Imprensa

Centro de imprensa

Notícias

Comunicados de imprensa

Discursos oficiais

Vídeos

Fotografias

Rede de jornalistas amigos da criança

Dia Internacional da Criança na Rádio e Televisão

Calendário de eventos

Informação prática

Contacte-nos

Galeria de fotos

 

Jovem repórter de rádio apresenta a sua escola amiga da criança

© M. Harismendy para o UNICEF
Raissa.

Raissa, uma jovem repórter do programa de rádio de criança para criança apoiado pelo UNICEF, apresenta a sua escola amiga da criança no distrito de Chibuto, província de Gaza.

Moçambique, Agosto de 2010 – Raissa, de 12 anos de idade, é uma jovem repórter de rádio que apresenta, juntamente com outros participantes da sua idade, um programa semanal de rádio de criança para criança na rádio comunitária de Chibuto.

Raissa vive com a sua mãe Aissa e com a sua irmã Mariana, de nove anos de idade. Ela sente muitas saudades dos seus pais desde que estes se mudaram para a África do Sul vários anos atrás, para apoiar a família a partir de lá. Raissa, que está na sétima classe, encara a sua actividade na rádio com bastante seriedade. Na sua mais recente tarefa ela teve de reportar sobre a sua escola, uma escola amiga da criança.

Em países como Moçambique, que tem sido afectado pela pobreza e insegurança alimentar, e onde as comunidades têm estado a sofrer o impacto da SIDA, as escolas amigas da criança promovidas pelo Governo de Moçambique com o apoio do UNICEF tornam-se um ponto de entrada para providenciar serviços básicos para a criança.

As escolas procuram melhorar a qualidade de ensino, e proporcionar um ambiente positivo e saudável para as crianças, através da implementação de um pacote abrangente de intervenções como a formação de professores, acesso à água e saneamento, intervenções de saúde escolar, melhores salas de aula e material escolar. As escolas amigas da criança promovem a educação da rapariga, a tolerância, o empoderamento pessoal e a inclusão – especialmente de crianças vulneráveis ou estigmatizadas.

Nessa manhã, depois de entrevistar alguns dos seus colegas de sala e o Director da Escola Primária Bairro 3, Raissa, munida do seu gravador de voz, entrevista também um dos seus professores. “Professor, o que diz às crianças que não sabem ler ou escrever e que não sabem os seus direitos? “, pergunta Raissa.

© UNICEF Mozambique/T. Delvigne-Jean
Raissa (direita) e outros jovens reporters entrevistam o Director da Escola Primária Bairro 3, Salvador Jacinto Inguanne.

“Bem, é nossa responsabilidade como professores ensiná-los, ensinar a todas as crianças que não sabem ler e que não sabem sobre os seus direitos. Temos de ensiná-las”, responde  o professor Cremildo Alfredo.

Significativos progressos foram já alcançados ao longo das últimas décadas no país no que respeita às taxas de inscrição e frequência no ensino. Hoje, 81 por cento das crianças em idade escolar estão a frequentar a escola primária. Contudo, as escolas estão a enfrentar o desafio apresentado pela necessidade de acolher um número cada vez crescente de crianças que se matriculam a cada ano.

A qualidade de educação é uma das áreas que tem sofrido com o rápido crescimento do número de alunos e, como resultado, a taxa de conclusão escolar continua baixa. Como forma de responder a estes desafios, as escolas amigas da criança têm como foco padrões básicos de qualidade. Hoje, o pacote cobre todas as escolas primárias em sete distritos, beneficiando 750 escolas e cerca de 370 mil crianças.

Na escola Bairro 3, Raissa, entretida com o seu projecto de rádio, ouve atentamente os seus colegas e professores a falar dos progressos alcançados na escola ao longo dos últimos anos.
 
O programa de rádio de criança para criança complementa outras actividades de mobilização social levadas à cabo no âmbito da iniciativa escolas amigas da criança, tal como grupos de teatro e unidades móveis multimédia. O objectivo é simples: assegurar que as comunidades locais compreendam a importância de enviar as suas crianças para a escola.

O programa é a voz das crianças Moçambicanas na media local. Assegura o envolvimento das crianças na concepção, produção e apresentação do programa. O programa também permite que jovens participantes como Raissa possam expressar a sua opinião em assuntos do seu interesse, aprender sobre os seus direitos e partilhar a sua experiência com outras crianças.

Através de uma abordagem de entretenimento e educação, os programas cobrem também assuntos como a violência e abuso de crianças, HIV e SIDA, saúde, educação, protecção ambiental e entretenimento.

O UNICEF começou a apoiar o programa no ano 2000, em parceria com a Rádio Moçambique. A Rádio Moçambique tem actualmente 34 programas de rádio de criança para criança ao longo do país. Cerca de mil e cem crianças estão envolvidas na concepção, produção e apresentação de programas de rádio e de televisão de criança para criança em Moçambique.

Depois de algumas horas de trabalho, Raissa está satisfeita com as entrevistas e está ansiosa por editar o conteúdo na Rádio Comunitária de Chibuto. Ela diz que gostaria de um dia se tornar jornalista e viajar por diferentes países. Mas por agora ela continua a gostar de brincar com as suas bonecas e de estudar para ter boas notas. Ela diz estar feliz com a sua vida na Escola Primária Bairro 3.

 

 
Search:

 Email this article

unite for children