trabalhadores possam cuidar de parentes doentes, idosos ou que vivem com deficiência.


3. Apoiem pais e mães com opções de cuidados infantis de qualidade seguros, acessíveis e pelos quais possam pagar

À medida que o fechamento de escolas e creches se generaliza, muitos pais, mães e responsáveis que trabalham enfrentam opções limitadas ou inexistentes. Alguns podem até ser compelidos a deixar crianças menores com supervisão limitada, comprometendo sua segurança. Os empregadores podem apoiar esses pais, mães e responsáveis de várias maneiras, inclusive por meio de sistemas de referência de assistência à infância (em locais onde a assistência à criança permanece disponível e segura), subsídios e acordos de trabalho flexíveis.


4. Promovam uma boa higiene dentro e fora do local de trabalho

Para pais, mães e responsáveis que realizam tarefas essenciais no local de trabalho (sem opção de trabalho remoto), os empregadores podem protegê-los, mantendo locais de trabalho limpos e higiênicos e, onde as instalações para a lavagem de mãos não estiverem prontamente disponíveis, fornecendo locais com água corrente e sabão ou esponjas à base de álcool para que os trabalhadores lavem as mãos. As mães que trabalham devem ser apoiadas para continuar amamentando em salas de amamentação limpas e confortáveis. Os empregadores também podem ajudar a proteger todos os trabalhadores – incluindo aqueles que trabalham remotamente – compartilhando mensagens importantes sobre medidas de prevenção, orientações sobre viagens e maneiras de conversar com suas crianças sobre o vírus.

>> Tudo o que você precisa saber sobre lavar as mãos para se proteger da Covid-19


5. Forneçam aos trabalhadores orientação sobre como procurar apoio médico

Os empregadores podem ajudar a direcionar trabalhadores que podem estar com sintomas da Covid-19 a profissionais de saúde e serviços médicos. Por exemplo, os empregadores podem comunicar claramente os endereços e números de telefone de hospitais locais, autoridades de saúde e linhas diretas de emergência. Eles também podem fornecer aos trabalhadores orientações para transporte seguro até as unidades de saúde.


6. Ajudem os trabalhadores e suas famílias a lidar com o estresse

Os locais de trabalho devem fornecer apoio especial aos trabalhadores que se sentem ansiosos, confusos ou assustados durante o surto de Covid-19. Eles também podem apoiar pais, mães e responsáveis que estão ajudando as crianças e os adolescentes a lidar com a ansiedade e o medo. Os empregadores devem garantir que apenas informações de fontes confiáveis sejam compartilhadas e que todos os trabalhadores tenham acesso a serviços psicossociais. Eles também devem dar aos pais, mães e responsáveis que trabalham o tempo e os recursos necessários para confortar e cuidar de seus filhos e filhas. Isso inclui o fornecimento de ferramentas úteis que incentivam conversas, brincadeiras e outras formas de estímulo que as crianças precisam receber de seus cuidadores.

>> Como falar com as crianças sobre o coronavírus


7. Reduzam os encargos financeiros se os trabalhadores ou seus familiares adoecerem com o Covid-19

Reduzir os possíveis encargos financeiros do surto de Covid-19 para pais e mães que trabalham é fundamental. As medidas de apoio podem incluir proteção ao emprego, licença médica paga e transferências econômicas, como benefícios para crianças e subsídios para gastos com saúde. Grupos vulneráveis, como trabalhadores de baixa renda e informais, devem receber apoio especial.


Políticas familiares para todos

Fundamentalmente, os empregadores devem garantir que as políticas voltadas para a família se apliquem a todos os trabalhadores, independentemente de seu gênero ou status de emprego (sejam funcionários ou contratados, por exemplo). É essencial promover uma cultura na qual os trabalhadores se sintam confortáveis usando políticas sem medo de discriminação ou retaliação. Especialmente para as mulheres, que em muitos lugares assumem mais responsabilidades de cuidados do que os homens, devem ser tomadas medidas para garantir que as mães que trabalham não sejam penalizadas por suas decisões. Ao adotar e expandir políticas voltadas para a família, os empregadores têm um papel central a desempenhar no apoio ao bem-estar de pais, mães e responsáveis que trabalham e de suas crianças e seus adolescentes.