Diretora executiva do UNICEF visita o Brasil e defende enfrentamento da pobreza e das mudanças climáticas

Durante a visita, Catherine Russell fortaleceu alianças com governos, setor privado e sociedade civil e se encontrou com crianças, adolescentes e profissionais de saúde brasileiros

01 setembro 2023
Foto mostra a diretora executiva do UNICEF conversando com crianças pequenas
UNICEF/UNI431181/Ueslei Marcelino
No dia 30 de agosto de 2023, em visita à escola Cemei 8 de Março, no bairro do Ibura, no Recife, a diretora executiva do UNICEF, Catherine Russell, conversa com as crianças em sala de aula.

Brasília/Nova Iorque, 1º de setembro de 2023 – Catherine Russell, diretora executiva do UNICEF, concluiu nesta quinta-feira sua primeira visita ao Brasil. Durante os quatro dias em que esteve no País, Russell visitou três das maiores cidades do Brasil e se reuniu com lideranças do governo brasileiro, do setor privado, da sociedade civil, além crianças e adolescentes, em diálogos sobre como enfrentar a pobreza multidimensional e as mudanças climáticas..

"Priorizar as crianças e os adolescentes, e seu bem-estar, deve ser uma prioridade máxima para o governo e o setor privado no Brasil", disse a diretora executiva do UNICEF. "O Brasil está se esforçando para acelerar o progresso em todas as áreas da saúde, educação e segurança das crianças. O País pode servir como um importante modelo a ser seguido, colocando os direitos das crianças no centro dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável".

A visita ocorre algumas semanas antes da Cúpula dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU em Nova Iorque. Este ano, os países farão um balanço do progresso na metade do caminho para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) para 2030. Para muitos, incluindo o Brasil, os impactos da pandemia de covid-19, das mudanças climáticas e da inflação global têm desacelerado ou revertido o progresso em alguns dos ODS.

Grupo de pessoas em pé posando para foto
UNICEF/UNI430252/Ueslei Marcelino
No dia 29 de agosto de 2023, em Brasília, a diretora executiva do UNICEF, Catherine Russell (terceira a partir da esquerda), e o representante do UNICEF no Brasil, Youssouf Abdel-Jelil (à direita), posam com ministros do Governo do Brasil após se reunirem para discutir a pobreza multidimensional.

Mobilização interministerial e encontro com lideranças indígenas
Em Brasília, Russell se reuniu com ministros das principais pastas relacionadas aos direitos de crianças e adolescentes, para dialogar sobre a priorização das políticas públicas para a infância e adolescência no País.

Durante o encontro, ela reiterou seu apoio aos esforços do Brasil para a garantia dos direitos de crianças e adolescentes, em especial os mais de 32 milhões que vivem na pobreza, em suas múltiplas dimensões – renda, educação, proteção contra trabalho infantil, moradia, água, saneamento e informação. No País, 40 milhões de meninas e meninos brasileiros já estão expostos a mais de um risco climático ou ambiental.

Organizado pelo ministro do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome do Brasil, Wellington Dias, o encontro contou com a participação de representantes da principais pastas relacionadas aos direitos de crianças e adolescentes: ministra da Saúde, Nísia Trindade; ministro da Educação, Camilo Santana; ministro dos Direitos Humanos e da Cidadania, Silvio Almeida; ministra da Igualdade Racial, Anielle Franco; e Ceiça Pitanguary, secretária de Gestão Ambiental e Territorial Indígena, representando a ministra dos Povos Indígenas, Sonia Guajajara.

"A presença de cada um de vocês hoje é uma indicação significativa da priorização dos direitos das crianças na agenda política do Brasil. Ao focar nas crianças e nos adolescentes, o Brasil está no caminho certo para enfrentar a pobreza, reduzir as desigualdades e garantir os direitos humanos", destacou a diretora executiva do UNICEF.

Ainda em Brasília, Russell teve um encontro com lideranças indígenas, na sede do UNICEF. A reunião teve como objetivo dialogar sobre os desafios enfrentados pelos diversos povos indígenas no Brasil, os caminhos para a garantia dos direitos de crianças e adolescentes indígenas, e como o UNICEF pode contribuir nessa agenda, nacional e internacionalmente.

Grupo de pessoas posa para a foto.
UNICEF/UNI429600/Alécio Cezar
No dia 28 de agosto de 2023, em São Paulo, a diretora executiva do UNICEF, Catherine Russell, se reuniu com membros do Conselho Consultivo do UNICEF Brasil e convidados do setor privado.

Engajamento do setor privado
Russell também se reuniu com altas lideranças do setor privado – incluindo membros Conselho Consultivo do UNICEF no Brasil e parceiros – para discutir contribuições de empresas, institutos e fundações para a agenda da infância e adolescência. Ela conheceu, também, a iniciativa 1 Milhão de Oportunidades, voltada à transição positiva de adolescentes e jovens para o mundo do trabalho. Os encontros foram importantes para engajar parceiros e mobilizá-los para trabalhar juntos pelos direitos de crianças e adolescentes no País.

"A parceria com o setor privado é extremamente importante para nos trazer novas experiências, ideias e para nos ajudar a inovar. O que estamos fazendo juntos é ser parte da solução e para isso precisamos cuidar das crianças e dos adolescentes", disse a diretora executiva.

Grupo de pessoas posa para a foto.
UNICEF/UNI431125/Ueslei Marcelino
Em 31 de agosto de 2023, no Recife, Catherine Russell, diretora executiva do UNICEF, e Youssouf Abdel-Jelil, representante do UNICEF no Brasil, encontram-se com adolescentes e jovens que participam de projetos apoiados pelo UNICEF em Pernambuco.

Diálogo com crianças, adolescentes e comunidade
No Recife, uma das cidades mais vulneráveis do mundo às mudanças climáticas no País, Russell conheceu crianças e adolescentes que compartilharam os desafios que enfrentam, seus sonhos e como o UNICEF impactou a vida deles.

"A comunidade onde moro é excluída, carece de saneamento adequado e as oportunidades são escassas. Se não fosse pelo UNICEF, eu provavelmente estaria morto ou envolvido em crimes; com certeza não estaria aqui hoje", disse Emerson Vieira, um jovem de 19 anos, que voltou à escola graças à Busca Ativa Escolar, e hoje participa do Núcleo de Cidadania de Adolescentes (Nuca) de Bonito, Pernambuco – iniciativa que é parte do Selo UNICEF.

"O bairro onde moro é complicado devido à violência. Com os projetos do UNICEF, aprendi a não aceitar nenhum tipo de violência. Me empoderei e aprendi meus direitos. Gostaria que muitos outros adolescentes tivessem essa oportunidade", disse Jamili Vitória, 17 anos. A adolescente participa da iniciativa #AgendaCidadeUNICEF, do UNICEF Brasil, destinada a melhorar a vida de crianças e adolescentes de bairros vulneráveis de grandes cidades.

"As crianças do Brasil enfrentam muitas dificuldades, incluindo o impacto das mudanças climáticas, da pobreza e da falta de acesso a serviços essenciais", disse Russell. "Foi inspirador ouvir as opiniões e aspirações dos jovens. É essencial envolver todas as crianças na busca de soluções para esses desafios fundamentais".

Em 2023, o UNICEF continuou a prestar assistência a 2,2 milhões de pessoas na região, incluindo aqueles afetados pela mobilidade humana e populações vulneráveis. Os resultados não teriam sido possíveis sem parceiros-chave.

Contatos para a imprensa

Elisa Meirelles Reis
Oficial de Comunicação
UNICEF Brasil
Telefone: (61) 98166 1649
Luana Ribeiro Piotto
Oficial de Comunicação
UNICEF Brasil

Sobre o UNICEF
O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) trabalha em alguns dos lugares mais difíceis do planeta, para alcançar as crianças mais desfavorecidas do mundo. Em mais de 190 países e territórios, o UNICEF trabalha para cada criança, em todos os lugares, para construir um mundo melhor para todos.

Acompanhe nossas ações no Facebook, Twitter, Instagram, YouTube, LinkedIn e TikTok.

Você também pode ajudar o UNICEF em suas ações. Faça uma doação agora.