Imprensa

Centro de imprensa

Notícias

Comunicados de imprensa

Discursos oficiais

Vídeos

Fotografias

Rede de jornalistas amigos da criança

Dia Internacional da Criança na Rádio e Televisão

Calendário de eventos

Informação prática

Contacte-nos

Galeria de fotos

 

Informação prática

MOÇAMBIQUE

Tempo Local
TMG +2

Electricidade
220V AC 50Hs

Código Telefónico Internacional
+ 258

Documentos de viagem e vistos
As pessoas que desejem viajar para Moçambique devem possuir e viajar com documento de viagem válido sob a forma de passaporte nacional ou um UNLP.

Os vistos devem ser obtidos, de preferência, antes da chegada a Maputo, em qualquer Embaixada ou Consulado de Moçambique. Para viajantes provenientes de países onde Moçambique não possua representação, os vistos serão emitidos à sua chegada a Maputo ao preço de 25 dólares.

Exige-se que o passaporte tenha uma validade de pelo menos seis meses depois da partida prevista de Moçambique, e que tenha pelo menos uma folha em branco para colocar o selo do visto. À saída cobra-se uma taxa de aeroporto de 20 dólares para destinos intercontinentais. O aeroporto dista cerca de 1 km do centro da cidade.
 
Acreditação de jornalistas
Aos jornalistas estrangeiros é exigida uma acreditação dos órgãos de comunicação, devendo o Formulário de Acreditação ser obtido no Gabinete de Informação. Contactar:


Tel:    +258-21490049
Fax:   +258-21492386               
          +258-21490209
Email: gabinfo@zebra.uem.mz
Endereço: Av. Francisco Orlando Munguambe n° 780, 6° andar, Maputo, Moçambique.

Em alguns casos, o UNICEF pode submeter o Formulário de Acreditação em nome dos jornalistas que se desloquem em viagem de imprensa facilitada pelo UNICEF, i.e., se for uma visita previamente organizada e coordenada através da Secção de Comunicação do UNICEF Moçambique. No caso de tais visitas, o UNICEF pode organizar entrevistas e sessões de informação com especialistas-chave sobre questões relacionadas com crianças e com crianças que adequadas para a história pretendida.

Telecomunicações
Moçambique opera com duas empresas provedoras de serviço de telefonia móvel: mCel (+258-82) e VodaCom (+258-84), ambas com uma boa cobertura de rede na província de Maputo e em quase todas as áreas do país, incluindo a província de Sofala. Ambas as empresas têm roaming com mais de 100 países, incluindo os EUA.

Considerações relativas a saúde
As pessoas que viagem para Moçambique e suas regiões rurais podem enfrentar alguns problemas de saúde, que são geralmente similares aos de outros países tropicais. Assim, pode ser necessário tomarem algumas precauções gerais, pelo que se seguem algumas recomendações globais. Caso esteja a tomar alguma medicação, aconselha-se que traga reservas, uma vez que pode ser difícil conseguir medicamentos especiais em Moçambique.

Os viajantes devem consultar o seu médico de família relativamente à necessidade de vacinação e profilaxia contra a malária, e devem garantir que possuem todos os seguros de viagem necessários, incluindo uma provisão sobre evacuação em caso de emergência (este tipo de seguro pode ser adquirido através do nosso agente de viagem, se os viajantes assim o desejarem).

Vacinação
Não é exigida nenhuma vacina específica para entrar no país. Contudo, pode ser recomendada a administração ou actualização das seguintes vacinas antes de vir para Moçambique: contra a Hepatite A e B, febre tifóide, poliomielite e meningite meningo-cócica.

Quimioprofilaxia contra a malária
Existe malária todo o ano, mas o risco de transmissão por mosquito é muito maior na época das chuvas, de Outubro-Novembro a Março. Embora a situação seja considerada grave, a malária pode ser facilmente tratada nas fases iniciais. As medidas preventivas podem ser agrupadas em meios físicos (redes mosquiteiras) e agentes químicos (insecticidas ou repelentes em sprays, loções e sticks) para reduzir ou prevenir as picadas dos mosquitos. O segundo grupo de medidas de prevenção é a quimioprofilaxia, que consiste em tomar medicação anti-malária numa dosagem de subtratamento.

Doenças diarreicas
As doenças diarreicas, incluindo a cólera, são mais frequentes em Moçambique durante a época chuvosa (Outubro-Novembro até fins de Março). Para prevenção, devem respeitar-se precauções simples, como, por exemplo: evitar estritamente o consumo de vegetais crus (saladas, etc.) e qualquer comida caseira vendida na rua, por exemplo alimentos fritos e castanhas. As frutas devem ser consumidas apenas depois de lavadas ou descascadas, e deve usar-se apenas água de garrafa. Os mariscos, como por exemplo camarão e moluscos, representam sempre um certo risco. Tanto quanto possível, os alimentos cozidos devem ser consumidos imediatamente depois de preparados. A lavagem das mãos constitui também uma componente básica de prevenção.

Moeda e pagamento
A moeda de Moçambique é o Metical e a actual taxa de câmbio (Janeiro 2008) é de 1,00 dólar para 23.62 Mt. Além do Metical, tanto o dólar americano como o rand sul-africano são amplamente aceites.

Os cheques de viagem reconhecidos podem ser levantados em Moçambique. Note-se que os custos de transacção por tais levantamentos são elevados.

Os principais cartões de crédito internacionais (VISA, MasterCard e Amex) podem ser usados para pagamento de hotéis, restaurantes e algumas lojas em Maputo e nas principais cidades, mas raramente são aceites noutros locais. Existem ATMs disponíveis em Maputo e nas principais cidades. 

É melhor que se leve dinheiro que possa ser trocado em casas de câmbio privadas em Maputo (a melhores taxas comparativamente aos bancos).

Clima
O variado clima em todo o país é fortemente influenciado pela altitude, proximidade do mar e ventos sul do Oceano Índico. As principais zonas são a zona intertropical, a norte da latitude 20° S, onde as temperaturas variam entre 20 e 36°C, e a zona subtropical do hemisfério sul, a sul da latitude 20° S, onde as temperaturas variam de18 a 31°C.

A estação chuvosa varia de 4 a 8 meses na zona norte, de Novembro-Dezembro a Março-Junho. A zona sul é caracterizada por um sistema anticiclone subtropical e as principais chuvas caem de Outubro a Março. A maior parte do país recebe, em média, mais de 1.000 mm de precipitação por ano, e apenas o vale do Zambeze, Tete e o interior das províncias de Gaza e Inhambane têm menos de 600 mm, ao passo que as áreas montanhosas têm cerca de 2.000 mm de precipitação. As áreas mais secas do país situam-se no interior da província de Gaza.

As temperaturas médias e dias de chuva são apresentados abaixo:

Maputo
Temperatura máxima
Jan.   Abr.  Jul.   Out.
  31     25    23     25

Temperatura mínima
Jan.   Abr.  Jul.   Out.
27    21     18    20

Dias de precipitação
Jan.   Abr.  Jul.   Out.
  14      9      4      12

Beira
Temperatura máxima
Jan.   Abr.  Jul.   Out.
  33     29    25     27

Temperatura mínima
Jan.   Abr.  Jul.   Out.
  29      26   19     23

Dias de precipitação
Jan.   Abr.  Jul.   Out.
  14     9       4      12

Geografia
Moçambique é um país grande que cobre uma área territorial de aproximadamente 80.000 km2. Estende-se na costa oriental de África entre 21°27' e 26°52' de latitude S, e 30°12' e 40°51' de longitude E. O país possui uma das linhas costeiras mais longas de África, com quase 2.500 km.

Moçambique é limitado a norte pela Tanzânia, a ocidente pelo Malawi, Zâmbia, Zimbabwe, e a sul pela República da África do Sul e Suazilândia. É atravessado por nove sistemas de rios, sendo os principais o Rovuma, o Limpopo, o Save e o Zambeze, todos correndo em direcção a leste para desaguar no Oceano Índico.

Existem três divisões geográficas básicas em Moçambique:

  • A faixa costeira e as ilhas, constituídas pela área do baixo Zambeze e o hinterland costeiro, com uma extensão de aproximadamente 100 km e que cobrem cerca de 44% do país; 

  • O planalto central, a ocidente da costa, que se eleva a altitudes de 200-600 metros, e que cobre cerca de 29% do país; e

  • O planalto superior e as regiões de terras altas, com elevações médias de cerca de 1.000 metros, que cobrem os restantes 27% do país.

A vegetação inclui florestas abertas, florestas tropicais e subtropicais densas e savana. Embora grande parte da vida animal tenha sido dizimada durante os anos de conflito, estão a ser empreendidos esforços para reintroduzir muitas espécies no país e conservar as diversas espécies de animais bravios, incluindo espécies de pássaros, recifes e restantes mamíferos de grande porte.

O país está dividido em onze províncias: Maputo, Cidade de Maputo, Gaza, Inhambane, Sofala, Manica, Tete, Zambézia, Nampula, Niassa e Cabo Delgado. Cada uma destas províncias encontra-se, por sua vez, subdividida em distritos.

 

 
Search:

 Email this article

unite for children