O vestibular e a mente

Equilíbrio essencial para o sucesso

#tmjUNICEF
28 novembro 2023

Olá! A época do vestibular chegou e, com ela, uma forte demanda de saúde mental também atinge os jovens de todo o Brasil! Como já discutimos muito nos textos do nosso blog (vale a pena conferir nossos textos sobre burnout juvenil e estudos e saúde mental), toda pressão relacionada a um bom desempenho tem consequências na nossa saúde mental, não é mesmo? Seja no momento do preparo com os estudos para o vestibular, durante a realização da prova ou depois aguardando o resultado, o estresse, a ansiedade e a pressão social podem se intensificar com o passar do tempo.

Mas olha: é normal, super natural, e não é só você que está nessa, ok?

A nossa saúde mental é como uma engrenagem em conjunto com a saúde física, emocional e espiritual. Elas precisam trabalhar juntas e estar em sintonia para que a nossa mente possa funcionar melhor. E, se uma delas falha ou não vai de acordo com os padrões, os outros estados de saúde não vão estar muito bem e isso vai acabar afetando nosso corpo e nosso estado psicológico. Consequentemente, vai afetar a nossa disciplina, concentração, regras, rotinas, cronogramas de estudos, etc.

Por esse motivo, o cuidado com a saúde mental dos estudantes e vestibulandos não seria diferente! É necessário estarmos com os olhos e atenção voltados para esse público nesse período decisório da vida e que está inteiramente ligado com o emocional. Apesar de ser uma fase significativa, cabe lembrar que as escolhas feitas nesse momento não serão fixas e, como pessoas, podemos sempre mudar de ideia, crescer e aprender. Nesse texto, abordaremos maneiras de lidar melhor com possíveis pressões dos familiares, dos amigos e de si mesmo, formas de usar a internet como uma forma de produtividade e não autossabotagem, além de destacar a importância de ter uma rede de apoio dentro do âmbito familiar, escolar e, claro, a ajuda de profissionais da área da saúde mental no seu cotidiano.

Como lidar com a pressão social em época de vestibular
Como vimos, a saúde mental e o vestibular estão intrinsecamente ligados, e é essencial abordar essa relação com sensibilidade e cuidado. Desde o período que envolve a preparação e a realização de exames vestibulares até a espera pela “aprovação”, os momentos podem ser surpreendentemente desafiadores para os estudantes.

A pressão social para obter bons resultados no vestibular pode levar a problemas de saúde mental, como depressão e transtornos de ansiedade. Muitos estudantes enfrentam um medo avassalador de fracasso e, por vezes, de decepcionar suas famílias, amigos e a si mesmos. Além disso, uma competição acirrada pode criar um ambiente de constante comparação que afeta a autoestima e confiança dos estudantes.

Para lidar com esses desafios, é fundamental promover a conscientização sobre a importância da saúde mental e fornecer recursos de apoio. As instituições de ensino, os pais e os próprios estudantes devem considerar que a pressão não deve ser a motivação principal para o sucesso no vestibular. Em vez disso, é crucial encorajar o autocuidado, a busca de equilíbrio entre estudo e lazer, e a procura de ajuda profissional, quando necessário.

Portanto, a saúde mental e o vestibular devem andar de mãos dadas. A pressão e as expectativas não devem comprometer o bem-estar dos estudantes. É fundamental promover um ambiente de apoio, respeito e compreensão para que os jovens possam enfrentar esse desafio com equilíbrio emocional e cuidado consigo mesmos.

Boa relação com os estudos para o vestibular
Mas então como podemos trilhar um caminho saudável nessa fase da nossa vida? Antes de qualquer coisa, deve-se equilibrar o tempo de estudo com o tempo de lazer, já que ambos são imprescindíveis! O foco é essencial para a conquista dos objetivos acadêmicos, mas é importante que não seja 8 ou 80: não se deve abrir mão do lazer, de espairecer a mente e fazer disso também parte da rotina. Tão primordial quanto a rotina de estudos, é o vestibulando ter momentos que o relaxem e diminuam o estresse e o cansaço que os estudos podem eventualmente causar. Isso contribui ainda mais para a curva de aprendizagem e é extremamente positivo que se opte por momentos de lazer como assistir a um filme, praticar um esporte ou ouvir música.

Nessas horas é também crucial a presença de uma rede de apoio, que ajude o vestibulando a lidar com a pressão, seja tendo bons momentos com os membros da sua família, os amigos da escola, ou recorrendo a ajuda profissional que é a base de tudo e nós nunca a descartamos por aqui – afinal, saúde mental é tão importante quanto saúde física!

Outro ponto fundamental é: ninguém é bom em tudo! Por mais que muita gente cobre que sejamos bons em português, matemática, história, educação física, ciências, e por aí vai… é impossível ser bom em tudo! Perceba que muitos artistas às vezes não foram tão bem assim na escola, e que muitos acadêmicos às vezes não vão tão bem assim com artes ou esportes. Cada um é diferente e precisamos valorizar nosso potencial! Se você tem dificuldade em matemática, mas se dá super bem com história, tá aí um ponto para aprimorar. E tenha paciência com as habilidades naquilo que você não domina, afinal não dá para dominar tudo e mesmo o melhor profissional do mundo começou do zero!

Cuidar da saúde mental é um trabalho diário que demanda muita honestidade sobre suas próprias emoções, então reconheça e respeite os seus limites, mantenha uma rotina com metas possíveis dentro das suas limitações, e saiba reconhecer seus medos e expectativas. O vestibular é apenas uma etapa, saiba que a sua vida é muito maior do que isso – uma prova não define o seu valor. Cuide da sua saúde física praticando atividades físicas regularmente, se alimentando bem e respeitando o padrão e a qualidade do sono – o nosso cérebro precisa desses cuidados para funcionar bem, e, se nosso cérebro não funciona direito, não apresentaremos um bom desempenho.

Técnicas de estudo
Também é importante encontrar qual técnica de estudo é melhor para você! Cada pessoa funciona de uma forma e é possível que o método do seu colega não funcione tão bem assim com você, e tudo bem! Respire fundo e explore as várias técnicas que existem por aí, dessa forma você encontrará a que melhor se encaixa com você!

  1. Técnica pomodoro: essa técnica consiste em marcar o tempo de estudo considerando alguns intervalos. Veja por quanto tempo você consegue focar totalmente nos estudos, sem distrações: 15 minutos? 20? 25? Após esse período, faça uma breve pausa de cinco minutos para comer, tomar uma água, ir ao banheiro, talvez meditar, e depois volte para mais 20 minutos de estudo direto. Evite entrar nas redes sociais no intervalo, pois esse pouco tempo poderá virar horas sem você notar, além de que o excesso de informações acaba não permitindo que seu cérebro tenha esse descanso. Vá repetindo o ciclo até completar um bom tempo de estudo e depois descanse por um tempo maior, você mereceu! Existem muitos aplicativos e vídeos que auxiliam na aplicação da técnica pomodoro, vale a pena dar uma olhada!
  2. Testes práticos: procurar realizar questões de provas anteriores certamente é algo que vai familiarizar você com todo o procedimento da prova, fazendo com que o dia do vestibular pareça bem menos assustador, afinal você já fez várias questões semelhantes, contabilizou o tempo de resposta, e estará preparado! Depois de identificar suas dificuldades, não esqueça de dar uma atenção especial às disciplinas mais difíceis, ok?
  3. Técnica da autoexplicação: uma coisa é certa, se você consegue explicar o conteúdo para outra pessoa é porque você realmente sabe sobre o assunto. Então exercite explicar aquilo que você aprendeu sobre um ponto de uma matéria específica, pode ser para o seu espelho, ou para o seu pet. Durante a explicação você conseguirá identificar suas dificuldades para aprimorar (aquilo que você não conseguiu explicar) e ainda pode ser divertido!
  4. Técnicas de leitura: ao ler um texto, procure palavras-chave e faça marcações, anotações, resumos, mapas mentais e fichamentos. Essa exploração do texto deixará o conteúdo muito mais claro e familiar para você.
  5. Estudo intercalado: o vestibular cobra todo o tipo de assunto, e é sempre muita coisa para estudar, certo? Que tal organizar um cronograma no qual a cada dia você estudaria um pouco de uma disciplina diferente? Com o tempo você terá um bom conhecimento sobre muita coisa. Passar muito tempo estudando apenas uma disciplina, por mais que seja aquela em que você tem maior dificuldade e esteja ansioso para acompanhar o conteúdo, a exaustão de um assunto pode acabar prejudicando como sua cabeça vai assimilar aquele conteúdo. Tente revezar, será muito mais interessante e menos maçante!
  6. Estudo mnemônico: esse método envolve associar um assunto do seu estudo a outras coisas mais familiares e importantes. São os famosos macetes, em que é possível criar frases e expressões, principalmente para a memorização de algum conteúdo. Vale de tudo, utilizar nomes de celebridades que lembram o nome de algum termo, situações que você vivenciou ou músicas da sua infância. Com certeza isso vai ficar preso à sua mente por muito tempo!
  7. Prática distribuída: aqui você pode distribuir o tempo de estudo ao longo do dia. Que tal estudar duas horas de história no início da tarde e duas de matemática no final do dia? Assim existe um espaço maior de tempo para que sua mente não se canse tanto do conteúdo. De novo: se sua rotina não permite esse tipo de cronograma, tudo bem! Tente algo dentro da sua realidade e se dedique dentro dos seus limites.

Mas e se eu não conseguir a aprovação?
O que nutre tamanha ansiedade nos jovens com relação ao vestibular é: e se eu não conseguir a aprovação? Ora, se você não conseguir a aprovação, há um mundo de coisas que podem ser feitas, inclusive tentar novamente na próxima oportunidade. Existe uma grande pressão (muitas vezes da própria família) para conseguir entrar na faculdade cedo, sair cedo, conseguir estabilidade financeira cedo e resolver a vida inteira o quanto antes. A vida não é uma maratona! A verdade é que não existe idade limite para aprender, então, se é o seu sonho, não desista de tentar! Nem todo mundo passa de primeira e tudo bem! Existem cursinhos populares que ajudam esses estudantes a se preparar e incentivam o estudo mesmo após a conclusão do ensino médio.

Para além da opção do vestibular, existem outras coisas que você pode fazer depois de concluir o ensino médio. Existem cursos técnicos e cursos de tecnólogos que possuem outros critérios de entrada, assim, você pode concluir a formação em um tempo menor e sair qualificado para o mercado de trabalho. No Brasil, ainda temos opções de concursos públicos e outras possibilidades de emprego para pessoas com o nível médio completo, sem falar nos possíveis trabalhos voluntários e diversas atividades que possam agregar valor à sua vida.

Processo de escolha do curso de graduação
Como falamos acima, se você tem facilidade com alguma coisa, foque nela! Há todo tipo de curso por aí e é importante encontrar algum com o qual você se identifique, afinal serão no mínimo quatro anos pela frente, estudando essa mesma área. E mesmo que durante o curso você esbarre com pessoas que têm as mesmas facilidades que você, lembre-se de que ainda são pessoas diferentes com tempos diferentes e é preciso que você não se compare a elas! Cada pessoa tem o seu tempo e seu desempenho diante das coisas, então tenha paciência com suas particularidades, ok? Mudar de pontos de vista enquanto amadurece é o que faz você crescer, por isso, também é importante valorizar o processo de estudos (tanto para o vestibular quanto na graduação) para alcançar seu objetivo.

A hora da prova
Na hora da prova não é preciso desespero! Tome seu tempo, leia as questões com calma. Se for difícil manter a calma, lembre-se: a pressa é inimiga da perfeição (mas, de qualquer forma, você não precisa ser perfeito). Seja generoso com você mesmo, afinal você deu o seu melhor para chegar até aqui. Se necessário, respire fundo, observe e nomeie os objetos ao seu redor para que você foque no presente. A qualidade do estudo é mais importante do que a quantidade! Confie em você e no processo dos seus estudos, já deu tudo certo, boa sorte na sua prova!

Referências:

Redação: Estefany Felix, Hellen Mayana, Natália Miranda Tassoni, Ana Júlia Machado, Mariana Kruschewsky Franco Ribeiro, Letícia Ribeiro Fróis, Giovanna Pitanga

Blog escrito pelas voluntárias e pelos voluntários do #tmjUNICEF, o programa de voluntariado digital do UNICEF. São adolescentes e jovens de todo o Brasil que participam de formações sobre direitos de crianças e adolescentes, mudanças climáticas, saúde mental e combate às fake news e à desinformação.

Explore os tópicos do nosso blog: