Imprensa

Centro de imprensa

Notícias

Comunicados de imprensa

Discursos oficiais

Vídeos

Fotografias

Rede de jornalistas amigos da criança

Dia Internacional da Criança na Rádio e Televisão

Calendário de eventos

Informação prática

Contacte-nos

Galeria de fotos

 

Mães seropositivas e crianças afectadas pelo HIV e SIDA recebem cuidados e apoio nos PTVs

© UNICEF Moçambique/ Emidio Machiana
Maes seropositivas e seus filhos recebem apoio e cuidados no Centro de Saúde de Xai-Xai. O Centro de Saúde oferece teste de HIV e aconselhamento, serviços de prevenção de transmissão do HIV de mãe para o filho e tratamento antiretroviral.

Xai-Xai, Província de Gaza, Abril de 2008 – Tal como acontece todas as quartas feiras de manhã, Telzira, de 30 anos de idade, veio até ao Centro de Saúde da Cidade de Xai-Xai com a sua filha de 8 meses. Ela trouxe-a à Consulta de Crianças de Risco e veio também para se encontrar com o grupo de mulheres grávidas e mães seropositivas que se reune no Centro de Saúde uma vez por semana. 

Este grupo, orientado por enfermeiras dos serviços de saúde materno-infantil, tem ajudado Telzira a cumprir com o tratamento antiretroviral e a cuidar da sua filha de forma adequada para que sobreviva e tenha um crescimento saudável.  O conforto e apoio recebido de outras mulheres seropositivas tem ajuda Telzira a encarar o futuro com esperança.

“Eu fiz o teste do HIV quando ainda estava grávida. Deu positivo. Comecei então a tomar os medicamentos e assim continuo a viver como uma pessoa normal”, diz Telzira acariciando a sua pequena menina que dorme tranquila no seu colo.

“Gosto de vir aqui porque sou bem recebida e tratada. No grupo falamos das nossas dificuldades, aprendemos como preparar comida nutritiva e recebemos aconselhamento sobre cuidados de saúde”, explica Telzira. 

A promoção de grupos de apoio mútuo e aconselhamento nos centros de saúde é uma das estratégias que as autoridades de saúde têm desenvolvido para estimular as mulheres grávidas seropositivas a aderirem ao programa de prevenção da transmissão do HIV de mãe para o filho (PTV).

Por outro lado, esta estratégia procura também encorajar as mães seropositivas a continuar com o tratamento antiretroviral e a trazerem os seus filhos expostos ou infectados pelo HIV para acompanhamento. Algumas das mulheres no grupo de apoio são treinadas como activistas para mobilizarem as outras na mesma condição.

© UNICEF/MOZA-1638/ G.Pirozzi
Os Grupos de Mães Seropositivas são uma fonte importante de apoio para as mulheres grávidas seropositivas.

“Criamos estes grupos porque notamos que inicialmente muitas das mães seropositivas deixavam de vir com as suas crianças depois do parto, alegando que as suas crianças não estavam doentes” esclarece a Directora de Saúde da Cidade de Xai-Xai, Dra Adalgisa Viola. “Mas agora a situação tende a melhorar. Temos actualmente cerca de 580 crianças filhas de mães seropositivas nas Consultas de Crianças de Risco”.

O UNICEF começou a apoiar o estabelecimento de programas de PTV em unidades sanitárias do país em 2002. Cerca de 386 unidades sanitárias – quase de metade de todas as existentes em todo o país – estavam já a oferecer estes serviços nos finais de 2007, um número que tende a crescer rapidamente.

No centro de Saúde de Xai-Xai, por exemplo, onde o programa de PTV iniciou em Outubro de 2004 com apoio do UNICEF e outros parceiros, todas as enfermeiras ligadas à saúde materno-infantil estão formadas em matérias ligadas ao HIV e SIDA. Assim, como parte das consultas pré-natais de rotina, é também oferecido o aconselhamento e testagem do HIV, serviços de PTV e tratamento antiretroviral para a mãe e criança infectada. 

O programa de PTV inclui actividades de extensão junto das comunidades. Conforme explica Adalgisa Viola, quando os serviços de PTV foram estabelecidos, poucas mulheres aceitavam fazer o teste ou mesmo ir às consultas de seguimento quando testadas serepositivas. Esta situação era particularmente preocupante para as autoridades de saúde da província de Gaza, cuja taxa de seroprevalência estima-se actualmente em 27 por cento, a maior entre todas as províncias do país. 

Como resposta, as autoridade de saúde de Gaza têm estado a envolver as parteiras tradicionais, os praticantes de medicina tradicional e os líderes dos bairros e das comunidades. Estes são capacitados para melhor aconselharem as mães e mulheres grávidas sobre a importância de fazer o teste do HIV, de aderir ao programa de PTV e tratamento antiretroviral caso o teste resulte positivo, e de levar a criança para acompanhamento.  

“Das 3520 que fizeram o teste no ano passado, 913 resultaram positivas, estando todas já no programa de PTV”, indica Adalgisa Viola, mostrando os progressos que estão a ser alcançados com esta intervenção no Centro de Saúde da Cidade de Xai- Xai.  
 
Para além disso, este centro de saúde introduziu recentemente o PCR (Polimerase Chain Reaction), um teste capaz de detectar a presença do vírus do HIV em crianças menores de 18 meses.

“Das 156 crianças já testadas, 132 resultaram seronegativas, como resultado do programa de PTV em curso”, conclui Adalgisa Viola.

Estimava-se em 16 por cento a taxa de seroprevalência em mulheres grávidas em 2007 em Moçambique. A expansão do número de unidades sanitárias fornecendo serviços de PTV, e o envolvimendo das comunidades na sua implementação, é por isso fundamental para reverter o alastramento e o impacto da pandemia no país, particularmente nas mulheres e crianças.

 

 
Search:

 Email this article

unite for children