A perda de mais de 39 bilhões de merendas escolares desde o início da pandemia anuncia uma crise nutricional, dizem UNICEF e PMA

A merenda escolar, geralmente a única refeição diária nutritiva que crianças e adolescentes recebem, deve ser priorizada nos planos de reabertura das escolas

28 janeiro 2021
vários pratinho coloridos e canecas amarelas estão sobre mesinhas para crianças de refeitório de escola
UNICEF/BRZ/Raoni Libório

Nova Iorque/Roma, 28 de janeiro de 2021 – Mais de 39 bilhões de merendas escolares foram perdidas globalmente desde o início da pandemia de Covid-19 devido ao fechamento de escolas, de acordo com um novo relatório divulgado hoje pelo Escritório de Pesquisas do UNICEF – Innocenti e o Programa Mundial de Alimentos (PMA).

Covid-19: Missing More Than a Classroom (Covid-19: Perdendo mais que uma sala de aula – disponível somente em inglês) observa que 370 milhões de crianças e adolescentes em todo o mundo – muitos dos quais dependem da merenda escolar como uma fonte importante de sua nutrição diária – perderam 40% das refeições na escola, em média, desde que as restrições da Covid-19 fecharam as salas de aula.

"Apesar das evidências claras de que as escolas não são as principais responsáveis pelas infecções por Covid-19, milhões de crianças e adolescentes estão enfrentando o fechamento de escolas em todo o mundo", disse a diretora executiva do UNICEF, Henrietta Fore. "Meninas e meninos que dependem das escolas para suas refeições diárias não estão sendo privados apenas da educação, mas também de uma fonte confiável de nutrição. À medida que respondemos à pandemia de Covid-19 e aguardamos a distribuição da vacina, devemos priorizar a reabertura das escolas e tomar medidas para torná-las o mais seguras possível, inclusive por meio de investimentos renovados em medidas de prevenção de infecções, como água potável e sabão, em todas as escolas do mundo".

As últimas estimativas mostram que 24 milhões de crianças e adolescentes em idade escolar correm o risco de abandonar a escola devido à pandemia – revertendo o progresso feito na escolarização nas últimas décadas. Os programas de merenda escolar podem fornecer incentivos para que os meninos e meninas mais vulneráveis voltem à escola.

"Perder refeições escolares nutritivas está colocando em risco o futuro de milhões de crianças e adolescentes entre os mais pobres do mundo. Corremos o risco de perder uma geração inteira", disse David Beasley, diretor executivo do PMA. "Devemos apoiar os governos para que reabram as escolas com segurança e comecem a alimentar esses meninos e meninas novamente. Para muitos, a refeição nutritiva que recebem na escola é o único alimento que receberão o dia todo".

Durante a pandemia, houve uma redução geral de 30% na cobertura de serviços essenciais de nutrição, incluindo merenda escolar, suplementação de micronutrientes e programas de promoção da nutrição em países de baixa e média renda, bem como programas para o tratamento de desnutrição grave em crianças. Durante os lockdowns nacionais em alguns países, todos os programas de merenda escolar foram cancelados.

Dados globais sobre o impacto geral do fechamento de escolas na nutrição de crianças e adolescentes são limitados. No entanto, estudos nos países, conhecimento prévio do impacto das crises na segurança alimentar e nutricional e déficits nutricionais existentes entre crianças e adolescentes em idade escolar são motivo de grande preocupação, diz o relatório.

Dados de pesquisas pré-pandemia de 68 países mostram que, antes de a Covid-19 chegar, cerca de 50% dos adolescentes de 13 a 17 anos relataram sentir fome. Dados adicionais de 17 países mostraram que, em alguns países, até dois terços dos jovens de 15 a 19 anos estavam abaixo do peso. E mais da metade das meninas adolescentes no Sul da Ásia estava anêmica.

As áreas mais afetadas durante o surto de ebola de 2014 na África Ocidental testemunharam o aumento da insegurança alimentar em países que já enfrentavam altos níveis de desnutrição. Essa mesma tendência já foi observada em muitos países durante a pandemia de Covid-19, incluindo na África ao sul do Saara e no Sul da Ásia.

A merenda escolar não é vital apenas para garantir a nutrição, o crescimento e o desenvolvimento de meninas e meninos, mas também fornece um forte incentivo para que as crianças e os adolescentes – especialmente as meninas e aqueles das comunidades mais pobres e marginalizadas – voltem à escola assim que as restrições forem suspensas. Quanto mais tempo as crianças e os adolescentes ficam fora da escola, maior é o risco de que abandonem totalmente a escola. As meninas enfrentam o risco adicional de transação sexual forçada ou casamento precoce.

O PMA tem apoiado os governos na adaptação de seus programas de merenda escolar durante o fechamento das escolas. O relatório observa que mais de 70 países providenciaram alimentos para levar para casa, transferências de dinheiro ou vales-alimentação, fornecendo uma solução provisória valiosa para milhões de crianças e adolescentes. Nos primeiros nove meses de 2020, mais de 13 milhões de meninas e meninos em idade escolar receberam apoio escolar do PMA, em comparação com 17,3 milhões no ano anterior.

Desde o início da pandemia, o UNICEF tem apoiado governos nacionais para manter a continuidade dos serviços de nutrição para crianças e adolescentes em idade escolar. Em 2020, quase 25 milhões de meninas e meninos em idade escolar foram beneficiados por programas de prevenção da anemia. Adaptados ao contexto, a maioria desses programas combinava educação e aconselhamento nutricional, suplementação com ferro e outros micronutrientes essenciais e profilaxia antivermes.

O UNICEF e o PMA estão pedindo aos governos que deem prioridade à reabertura das escolas, garantindo que as necessidades de saúde, alimentação e nutrição de crianças e adolescentes sejam atendidas por meio de programas de merenda escolar abrangentes e de alta qualidade.

###

Notas para editores
O Escritório de Pesquisas do UNICEF – Innocenti é o centro de pesquisa especializado do UNICEF. Realiza pesquisas sobre questões atuais para contribuir com a pesquisa global e a agenda política para todas as crianças. Para mais informações, visite: www.unicef-irc.org.

Sobre o Programa Mundial de Alimentos
O Programa Mundial de Alimentos das Nações Unidas é a maior organização humanitária do mundo, salvando vidas em emergências, construindo prosperidade e apoiando um futuro sustentável para pessoas em recuperação de conflitos, de desastres e do impacto das mudanças climáticas. Saiba mais em https://centrodeexcelencia.org.br/

Contatos para a imprensa

Elisa Meirelles Reis
Oficial de Comunicação
UNICEF Brasil
Telefone: (61) 3035 1979
Ester Correa Coelho
Oficial de Comunicação
UNICEF Brasil
Telefone: (61) 3035 1973

Sobre o UNICEF
O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) trabalha em alguns dos lugares mais difíceis do planeta, para alcançar as crianças mais desfavorecidas do mundo. Em 190 países e territórios, o UNICEF trabalha para cada criança, em todos os lugares, para construir um mundo melhor para todos.

Acompanhe nossas ações no Facebook, Twitter, Instagram, YouTube, LinkedIn e TikTok.

Você também pode ajudar o UNICEF em suas ações. Faça uma doação agora.