Relacionamentos tóxicos: você sabe identificar se está em um?

Entenda os sinais de um relacionamento tóxico e saiba como buscar ajuda

#tmjUNICEF*
11 agosto 2022

Tudo o que a gente quer é um relacionamento saudável, com construção de confiança, autonomia e respeito, mas... pode acontecer de acabarmos entrando numa relação abusiva sem que a gente perceba. Violências sutis ou explícitas podem se tornar constantes num relacionamento familiar, de trabalho, escola ou numa relação afetiva.

 

Você sabe identificar se estiver em um?

 

Um relacionamento tóxico é caracterizado pela falta de apoio mútuo, pela competição, desrespeito e, muitas vezes, pelo conflito. Ele mina a sua autoestima, faz você se sentir triste e enche você de culpa. Também passa a fazer com que o outro se sinta fragilizado em momentos difíceis, gerando insegurança e dependência por meio de um controle. Ele pode envolver múltiplas formas de violência: física, psicológica, emocional, financeira, sexual, entre outras. As relações tóxicas são profundamente desgastantes e prejudiciais para a saúde emocional das pessoas envolvidas — tanto em relacionamentos com sinais mais explícitos, quanto naqueles que apresentam características mais sutis de serem reconhecidas.

Entre os sinais que indicam um relacionamento tóxico, destacam-se a falta de apoio, a comunicação tóxica, ansiedade e medo, além de ciúmes, controle, ameaças, críticas disfarçadas de elogios e outros. Se você está em um relacionamento com alguns desses sinais, esse é o momento de procurar entender o que está havendo.

É muito difícil sair de um relacionamento abusivo, mas não tenha medo de buscar apoio nas pessoas em quem você confia. A terapia pode ser um caminho de cura  nesse processo, porque ajuda você a se descobrir e entender o que está sentindo e vivendo. Ninguém precisa passar por isso só! Lembre-se de amar a si primeiro. E jamais romper a sua rede de amizades, afetos e cuidados por causa de outra pessoa.

Se você está precisando desabafar sobre esse ou outro assunto, acesse o Pode Falar, canal de ajuda em saúde mental para adolescentes e jovens de 13 a 24 anos. Você pode teclar com atendentes treinados para uma escuta sem julgamentos, tudo anônimo e confidencial. Acesse podefalar.org.br ou pelo zap: (61) 9660-8843.