Imprensa

Centro de imprensa

Notícias

Comunicados de imprensa

Discursos oficiais

Vídeos

Fotografias

Rede de jornalistas amigos da criança

Dia Internacional da Criança na Rádio e Televisão

Calendário de eventos

Informação prática

Contacte-nos

Galeria de fotos

 

Providenciando saneamento adequado para melhorar a saúde das comunidades

© UNICEF Mozambique/Emidio Machiana
Teresa Marcelino e seu filho mais velho Germinio, mostram orgulhosos a nova latrina familiar instalada na sua casa pelas autoridades de Quelimane, com apoio do UNICEF e da União Europeia.

Quelimane, Província da Zambézia, Março de 2009 -  É já meio da tarde quando Armando Jorge, arquitecto e assistente técnico do Município de Quelimane, inicia a sua ronda de visitas ao bairro Sampene, na zona peri-urbana da cidade. É um bairro populoso, com muitas famílias vulneráveis, mas cujas condições básicas de vida tendem a melhorar.

Ao longo da estreita estrada de areia por onde caminha, Armando Jorge cruza-se com homens e mulheres transportando água para as suas residências, cartada nos vários fontanários instalados pelas autoridades municipais naquele bairro. Até a bem pouco tempo atrás não era assim. Nessa altura, não havia água potável facilmente disponível para todos ali perto.

Mas desta vez Armando Jorge vinha verificar e assegurar que as famílias estão também a instalar e a usar correctamente as novas latrinas melhoradas, construídas com o apoio das autoridades municipais e parceiros.
 
Ao chegar à primeira residência, que mal se esconde por detrás de pequenos arbustos à berma da estrada, é recebido por Teresa Marcelino e seus dois filhos Germínio, de 19 anos de idade, e Amone, de 14 anos de idade. A família, que já o conhece, de imediato o conduz para as traseiras da pequena habitação, onde lhe é mostrada a latrina recentemente instalada.

“ Já estamos a usar a latrina cá em casa!” anuncia Teresa com orgulho.

Armando Jorge quis então inteira-se como foi o processo de aquisição da latrina, como obtiveram a informação, se tiveram alguma dificuldade para a sua instalação.  

“Não nos custou quase nada!” assegura Teresa. “Ouvimos a informação na rádio e televisão. Entre as pessoas da comunidade só se falava que temos de ter latrinas nas nossas casas para acabar com as doenças. Então fomos ter com o secretário do bairro, que nos indicou como obter uma!” explicou.

Como parte das actividades do programa de água e saneamento do município, são desenvolvidas campanhas de sensibilização com o envolvimento dos media locais, grupos de teatro e líderes das comunidades. Ninguém fica de fora.

© UNICEF Mozambique/Emidio Machiana
Membros da comunidade participam activamente na construção de latrinas familiares de baixo custo em Quelimane.

O papel activo da comunidade é fundamental para a sustentabilidade das infraestruturas do programa. Membros da comunidade são formados e envolvidos na construção, transporte e instalação das latrinas, a muito baixo custo para as famílias. O impacto positivo desta iniciativa já é visível.

“Antes de termos esta latrina sofríamos bastante. Tínhamos de esperar até ao anoitecer para podermos defecar aqui no quintal da casa, ao ar livre, sem ninguém nos ver” recorda Teresa mostrando a parte de trás da casa sem vedação, exposta aos olhares dos vizinhos e de quem quer que por ali passe.

“O pior é que tínhamos de enterrar as fezes aqui mesmo no quintal, o que não era muito higiénico nem poderíamos deixar as crianças brincar aqui. Agora podemos defecar com privacidade a qualquer hora e é fácil limpar.” conclui com satisfação, mostrando como a família foi capaz de adaptar a latrina ao seu gosto, de forma a ser mais confortável sentar e limpar depois de usar.

Quase todos os vizinhos estão agora também a instalar latrinas nas suas casas, constatou Armando Jorge no final da sua ronda.   

Apesar dos consideráveis progressos ao longo dos últimos anos, pouco mais de 45 por cento da população tem acesso ao saneamento adequado em Moçambique. O fraco e desigual acesso ao saneamento adequado é responsável por surtos regulares de cólera e pela prevalência de doenças diarreicas, que estão entre as principais causas dos elevados índices de mortalidade infantil no país.

O programa de expansão de água e saneamento no Município de Quelimane faz parte de uma vasta iniciativa de resposta implementada pelas autoridades nacionais com o apoio do UNICEF e da União Europeia. O objectivo é melhorar o acesso à água potável e infra-estruturas de saneamento nas zonas Urbanas e Peri-Urbanas dos Municípios de Maputo, Beira, Dondo, Quelimane e Mocuba e em quatro distritos nas províncias de Sofala e Zambézia, particularmente afectadas pelo HIV e SIDA e vulneráveis às eclosões de cólera. 

O programa, de quatro anos, irá até 2010 providenciar acesso à fontes sustentáveis de água potável para 150.000 pessoas, acesso à infra-estruturas seguras de saneamento – latrinas familiares – para 25.000 famílias, e acesso à infra-estruturas seguras de saneamento e higiene – latrinas, urinóis e lavatórios – para 120 escolas e 45.000 alunos.

O programa inclui ainda a capacitação das autoridades locais na planificação, gestão e avaliação de actividades sustentáveis de água e saneamento, formação das comunidades na manutenção das infraestruturas de água e saneamento e na promoção de boas práticas de higiene, bem como a criação de clubes de saneamento nas escolas e programas de sensibilização sobre a promoção de higiene nas salas de aula.

 

 
Search:

 Email this article

unite for children