“A doação de vocês está salvando muitas famílias, mesmo”

Moradores de Santa Cruz, Zona Oeste do Rio de Janeiro, recebem 200 kits de higiene doados pelo UNICEF, em parceria com a Gerdau

UNICEF Brasil
uma mulher segura uma cesta de materiais de limpeza com o logo do UNICEF
UNICEF/BRZ/Mônica Parreira
01 dezembro 2020

“Meu nome é Adriana de Brito Passos da Silva. Moro na comunidade da Vila Paciência, e trabalho ali, vendendo bolinho de 1 real. Tenho 37 anos e morei minha vida inteira aqui, desde que me conheço por gente”. Assim começa a conversa com Adriana, uma das beneficiadas pelos 200 kits de higiene e folhetos informativos doados pelo UNICEF e pela Gerdau às famílias da Zona Oeste do Rio de Janeiro.

A comunidade em que Adriana vive fica a 65 quilômetros do centro do Rio de Janeiro, no bairro de Santa Cruz. Popularmente conhecida como Favela do Aço, a Vila Paciência foi construída para receber 61 famílias removidas do centro da cidade, no início da década de 1960. Hoje, são cerca de 10 mil moradores, vivendo em situação de vulnerabilidade. A maioria das casas não possui caixa d’água e depende do abastecimento irregular de água. As condições sanitárias são precárias, com desafios de acesso ao saneamento básico e à coleta de lixo. Faltam, na comunidade, opções de lazer e cultura. E o acesso à cidade fica comprometido pelas dificuldades de transporte público e mobilidade urbana na região.

O cenário, que já era difícil, se agravou com a pandemia da Covid-19. “Aqui é um lugar carente, um lugar que sempre dependeu de muitas pessoas. Veio esta pandemia do coronavírus, ficou muito ruim para muita gente”, conta Adriana. Na casa dela, são dois adultos e sete crianças e adolescentes. A família toda adoeceu –  não sabem confirmar se foi a Covid-19 – e a situação financeira se agravou consideravelmente. “Graças a Deus, não morreu ninguém. Ficamos todos doentes, mas conseguimos nos reerguer. Não havia ajuda de ninguém. Houve períodos em que ninguém estava trabalhando lá em casa, passamos realmente necessidade”, relata ela.

uma mulher segurando uma cesta de produtos de limpeza fala com outra que está coberta por roupas no varal
UNICEF/BRZ/Mônica Parreira

A situação só começou a melhorar graças a iniciativas de solidariedade. Entre elas, destaca-se a doação de kits de higiene por UNICEF e Gerdau. Em parceria com a União Coletiva Pela Zona Oeste, 200 kits foram entregues às famílias que mais precisavam. “As doações foram feitas aqui na Favela do Aço, no Conjunto João 23, em Santa Veridiana e mais alguns lugares de Santa Cruz”, conta Day Medeiros, coordenadora do Casa, uma das organizações que integram a União Coletiva Pela Zona Oeste.

Sob um sol escaldante, Day e um grupo de voluntários foram de casa em casa, entregando os kits. Foi uma alegria para Rafaela Ventura Freire da Silva, também moradora da comunidade. Aos 33 anos, ela vive com o marido e as filhas, e ficou aliviada com a chega das doações. “Sou dona do lar e não trabalho. Foi bem difícil porque meu esposo trabalhava, e parou tudo. Ele é a base da casa, aí ficou bem difícil. O dinheiro diminuiu, as coisas foram aumentando [de preço]. Só não ficou pior por causa das doações”, relata Rafaela.

Em um cenário de pandemia, ela explica a importância do kit de higiene. “Chegou numa boa hora, porque eu estava fazendo a faxina. A água sanitária deixou o chão branquinho. Com o sabão de louça, já lavei minha louça. O sabonete é bom, cheiroso. Álcool em gel a gente usa bastante, as máscaras também. Aonde a gente vai, leva a garrafa de álcool em gel. Sempre tenho em casa, não deixo de ter”, diz ela.

Como ela, Luana Barbosa de Sousa Lopes, 30 anos, também viu a vida ficar mais difícil com a Covid-19. “Antes da pandemia, eu trabalhava em uma empresa que limpava apartamentos, pós obras. Quando começou a pandemia, fiquei desempregada”, diz ela. Mãe de três filhos, Luana se viu sem opções. “Fiquei só com o Bolsa Família. É difícil manter três filhos só com isso”. A chegada de doações tem anemizado um pouco a situação. “Este kit vai me ajudar porque é para a limpeza da casa”, explica ela. Perto de onde mora, há lixo a céu aberto, e ela se preocupa com contaminação. “Esta água sanitária, a gente passa em casa para desinfetar, quando as crianças vêm da rua. Álcool em gel é caro e difícil de comprar. Agora, temos, e as crianças vão poder passar na mão quando saírem”, relata ela.

A preocupação com a saúde e o sustento da família faz parte da realidade dessas mulheres. Em um cenário de incerteza, a solidariedade é o que ajuda a seguir em frente.

uma mulher sentada em uma escada em frente a porta de casa olha para a câmera sorrindo. ela segura uma cesta de produtos de higiene no colo.
UNICEF/BRZ/Mônica Parreira

“A doação chegou em uma boa hora. Gostei muito do kit de higiene. Essa doação de vocês, realmente, está salvando muitas famílias, mesmo, de verdade”, agradece Adriana, com a doação em mãos.

Além de Santa Cruz, na Zona Oeste, UNICEF e Gerdau estão distribuindo outros 200 kits para a região de Campo Grande, no Rio de Janeiro. A parceria conta, ainda, com a distribuição de kits de higiene, cestas básicas e folhetos informativos em Salvador (325 famílias), no Recife (241 famílias) e em Fortaleza (307 famílias). A parceria faz parte de um esforço conjunto do UNICEF e de empresas para mitigar os impactos da pandemia da Covid-19 na vida de crianças, adolescentes e famílias em situação de vulnerabilidade.