“Como vou comprar se não posso pagar?”

UNICEF e parceiros distribuem 6 mil kits de limpeza doados pela Ipiranga e Iconic a famílias que enfrentam dificuldades para seguir as recomendações de prevenção ao novo coronavírus

UNICEF Brasil
01 junho 2020

O Complexo do Arará é um conjunto de comunidades localizado na Zona Norte da cidade do Rio de Janeiro. Ali, mulheres chefe de família são uma constante. Muitas são empregadas domésticas, faxineiras ou trabalhadoras informais. Com a chegada da pandemia de Covid-19, muitas perderam o emprego ou a renda. Diante das dificuldades financeiras, muitas priorizam a alimentação de suas famílias e, com isso, faltam produtos de limpeza. Quem explica é Maria Aparecida Viera Ribeiro, líder comunitária do Movimento de Mulheres do Parque Horácio, atuante na região.

A boa notícia é que, na última semana de maio, a associação começou a distribuir kits com materiais de limpeza para famílias da vizinhança. A entrega faz parte de uma doação realizada pela Ipiranga e Iconic Lubrificantes, em parceria com o UNICEF, para famílias vulneráveis na capital fluminense e na capital paulista. Ao todo, são 6.028 kits, somando mais de 60 mil itens de limpeza – incluindo sabão em barra, água sanitária e detergente. A iniciativa estima alcançar mais de 24 mil pessoas.

Na cidade do Rio de Janeiro, os kits estão chegando às famílias graças à parceria com o Movimento de Mulheres do Parque Horácio, a Associação de Moradores Barreira do Vasco e a Central Única de Favelas (Cufa). Na cidade de São Paulo, o trabalho em rede conta com o trabalho da Sociedade Santos Mártires e da instituição Bakissi Aueto Mona Cafunge.

No Complexo do Arará, para evitar aglomerações, Aparecida organizou a distribuição na rua. Cada família voltou para casa com dois detergentes, três águas sanitárias e cinco sabões em barra, além de dois folhetos informativos produzidos pelo UNICEF – o primeiro, com personagens da Turma da Mônica, traz dicas de prevenção, enquanto o segundo, em parceria com Congemas, fala do auxílio emergencial do governo federal.

A distribuição continua nos próximos dias, e a moradora Maria dos Santos não vê a hora de pegar seu kit. Apesar de saber da importância da limpeza para prevenir a contaminação pelo novo coronavírus, Maria fala da dificuldade em manter tudo limpo. “A nossa limpeza dobrou. Se a gente sai para comprar alguma coisa ou resolver assuntos na rua, quando chega, tem que lavar as roupas, limpar os sapatos. Tudo o que eu compro, eu tenho que limpar. Além disso, já tenho que lavar a casa toda, os meus cachorros, a minha área... O gasto é em dobro!” E o gasto aumenta justamente num momento em que a renda caiu.

Aos 55 anos, ela trabalhava como inspetora de colégio e ganhava um salário mínimo. Para complementar sua receita, Maria fazia faxina e “bicos”, vendendo sacolé ou peças de artesanato. Maria mora com a filha, além de quatro cachorros. As duas ficaram sem renda por causa da pandemia. “Me vejo numa situação que nem compras eu posso fazer. Como eu vou comprar se eu não posso pagar?”, indaga. “Por isso, as doações estão sendo muito bem-vindas.”