Imprensa

Centro de imprensa

Notícias

Comunicados de imprensa

Discursos oficiais

Vídeos

Fotografias

Rede de jornalistas amigos da criança

Dia Internacional da Criança na Rádio e Televisão

Calendário de eventos

Informação prática

Contacte-nos

Galeria de fotos

 

Moçambique elimina o tétano materno e neo-natal

© UNICEF Moçambique/ Naysan Sahba
Mulher em idade fértil é vacinada contra o tétano durante a Semana Nacional de Saúde. Província de Maputo, Novembro 2010.

Maputo, 23 Novembro 2010 – Moçambique aderiu às fileiras dos 19 países que eliminaram o tétano materno e neo-natal desde 2000, segundo uma pesquisa de validação realizada no mês passado em conformidade com as normas da Organização Mundial da Saúde (OMS).

A eliminação do tétano materno e neo-natal é definida como uma incidência de menos de um caso por mil nados vivos em todos os distritos do país.

O estudo de validação com base na comunidade foi realizado pelas autoridades do Ministério da Saúde de Moçambique, com o apoio do UNICEF e da OMS em dois distritos nas regiões sul e central do país onde a incidência do tétano neo-natal e materno é muito elevada. Nenhuma morte por tétano neo-natal foi observada durante o período da pesquisa, confirmando que o tétano materno e neo-natal foram eliminados como problema de saúde pública no país.

Os resultados da pesquisa mostram também que 87 por cento de mães de nados vivos elegíveis haviam recebido pelo menos duas doses da vacina antitetânica, e 64 por cento dos partos foram assistidos por um profissional de saúde qualificado ou agente polivalente elementar capacitado.

"O comprometimento, o trabalho árduo e as parcerias estão dando resultados", disse o Representante do UNICEF Jesper Morch. "Este marco demonstra que o fornecimento de vacinas salva-vidas às comunidades mais pobres e isoladas traz resultados, e nós faremos todos os esforços para sustentar esse progresso."

O tétano materno e neo-natal é uma doença rápida e dolorosa que mata milhares de mães e seus bebés recém-nascidos a cada ano. A doença é o resultado de práticas anti-higiénicas durante o parto, levando à contaminação do cordão umbilical com esporos do tétano quando está sendo cortado ou protegido após o parto.

Para reduzir os riscos, o sistema de saúde em Moçambique complementa os serviços de maternidade de rotina nos centros de saúde com agentes comunitários de saúde e parteiras tradicionais, que são treinadas para encaminhar as gestantes para unidades sanitárias, incluindo a entrega de kits domiciliários para parto para garantir as práticas de limpeza em caso de partos realizados em casa.

Em 1989, a Assembleia Mundial de Saúde lançou o seu primeiro apelo para a eliminação do tétano neo-natal. Em 1999, o apelo foi ampliado para incluir a eliminação do tétano materno também. Naquela época, havia 57 países onde o tétano materno e neo-natal não tinha sido eliminado. O número foi revisto para 58 em 2002 para incluir Timor-Leste.

O objectivo da iniciativa era a eliminação do tétano materno e neo-natal nesses 58 países onde ele ainda constituía um problema de saúde pública em 1999. Em Outubro de 2010, 19 desses países haviam conseguido a eliminação do tétano materno e neo-natal, deixando 39 países que ainda não eliminaram a doença.

Para obter mais informação, favor contactar:

Thierry Delvigne-Jean, Especialista de Comunicação, UNICEF Moçambique
Tel + 258 21 481 100; E-mail: tdelvignejean@unicef.org

Gabriel Pinho Pereira, Oficial de Comunicação, UNICEF Moçambique
Tel + 258 21 481 100; E-mail: gpereira@unicef.org

Para conhecer mais sobre o UNICEF global e o seu trabalho visite: www.unicef.org e em Moçambique visite: www.unicef.org/mozambique

 

 
Search:

 Email this article

unite for children