Imprensa

Centro de imprensa

Notícias

Comunicados de imprensa

Discursos oficiais

Vídeos

Fotografias

Rede de jornalistas amigos da criança

Dia Internacional da Criança na Rádio e Televisão

Calendário de eventos

Informação prática

Contacte-nos

Galeria de fotos

 

Crianças, adolescentes e jovens lideram acções de sensibilização sobre saúde sexual e reprodutiva

© UNICEF Moçambique/E. Machiana
Farida, de 18 anos de idade, desde muito nova está envolvida na apresentação e produção de programas de rádio de criança para criança.

Maputo, 11 Setembro de 2007- Passava já do meio dia quando Nelson Cumbe irrompeu pelo Centro de Saúde do Alto Maé adentro, ainda trajando o seu uniforme de escola secundária, de onde vinha. Tinha estado nas aulas durante toda a manhã. Não fosse o modo apressado com que andava, para não se atrasar, não se distinguiria dos adolescentes e jovens que estavam ali à espera da sua vez de serem atendidos.

Mas Nelson não vinha para consulta ou tratamento. Como parte da sua rotina diária, vinha dar o seu contributo nas actividades do Jovial, um grupo de adolescentes e jovens que providenciam serviços de saúde amigos dos adolescentes e jovens (SAAJ) naquele Centro de Saúde.

Cerca de 58 SAAJs  foram já estabelecidos desde 1998 em Moçambique com o apoio do UNICEF – de um total de mais de 160 em todo o país, em parceria com o FNUAP, instituições do Governo e ONGs. Os SAAJs  oferecem serviços de saúde de baixo custo, acessíveis e confidenciais, especialmente dirigidos a adolescentes e jovens dos 10 aos 24 anos.

“No SAAJ dou aconselhamento aos adolescentes e jovens sobre saúde sexual e reprodutiva”, explicou Nelson.

Estima-se existirem em Moçambique cerca de 99 mil crianças menores de 15 anos vivendo com HIV ou SIDA, e que 8.9 por cento das raparigas dos 15 aos 19 anos e 2.9 por cento dos rapazes da mesma faixa etária sejam seropositivos.

As crianças, os adolescentes e os jovens são a “Janela de Esperança” na resposta à esta doença global. A sua participação na concepção e disseminação de programas de resposta ao HIV e SIDA é crítica, visando assegurar que as intervenções neste domínio tenham significado para elas próprias, que a informação seja comunicada através de canais efectivos, e que as mensagens transmitidas sejam relevantes para o seu dia a dia. A sua participação em programas de desenvolvimento é um direito fundamental.

© UNICEF Moçambique/E. Machiana
Nelson, de 18 anos de idade, é um jovem activista dos Serviços de Saúde Amigos dos Adolescentes e Jovens. Ele dá aconselhamento sobre saúde sexual e reprodutiva.

Tal como Nelson, um número cada vez crescente de crianças, adolescentes e jovens moçambicanos têm vindo a participar de forma activa, usando diferentes meios de comunicação para sensibilizar outros adolescentes e jovens.

Para alem dos SAAJs, por exemplo, o UNICEF tem apoiado os programas de rádio de criança para criança produzidos pela Rádio Moçambique desde Fevereiro de 2000. A Rádio Moçambique tem actualmente cerca de 34 destes programas distribuídos por todas as províncias do país, 23 difundidos em línguas locais e 11 em Português.

Em 2004, o projecto foi levado para a televisão também com o apoio do UNICEF, estando desde então a ser teledifundido o programa televisivo Roda Viva em todas as províncias do país. Em 2005, o Fórum Nacional de Rádios Comunitárias (FORCOM) de Moçambique iniciou o processo de envolvimento nestes programas de comunicação da criança para a criança. Mais de 350 crianças e adolescentes têm estado envolvidas na produção e apresentação destes programas. Mais de 34 mil crianças têm participado activamente em programas ao vivo de rádio e televisão de criança para criança nos distritos em todo o país.

“Um dos papeis fundamentais do nosso programa é educar, informar e divertir as crianças. São programas interactivos onde elas participam. Falamos de vários temas, incluindo muito particularmente a prevenção do HIV e SIDA”, disse Farida Ismael Juma, de 18 anos de idade. Farida é actualmente produtora de programas infantis na Rádio Moçambique, mas desde muito nova tem estado envolvida na preparação e apresentação destes programas.

O teatro comunitário é também um dos meios de comunicação usados por adolescentes e jovens para participarem na promoção da mudança de comportamento na comunidade, particularmente na área da educação da rapariga, género e prevenção do HIV/SIDA. Em Moçambique, esta abordagem tem sido desenvolvida em todo o país pelo Grupo de Teatro do Oprimido, com o apoio do UNICEF.

“Faço teatro na comunidade e nas escolas para divulgação dos direitos das crianças e para sensibilização em assuntos de saúde sexual e reprodutiva. O nosso trabalho como activistas tem grande importância por sermos nós os jovens a abordar outras crianças, adolescentes e jovens”, disse Nilza Gomes de Oliveira Laice, de 18 anos de idade, jovem actriz do Grupo de Teatro do Oprimido.

O UNICEF tem também apoiado a participação de adolescentes e jovens em iniciativas de sensibilização em comunidades remotas, através de unidades móveis multimedia. Estas unidades são compostas por veículos equipados com projector de vídeo, uma tela gigante e rádio, e apetrechados com materiais de informação, educação e comunicação. A unidade móvel inclui também uma tenda que funciona como espaço para aconselhamento e para discussões em grupo sobre a educação da rapariga, HIV e SIDA e saúde sexual e reprodutiva.

“Quando chegamos às comunidades, primeiro mostramos filmes educativos sobre saúde sexual e reprodutiva e depois convidamos as crianças, adolescentes e jovens dos 10 aos 24 anos a entrar na nossa tenda de aconselhamento,” esclarece Marta da Consolata André, de 17 anos de idade, que é activista da unidade móvel da GESOM  baseada no distrito de Gondola, na província de Manica.

“É muito frequente serem os próprios pais a trazerem os filhos para as tendas e convidam-nos a regressar com a unidade móvel mais vezes. Tenho notado, por exemplo, que ultimamente tem havido cada vez menos caso de gravidez precoce entre adolescentes na comunidade,” acrescenta Marta com orgulho.

 

 
Search:

 Email this article

unite for children