Professores vão além do “ABC” e formam leitores para a vida

Iniciativa é desenvolvida em 15 municípios pernambucanos a partir da formação de gestores, distribuição de acervos de literatura infantil e monitoramento contínuo

UNICEF Brasil
Seis crianças estão sentadas em frente a um letreiro com o nome Educação Integrada. Elas estão uniformizadas e seguram livros.
UNICEF/BRZ/Raoni Libório

30 Abril 2019

Jardins literários, contação de histórias e visitas a campo são algumas das vivências propostas pelo Programa de Educação Integrada (PEI) para contribuir para que todas as crianças sejam alfabetizadas com alegria, qualidade e na idade certa.

Três crianças pequenas, com uniforme escolar, estão de mãos dadas em um gramado. Em volta delas, há um varal com livros infantis pendurados.
UNICEF/BRZ/Raoni Libório

A partir de formações com equipes municipais, o programa estimula a construção de práticas mais apropriadas às formas de aprendizagem das crianças, com atividades lúdicas e interativas.

uma criança com  máscara de cachorro está dentro de uma sala de aula
UNICEF/BRZ/Alcione Ferreira

Em 2018, 3.495 professores, gestores e técnicos de 15 municípios pernambucanos participaram das formações, beneficiando diretamente 70.749 crianças. Ao longo do ano, 45 encontros presenciais foram realizados, sendo três em cada cidade.

Dez crianças, de diferentes idades, estão sentadas em volta de uma mesa escolar. Elas estão desenhando e pintando.
UNICEF/BRZ/Alcione Ferreira

Nesses momentos, os formadores apresentaram referências de práticas docentes comprometidas com uma aprendizagem inclusiva e estimularam a qualificação dos ambientes pedagógicos a partir da adoção de cantinhos de leitura e exposição das atividades realizadas pelas crianças nas salas de aula, entre outras iniciativas.

uma criança pequena está em um gramado, com um livro aberto no colo. Ao redor dela, em segundo plano desfocado, outras crianças também estão sentadas, lendo.
UNICEF/BRZ/Raoni Libório

O programa também distribuiu acervos de literatura infantil, sugerindo formas diferentes de abordar o conteúdo com os estudantes. A professora do município de Cabrobó (PE), Rita Maria dos Santos, aproveitou as orientações para desenvolver atividades relacionadas a um livro que tratava a temática de abuso sexual.

quatro estudantes uniformizados estão sentados no chão da sala de aula, eles seguram livros e cartolinas
UNICEF/BRZ/Raoni Libório

“Quando conheci o livro e as possibilidades de como discutir o assunto com meus alunos, fui atrás para replicar em sala de aula. Foi maravilhoso, pois eles tiveram um grande envolvimento e pudemos abordar essa temática tão importante”, ressaltou a professora.

uma professora está de perfil e olha para a câmera. ela segura um livro nas mãos.
UNICEF/BRZ/Alcione Ferreira

A estudante Luma Oliveira, 12 anos, de Timbaúba (PE), passou a se sentir motivada e aprendendo mais. “As aulas começaram a ficar mais interessantes e aprender ficou mais fácil. Agora, gosto muito de ir para a escola e sei que terei um bom futuro. Mudou a minha vida”, contou.

uma menina fala em um aparelho parecido com um telefone. Ela está uniformizada. Dentro da sala de aula.
UNICEF/BRZ/Alcione Ferreira

Uma das práticas desenvolvidas na turma de Luma foi o sussurrofone. Construído com canos de PVC, o objeto parece um telefone e ajuda o aluno na leitura uma vez que ouve com mais precisão a sua voz e as palavras.

Dois meninos estão falando em uma espécie de telefone feito de cano de PVC, enquanto leem. Eles estão em sala de aula, uniformizados.
UNICEF/BRZ/Alcione Ferreira

Pesquisas, entrevistas, pinturas, rodas de conversa e bilhetes são outras formas de ensino e aprendizagem estimuladas pelo programa. Exemplos de boas práticas desenvolvidas em 2018 foram selecionadas para participar do Seminário Estadual do Programa de Educação Integrada, realizado no mês de fevereiro de 2019.

um grupo de estudantes encena uma peça na escola
UNICEF/BRZ/Alcione Ferreira

Professores e alunos apresentaram suas vivências, trocaram experiências e foram reconhecidos como protagonistas desses resultados. Ao contribuir com o aprendizado no tempo certo, o PEI busca também colaborar com o enfrentamento do analfabetismo, da distorção idade-série e da exclusão escolar em Pernambuco.

Dois meninos conversam em sala de aula. Eles estão sorrindo. Um deles segura um livro.
UNICEF/BRZ/Alcione Ferreira

O Educação Integrada é desenvolvido pela Secretaria Estadual de Educação de Pernambuco, conta com a parceria técnica do UNICEF e tem a Celpe como parceiro financiador.