Imprensa

Centro de imprensa

Notícias

Comunicados de imprensa

Discursos oficiais

Vídeos

Fotografias

Rede de jornalistas amigos da criança

Dia Internacional da Criança na Rádio e Televisão

Calendário de eventos

Informação prática

Contacte-nos

Galeria de fotos

 

Providenciando serviços de saúde amigos dos adolescentes e jovens

© UNICEF Moçambique/E.Machiana
O grupo Jovial, composto por cerca de 25 jovens até aos 23 anos, ajuda a providenciar serviços de saúde amigos dos adolescentes e jovens em centros de saúde e escolas.

Maputo 1 de Junho de 2007- Como parte da sua visita a Moçambique, uma delegação do Fundo dos Estados Unidos para o UNICEF teve a oportunidade de testemunhar esta semana o empenho dos jovens Moçambicanos na luta contra o HIV/SIDA. No Centro de Saúde do Alto Maé, na cidade de Maputo, os visitantes inteiraram-se do trabalho do Jovial, um grupo de 19 jovens activistas dos serviços de saúde amigos dos adolescentes e jovens (SAAJ).

Ao chegar ao centro de saúde, a delegação foi calorosamente recebida à entrada por alguns representantes deste grupo de jovens, como habitualmente o fazem quando algum adolescente ou jovem se dirige para estes serviços. No interior da sala de atendimento, coloridamente decorada com cartazes, panfletos e mensagens sobre saúde sexual e reprodutiva, um grupo maior de activistas aguardava para falar de si próprios e do impacto positivo da sua actividade. O ambiente da sala convidava para uma conversa franca e aberta.

O grupo Jovial, conforme descreveram os seus membros, compõe-se de rapazes e raparigas até aos 23 anos de idade que se dedicavam a dança e ao teatro, e se uniram para abrir o SAAJ. O primeiro destes serviços foi estabelecido pelo Jovial no Centro de Saúde do Alto Maé em 1999.

“Decidimos envolvermo-nos na criação dos SAAJs para ajudar os jovens, porque muitos jovens têm vergonha de ir aos serviços de saúde onde serão atendidos por pessoas mais velhas. Queríamos alcançar esses jovens e providenciar-lhes assistência e informação sobre saúde sexual e reprodutiva”, disse Célio Boíssa, de 22 anos.

O receio do estigma e da discriminação torna os adolescentes e jovens menos propensos a adoptar estratégias preventivas contra o risco de infecções de transmissão sexual, a fazer o teste de HIV por exemplo, a aderir ao tratamento e a dar a conhecer o seu estado serológico aos seus parceiros sexuais.

O SAAJ, uma iniciativa apoiada pelo UNICEF, oferece serviços de saúde de baixo custo, acessíveis, confidenciais e neutrais, especialmente dirigidos para adolescentes e jovens, dos 9 aos 24 anos de idade.

© UNICEF Moçambique/E.Machiana
O teatro é uma das formas utilizadas pelo grupo Jovial para alcançar e consciencializar adolescentes e jovens em saúde sexual e reprodutiva.

O SAAJ capacita os adolescentes e jovens com habilidades de vida, providenciando aconselhamento em saúde sexual e reprodutiva através de jovens educadores de pares e profissionais de saúde. O aconselhamento abrange várias áreas como a sobre prevenção do HIV/SIDA e outras infecções de transmissão sexual, prevenção de gravidez não desejada e planeamento familiar, habilidades de negociação com o parceiro para prática de sexo seguro, e outros temas.

“As nossas sessões de aconselhamento são individuais ou em grupo, dependendo da opção dos que procuram os nossos serviços. Muitas vezes recebemos grupos de jovens das escolas que preferem uma discussão colectiva das suas preocupações” esclarece Dino Chilenge, de 22 anos, coordenador adjunto do Jovial.

“Geralmente recebemos 20 a 25 adolescentes e jovens por dia. Eles tomam conhecimento da existência do SAAJ através de amigos, dos nossos pontos focais nas escolas, e através das actividades culturais como o teatro que realizamos em vários locais”, acrescentou Dino Chilenge.

Durante a visita da delegação do Fundo dos Estados Unidos para o UNICEF, os membros presentes do Jovial, apresentaram uma das suas peças teatrais sobre habilidades de vida, onde são abordados assuntos como a importância do sexo seguro, do uso do preservativo, do diálogo, do teste voluntário do HIV e do tratamento antiretroviral.

Perante o crescente impacto do HIV/SIDA sobre adolescentes e jovens, um número cada vez maior de SAAJs estão a providenciar também testagem do HIV e tratamento anti-retroviral (TARV). Em 2006, estimava-se que 8.9 por cento das raparigas de 15 a 19 anos e 2.9 por cento dor rapazes na mesma faixa etária em Moçambique, fossem seropositivos. Estimava-se também que 22.6 por cento da mulheres dos 20 aos 24 anos fossem positivas, e que 7.5 por cento dos homens da mesma idade estavam em igual situação no país.

Desde 1998, o UNICEF tem apoiado a implementação de 58 SAAJ’s – 14 dos quais incluem serviços de testagem de HIV – dos 160 existentes no país, em parceria com o Fundo das Nações Unidas para a População (FNUAP), autoridades governamentais e ONG’s em Maputo e províncias de Gaza, Mania, Sofala, Zambézia e Cabo Delgado. Só na Cidade de Maputo existem actualmente 16 destes centros.

Em 2006, mais de 62.000 adolescentes e jovens beneficiaram de serviços providenciados pelos SAAJs apoiados pelo UNICEF.

 

 
Search:

 Email this article

unite for children