UNICEF pede US$ 3,9 bilhões em ajuda emergencial para 41 milhões de crianças afetadas por conflitos ou desastres

Milhões de crianças sem acesso a serviços essenciais de proteção infantil

29 Janeiro 2019
Menino com mochila do UNICEF anda por entre escombros de sua cidade
UNICEF/UN0248977/Anmar
Em setembro de 2018, no oeste de Mosul, Iraque, Ali, 11, caminha para a Escola Idhar, apoiada pelo UNICEF.

Genebra/Nova Iorque, 29 de janeiro de 2019 – Milhões de crianças que vivem em países afetados por conflitos e desastres não têm acesso a serviços vitais de proteção infantil, colocando sua segurança, seu bem-estar e seu futuro em risco, alertou o UNICEF hoje, pedindo US$ 3,9 bilhões para apoiar seu trabalho pelas crianças em crises humanitárias.

O relatório do UNICEF Ação Humanitária para Crianças estabelece o apelo da agência em 2019 e seus esforços para fornecer acesso a água potável, nutrição, educação, saúde e proteção para 41 milhões de crianças em 59 países em todo o mundo. O financiamento para programas de proteção infantil responde por US$ 385 milhões do apelo em geral, incluindo quase US$ 121 milhões para serviços de proteção das crianças afetadas pela crise na Síria.

"Hoje, milhões de crianças que vivem em meio a conflitos ou desastres estão sofrendo níveis horríveis de violência, sofrimento e trauma", disse a diretora executiva do UNICEF, Henrietta Fore. "Não se pode subestimar a importância do trabalho que fazemos no âmbito da proteção infantil. Quando as crianças não têm lugares seguros para brincar, quando não podem se reunir com suas famílias, quando não recebem apoio psicossocial, elas não se curam das cicatrizes invisíveis da guerra".

O UNICEF estima que mais de 34 milhões de crianças que vivem em conflitos e desastres não tenham acesso a serviços de proteção infantil, incluindo 6,6 milhões de crianças no Iêmen, 5,5 milhões na Síria e 4 milhões na República Democrática do Congo.

Os serviços de proteção infantil incluem todos os esforços para prevenir abusos, negligência, exploração, traumas e violência. O UNICEF também trabalha para assegurar que a proteção infantil esteja no centro de outros programas humanitários da organização – incluindo água, saneamento e higiene, educação e outras áreas de trabalho – ao identificar, mitigar e responder aos perigos potenciais para a segurança e o bem-estar das crianças.

No entanto, as restrições orçamentárias combinadas com outros desafios, incluindo o crescente desprezo das partes em conflito pela legislação humanitária internacional e a recusa em permitir a ajuda humanitária, limitam severamente a capacidade das agências de ajuda humanitária de proteger as crianças. Na República Democrática do Congo, por exemplo, o UNICEF recebeu somente um terço dos US$ 21 milhões requeridos para os programas de proteção infantil em 2018, enquanto cerca de um quinto do financiamento de programas de proteção infantil para as crianças sírias não foi cumprido.

"Fornecer para essas crianças o apoio de que precisam é fundamental, mas sem uma ação internacional significativa e sustentada, muitas crianças continuarão em privação", disse Manuel Fontaine, diretor global do Programa de Emergência do UNICEF. "A comunidade internacional deve se comprometer a apoiar a proteção de crianças em situações de emergência".

O ano de 2019 marca o 30º aniversário da Convenção sobre os Direitos da Criança e o 70º aniversário das Convenções de Genebra, no entanto, hoje, mais países estão envolvidos em conflitos internos ou internacionais do que em qualquer outro momento nas últimas três décadas, ameaçando a segurança e bem-estar de milhões de crianças.

O apelo ocorre um mês depois de o UNICEF afirmar que o mundo está falhando na proteção das crianças que vivem em conflitos em todo o mundo, com consequências catastróficas. Crianças que são continuamente expostas a violência ou conflitos, especialmente em uma idade precoce, correm o risco de viver em um estado de estresse tóxico – uma condição que, sem o apoio correto, pode levar a consequências negativas em seu desenvolvimento cognitivo, social e emocional ao longo de toda a vida. Algumas crianças afetadas por guerras, deslocamentos e outros eventos traumáticos – como violência sexual e baseada em gênero – requerem cuidados especializados para ajudá-las a lidar com a situação e se recuperar.

Os cinco maiores apelos individuais são para refugiados sírios e comunidades de acolhimento no Egito, Jordânia, Líbano, Iraque e Turquia (US$ 904 milhões); Iêmen (US$ 542,3 milhões); República Democrática do Congo (US$ 326,1 milhões); Síria (US$ 319,8 milhões) e Sudão do Sul (US$ 179,2 milhões).

Há também um apelo de US$ 69,5 milhões para a crise migratória venezuelana, incluindo o Brasil e outros países da região.

No Brasil, o UNICEF trabalha para garantir os direitos de crianças e adolescentes venezuelanos migrantes, focando suas ações no Estado de Roraima.

###

Notas para editores:

No total, trabalhando ao lado de seus parceiros, o UNICEF pretende:

  • Fornecer para 4 milhões de crianças e cuidadores acesso a apoio psicossocial;
  • Fornecer para quase 43 milhões de pessoas acesso a água potável;
  • Alcançar 10,1 milhões de crianças com educação básica formal ou não formal;
  • Imunizar 10,3 milhões de crianças contra o sarampo;
  • Tratar 4,2 milhões de crianças com desnutrição aguda grave.

Nos primeiros 10 meses de 2018, como resultado do apoio do UNICEF:

  • 3,1 milhões de crianças e cuidadores receberam apoio psicossocial;
  • 35,3 milhões de pessoas tiveram acesso a água potável;
  • 5,9 milhões de crianças tiveram acesso a alguma forma de educação;
  • 4,7 milhões de crianças foram vacinadas contra o sarampo;
  • 2,6 milhões de crianças foram tratadas de desnutrição aguda grave.

Fotos e materiais multimídias estão disponíveis para download aqui: https://weshare.unicef.org/Package/2AMZIFI7QW8B

O apelo Humanitarian Action for Children 2019 (Ação Humanitária para Crianças 2018, disponível em inglês) pode ser encontrado aqui: https://uni.cf/HAC_2019

Contatos para a imprensa

Brenda Hada

UNICEF Brasil

Telefone: 61 3035 1973

Elisa Meirelles Reis

UNICEF Brasil

Telefone: (61) 3035 1979

Telefone: (61) 98166 1649

Pedro Ivo Alcantara

UNICEF Brasil

Telefone: (61) 3035 1947

Telefone: (61) 98166 1636

Sobre o UNICEF
O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) trabalha em alguns dos lugares mais difíceis do planeta, para alcançar as crianças mais desfavorecidas do mundo. Em 190 países e territórios, o UNICEF trabalha para cada criança, em todos os lugares, para construir um mundo melhor para todos.

Acompanhe nossas ações no FacebookTwitterInstagramYouTube e LinkedIn.

Você também pode ajudar o UNICEF em suas ações. Faça uma doação agora.