Vidas reais

Vidas reais

 

Água segura garante nossa saúde

unicef mozambique
© UNICEF Mozambique/2013/Alexandre Marques
Belinha de 12 anos tem muitas tarefas a fazer todos os dias, incluindo trabalhos escolares e tarefas domésticas como carregar água em casa todos os dias.

Por Patricia Nakell

Chibuto, GAZA, Março 2013 – Belinha habilmente lida com a bomba de água, empurrando e puxando a alavanca enquanto a água flui para o balde. Ela garante que o recipiente está cheio até o topo, toma um golinho da torneira, levanta o balde para o seu ombro, e depois para a cabeça. Ela então dirige-se para o caminho arenoso em direcção à casa.

Belinha é magrinha com 12 anos de idade e, para tal físico delicado, ela é extraordinariamente forte. Ou talvez todas as garotas de sua idade nesta parte rural de Chibuto na província central de Gaza são capazes de transportar baldes de 20 litros de água em suas cabeças sem esforço.

Esta é uma rotina que realiza todos os dias depois da escola. Ela tem dois irmãos mais novos, e como a filha mais velha, ela é responsável de garantir que há água suficiente em casa, para beber, cozinhar e lavar.

"Antes costumávamos ir para o rio, mas que estava tão longe e levava horas para chegar lá", diz Belinha. "Mas desde que a bomba de água foi construída na escola, tornou-se mais fácil para mim."

A bomba de água está no pátio da Escola Primária Waekane, que dista cerca de 25 quilómetros do centro de Chibuto, longe de qualquer estrada principal ou sistema de abastecimento de água. A bomba fornece água durante todo o ano para os alunos, professores e o resto da comunidade, muito necessária numa área que necessita cronicamente de água de boa qualidade.

Os poços aqui têm que geralmente atingir furos profundos na terra, porque a água de superfície na região tende a ser salgada, e sem acesso ao sistema municipal de abastecimento de água, o poço na Escola Waekane é a única fonte de água potável para a comunidade.

unicef mozambique
© UNICEF Mozambique/2013/Alexandre Marques
"Uma vez que a bomba de água foi construída na escola, tornou-se mais fácil para mim", diz Belinha.

Autoridades com o apoio do UNICEF decidiram recentemente recorrer a uma tecnologia alternativa de adicionar uma segunda fonte de água para a escola, ou seja, a água da chuva. Um sistema de captação como o da escola de Belinha geralmente inclui chapas de zinco no telhado para captar a chuva, e calhas e tubos para desviá-la para um armazenamento e tanque de tratamento no pátio da escola, com uma bomba ligada a ela. A estação chuvosa dura geralmente de Novembro a início de Abril, portanto, durante esses meses, a escola é capaz de fazer uso de um recurso escasso que doutro modo teria sido desperdiçado.

"Os tanques de água da chuva não são suficiente grandes para durar toda a estação seca", diz Mark Henderson, chefe do programa de Água, Saneamento e Higiene do UNICEF", mas a água da chuva ainda é uma boa alternativa, além de colecta de água de rios ou bombas manuais, e usamos esta técnica amplamente nas Escolas Amigas da Criança ".

As Escolas Amigas da Criança, tais como a de Waekane fornecem aos alunos e alunas não só um melhor abastecimento de água, como a captação de chuva e bombas manuais, mas também latrinas separadas para meninos e meninas, incentivando principalmente as meninas a permanecer na escola.

A água potável é uma parte essencial da saúde e sobrevivência da criança em Moçambique. Hoje, um pouco mais de metade das crianças do país têm acesso ao abastecimento de água melhorado e a diarreia continua a ser a causa principal de mortalidade de crianças com menos de 5 anos de idade.

"A água potável garante a boa saúde das nossas crianças, dos professores e do resto da comunidade", diz Cecília Makuakua, professora na Escola Primária Waekane. "Água insegura significa doença."

Comunicado de Imprensa do UNICEF sobre o Dia Mundial da Água

Leia mais sobre Escolas Amigas da Criança

Video: Água segura garante nossa saúde

Para mais informações, favor contactar:

Patricia Nakell, UNICEF Moçambique, tel: (+258) 21 481 100; 
email: pnakell@unicef.org;

Gabriel Pereira, UNICEF Moçambique, tel: (+258) 21 481 100; 
e-mail: gpereira@unicef.org

 

 
Search:

 Email this article

unite for children