UNICEF anuncia jovens selecionados para maratona social que busca soluções para refugiados e migrantes no Amazonas

Com mais de 350 inscrições válidas, o “Chama na Solução Manaus” selecionou 100 jovens brasileiros e venezuelanos para trabalhar de forma colaborativa. As melhores soluções para a população refugiada e migrante serão premiadas.

19 novembro 2020

Manaus, 19 de novembro de 2020 – As próximas semanas serão de imersão e criatividade para os 100 jovens selecionados pelo Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) para participar da maratona social Chama na Solução Manaus. Eles são os brasileiros e venezuelanos recrutados entre mais de 350 inscritos dispostos a criar soluções sociais para os desafios enfrentados pela população refugiada e migrante que vive no Amazonas.

A partir de uma série de imersões que começam nesta sexta-feira (20/11), os jovens de 14 a 24 anos terão acesso a conteúdos online e serão desafiados a propor ideias inovadoras em sete áreas sociais: educação; proteção; saúde; nutrição; água e saneamento; engajamento e participação de adolescentes; e geração de renda e empregabilidade. Os participantes serão beneficiados com mentorias conduzidas por um time de profissionais do UNICEF e parceiros atuantes na resposta humanitária ao fluxo migratório de venezuelanos na capital do Amazonas.

Ao final da maratona, os jovens vão apresentar o protótipo das ideias desenvolvidas em formato de pitch – uma breve exposição que tem o objetivo de convencer os avaliadores sobre a pertinência da proposta para solução do desafio social enfrentado. As equipes pré-selecionadas pela banca técnica, segundo critérios como inovação e aderência à proposta, receberão uma premiação, incluindo 35 tablets acompanhados de kits de aprendizagem.

Representatividade
A lista de inscritos refletiu a diversidade da região. Dos mais de 350 adolescentes e jovens que manifestaram interesse em fazer parte do Chama na Solução, 60% se identificaram como pertencentes ao gênero feminino e 68% se autodeclararam pardos. Todos residem no Amazonas. Dezesseis negros, cinco indígenas e seis venezuelanos se inscreveram e tiveram prioridade na seleção que prezou, prioritariamente, pela diversidade. “Entendemos que esse processo criativo e mobilizador exige inclusão, sobretudo de estrangeiros e de etnias que representem a diversidade da nossa região”, ressalta Sidney Vasconcelos, oficial de Educação do UNICEF em Manaus e colíder do projeto que conta com apoio técnico do Impact Hub Manaus e da DePropósito Comunicação de Causas. A lista de selecionados pode ser consultada aqui.

Refugiados e migrantes no Norte brasileiro
O Brasil registrou, desde 2017, a entrada de mais de 264 mil imigrantes, refugiados e requerentes de asilo de nacionalidade venezuelana. Estima-se que cerca de 30% dessa população seja composta por crianças e adolescentes. A maior parte do fluxo migratório ocorre através da fronteira no norte de Roraima, onde foram instalados abrigos oficiais e centros de triagem administrados pelo Exército Brasileiro e pela Agência da ONU para Refugiados (Acnur).

Estados vizinhos como o Amazonas e Pará também recebem a população venezuelana e buscam, por meio de diversos atores, minimizar a situação de vulnerabilidade dessas famílias. A estimativa é de que 25 mil migrantes e refugiados vivam no Amazonas. Entre os migrantes, comunidades indígenas venezuelanas que somam mais de 4.600 pessoas das etnias warao (81%), pemon taurepan (17%) e eñepa (2%), com cerca da metade dessas populações vivendo em Roraima e, as demais, no Amazonas e no Pará.

“Um milhão de oportunidades”
A maratona social está inserida no contexto da articulação nacional intitulada “Um milhão de oportunidades”, parte do programa global Generation Unlimited (Geração Que Move, no Brasil), que reúne oportunidades voltadas a jovens de 10 a 24 anos de todo o Brasil, especialmente aqueles em situação de vulnerabilidade social. “Parte do esforço desse pacto nacional busca fortalecer o protagonismo de adolescentes e jovens. Reunir e ouvir esses jovens para cocriar soluções é primordial para que essas transformações atendam à necessidade dessa geração”, comenta Ítalo Dutra, chefe de Educação do UNICEF no Brasil. As oportunidades geradas pela iniciativa podem ser consultadas no site: https://www.1mio.com.br/

Contatos para a imprensa

Ester Athanásio
DePropósito Comunicação de Causas
Telefone: (41) 99711 4494
Elizabeth da Costa Cavalcante
Oficial de Comunicação
UNICEF Brasil
Telefone: (92) 98173 3114

Sobre o UNICEF
O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) trabalha em alguns dos lugares mais difíceis do planeta, para alcançar as crianças mais desfavorecidas do mundo. Em 190 países e territórios, o UNICEF trabalha para cada criança, em todos os lugares, para construir um mundo melhor para todos.

Acompanhe nossas ações no Facebook, Twitter, Instagram, YouTube e LinkedIn.

Você também pode ajudar o UNICEF em suas ações. Faça uma doação agora.