Embaixador do UNICEF Orlando Bloom se encontra, na Moldávia, com crianças refugiadas que fogem da guerra na Ucrânia

Visita ocorre quando número de crianças e adolescentes refugiados ultrapassa 1,8 milhão em apenas um mês

25 março 2022
Foto mostra o ator Orlando Bloom, embaixador global do UNICEF, vestindo um moletom preto com o logo do UNICEF sentado olhando para uma criança. Só uma parte do rosto da criança, que está de costas, aparece na foto.
UNICEF/UN0613899/Tremeau
Na Moldávia, o embaixador do UNICEF Orlando Bloom encontra-se com crianças refugiadas que fogem da guerra na Ucrânia.

Chisinau/Nova Iorque, 25 de março de 2022 – Um mês desde o início da guerra na Ucrânia, o embaixador do UNICEF Orlando Bloom visitou a Moldávia para conhecer crianças, adolescentes e famílias que fogem da Ucrânia como refugiados.

Durante a viagem de dois dias, Bloom visitou um Centro Ponto Azul apoiado pelo UNICEF em Palanca, sudoeste da Moldávia, onde mulheres, crianças e adolescentes param para descansar e receber apoio enquanto cruzam a fronteira da Ucrânia em busca de segurança.

"Encontrei uma mãe enquanto ela chegava à fronteira com seus três filhos pequenos. Ela me disse que eles haviam fugido da Ucrânia ontem à noite depois que a casa do vizinho foi bombardeada e que estavam com muito medo de ficar lá", disse Bloom. "Foi de partir o coração ver essa família e tantas outras atravessarem a fronteira depois de longas jornadas, com apenas alguns pertences, e sem saber onde sua jornada terminará".

O UNICEF e o Acnur, em parceria com governos e organizações da sociedade civil, criaram três Centros Ponto Azul na Moldávia nas principais rotas de refugiados. Os espaços seguros fornecem informações às famílias que viajam, ajudam a identificar crianças e adolescentes desacompanhados e separados e garantem sua proteção contra a exploração. Também são um centro de serviços essenciais.

Desde o início da guerra em 24 de fevereiro, mais de 1,8 milhão de crianças e adolescentes fugiram da Ucrânia, com dezenas de milhares cruzando para a Moldávia. Muitos refugiados continuam sua jornada para outros países, enquanto quase 100 mil – metade deles meninos e meninas – ficaram na Moldávia com famílias anfitriãs, voluntários ou em centros de refugiados administrados pelo governo.

"A ameaça urgente e muito real para as crianças e os adolescentes refugiados da Ucrânia está crescendo a cada dia. Meninas e meninos que viajam sozinhos são especialmente vulneráveis ao tráfico e à exploração, pois fazem viagens longas e árduas", disse Maha Damaj, representante do UNICEF na Moldávia. "O UNICEF está trabalhando 24 horas por dia na Moldávia para fornecer a crianças, adolescentes e famílias serviços de atenção e proteção psicossocial enquanto cruzam a fronteira para encontrar segurança".

Durante a viagem, Bloom também conheceu crianças e famílias no centro de refugiados Moldexpo, em Chisinau, um dos mais de 100 centros na Moldávia onde os refugiados podem dormir, acessar informações médicas e legais e fazer refeições quentes antes de continuar sua jornada.

No centro, Bloom se encontrou com uma família de cinco pessoas que havia fugido da Ucrânia no início desta semana apenas com as roupas que usavam e uma pequena quantia em dinheiro. Depois de chegar à Moldávia e passar cinco noites na Moldexpo, uma família local se ofereceu para hospedá-los até que completassem a papelada para seguir em frente.

"Muitos meninos, meninas e famílias com quem conversei deixaram não apenas suas casas, mas também a escola, amigos, familiares e quase tudo o que possuem. Como pai, não consigo imaginar a perturbação e a confusão que eles devem sentir", acrescentou Bloom, que também visitou o leste da Ucrânia com o UNICEF em 2016. "Os Centros Ponto Azul criados pelo UNICEF nas fronteiras são uma primeira parada vital para as mães desesperadamente procurando algum descanso e um lugar seguro para as crianças brincarem".

O UNICEF alertou recentemente para o risco acrescido de tráfico e exploração à medida que milhões de crianças e adolescentes fogem da guerra e inúmeros outros são deslocados pela violência dentro da Ucrânia. Em resposta, o UNICEF e seus parceiros estão ampliando os Centros Ponto Azul em países de acolhimento de refugiados, incluindo Moldávia, Polônia, Romênia e Eslováquia, e pedindo aos governos da região que implementem medidas para manter as crianças e os adolescentes seguros. Isso inclui o fortalecimento dos controles de proteção infantil nas passagens de fronteira.

###

Notas para editores
Materiais multimídia disponíveis aqui.

Saiba mais sobre o trabalho do UNICEF na Ucrânia aqui.

###

Como ajudar?
O UNICEF no Brasil está com uma campanha de arrecadação de recursos para apoiar sua resposta humanitária na Ucrânia. As doações podem ser feitas aqui.

Centros Ponto Azul são essenciais para proteger crianças na Ucrânia. Empresas, fundações e doadores filantrópicos que queiram contribuir com essa iniciativa podem escrever para parcerias@unicef.org

Contatos para a imprensa

Elisa Meirelles Reis
Oficial de Comunicação
UNICEF Brasil
Telefone: (61) 98166 1649
Ester Correa Coelho
Oficial de Comunicação
UNICEF Brasil
Telefone: (61) 99122 8671

Sobre o UNICEF
O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) trabalha em alguns dos lugares mais difíceis do planeta, para alcançar as crianças mais desfavorecidas do mundo. Em mais de 190 países e territórios, o UNICEF trabalha para cada criança, em todos os lugares, para construir um mundo melhor para todos.

Acompanhe nossas ações no Facebook, Twitter, Instagram, YouTube, LinkedIn e TikTok.

Você também pode ajudar o UNICEF em suas ações. Faça uma doação agora.