Alegria nos abrigos de Boa Vista na semana do Dia das Crianças

Na semana do dia 12 de outubro, UNICEF e parceiros organizaram atividades de aprendizagem e brincadeiras para as crianças e os adolescentes migrantes e refugiados da Venezuela, em Roraima

UNICEF Brasil
uma menina pequena olha para as mãos de uma pessoa adulta, que não aparece na foto, onde está um passarinho de origami
UNICEF/BRZ/Adriana Duarte
22 outubro 2020

A semana do Dia das Crianças foi marcada por três dias de diversão, brincadeiras e aprendizados para quase 600 crianças e adolescentes migrantes e refugiados da Venezuela. As atividades nos Súper Panas – espaços que fornecem atividades educativas e de apoio psicossocial para esses meninos e meninas – expandiram-se em uma série de oficinas de teatro, música, pintura e gincanas.

A iniciativa foi organizada pelo UNICEF para que a data do Dia das Crianças não passasse em branco em meio ao difícil contexto da pandemia da Covid-19. Junto com o Instituto Pirilampos, as atividades ocorreram em nove abrigos de Boa Vista, capital de Roraima, todos mantidos pela Operação Acolhida, a resposta oficial do Governo Brasileiro à crise migratória venezuelana. Hoje, mais de 4,5 mil pessoas vivem nesses espaços apenas no estado de Roraima.

As imagens a seguir mostram como as atividades foram vividas pelas crianças em meio aos cuidado de prevenção ao novo coronavírus.

Três meninos olham para um homem que está usando pernas de pau. O rosto do homem não aparece na foto.
UNICEF/BRZ/Tomás Tancredi

As atividades culturais e lúdicas duraram três dias e foram realizadas dentro ou ao redor das estruturas dos Súper Panas – “Super Amigos”, em português – para participantes de 2 a 17 anos.

menina usando máscara mostra o desenho de um coração
UNICEF/BRZ/Adriana Duarte

Hoje, 22 Súper Panas estão em funcionamento nos estados de Roraima, do Amazonas e do Pará, em abrigos ou locais de passagem mantidos pelo poder público. Eles oferecem atividades de educação não formal enquanto essas crianças e esses adolescentes aguardam para acessar o sistema formal de ensino brasileiro.

um menino com rosto pintado olha para algo que está a sua frente
UNICEF/BRZ/Adriana Duarte

Além das apresentações, foram realizadas oficinas com atividades diversas que envolviam gincanas, pintura, montagem e colagem para estimular a participação das crianças.

duas crianças, usando máscara, estão ao lado de uma pessoa adulta, fazendo atividades teatrais
UNICEF/BRZ/Tomás Tancredi

Muitas crianças e muitos adolescentes foram convidados a participar do espetáculo com a equipe do teatro – sempre com máscara.

uma bola, representando o planeta Terra, está enroscada em uma rede, ao fundo aparecem as pernas e os pés de uma criança pequena
UNICEF/BRZ/Adriana Duarte

Foram realizadas apresentações que envolviam teatro e música, além de um enredo voltado para a conscientização dos cuidados com o planeta, o destino do lixo e o poder da mudança nas mãos das crianças.

menino pequeno, com o rosto pintado, está deitado no chão, olhando para a câmera
UNICEF/BRZ/Adriana Duarte

Andrés Marín Gonzales, 2 anos, vive com a família no abrigo Rondon 2 e participou das oficinas de pintura de rosto.

um menino usando máscara olha para a câmera
UNICEF/BRZ/Adriana Duarte

Em 2020, os espaços Súper Panas já atenderam mais de 17 mil crianças e adolescentes com atividades educativas e de apoio psicossocial.

uma menina de máscara olha para a câmera
UNICEF/BRZ/Tomás Tancredi

A Covid-19 impactou a vida e o processo de aprendizagem de milhões de crianças e adolescentes em todo o Brasil, incluindo os migrantes e refugiados, afetados primeiro pela crise social e econômica da Venezuela e depois pela pandemia.