Media centre

Media home

Newsline

Press releases

Statements

Information for journalist

Calendar of events

Media contacts

Photo essays

RSS Feeds

 

Rede de Comunicadores Amigos da criança lança website e relatório de cobertura da criança na imprensa

© UNICEF Moçambique/E.Machiana
Membros da Rede de Comunicadores Amigos da Criança reunidos em Maputo no âmbito da conferência constitutiva desta Rede.

Maputo, 22 de Setembro de 2009 – A Rede de Comunicadores Amigos da Criança, lançou hoje em Maputo o seu mais recente relatório analisando a cobertura de assuntos relacionados com a criança na imprensa em Moçambique. Na mesma ocasião, foi também lançado o website desta Rede, que está actualmente disponível ao público através do endereço www.recac.org.mz.

O relatório “A criança na imprensa: uma análise da cobertura jornalística em 2008”, é a mais abrangente e ilustrada análise até ao momento feita por esta Rede, com recomendações específicas na área da saúde e nutrição, educação, protecção e participação da criança.

“A imprensa tem um papel fundamental na advocacia pelo bem estar da criança. Acreditamos que a publicação regular de relatórios de monitoria do desempenho dos media será uma fonte de referência crucial para a melhoria quantitativa e qualitativa da cobertura dos assuntos sobre a criança” disse o Director Executivo do MISA Moçambique, Alfredo Libombo.

Segundo o relatório, dentre os jornais diários observados ao longo de 2008 destacou-se o Notícias com cerca de 64 por cento do total das notícias sobre a criança, seguido do Diário de Moçambique com 31 por cento e de O País com 5 por cento.

No que respeita aos semanários no mesmo período, o jornal Domingo apresentou cerca de 25 por cento do total das notícias sobre a criança, seguido do Savana com 25 por cento, do Magazine Independente com 20 por cento e de O País com 11 por cento até ao momento em que se tornou diário.

Observa o relatório que a “Educação” foi o tema mais abordado pela imprensa no que respeita à criança, reportada em cerca de 40 por cento dos artigos, seguido da “ Protecção contra abuso sexual, violência e tráfico” em cerca de 32 por cento, da “Saúde e Nutrição” em cerca de 15 por cento e da “Participação da criança” em pouco mais de 12 por cento dos artigos.

No entanto, observa o documento que a priorização destes temas não corresponde às maiores privações enfrentadas pelas crianças, dentre as quais está o acesso à água e saneamento, seguido da privação de informação, da educação e logo a seguir da saúde e nutrição.

Observa também o documento que a cidade de Maputo, que em todo o país regista menor percentagem de crianças probres – e por conseguinte onde elas estão menos privadas dos seus direitos –  é a mais reportada sobre a situação da criança, com cerca de 31 por cento das notícias observadas.

Por contraste, províncias como a Zambézia, referida em apenas 4 por cento dos artigos, Sofala, em 22 por cento, Nampula, em 4 por cento, Tete em 3 por cento, e Cabo Delgado e Niassa, em 2 por cento, estão entre os locais menos reportados pela imprensa, sendo algumas das províncias onde se regista o maior indíce de probreza entre as crianças.

Ainda no âmbito da Conferência Constitutiva da Rede de Comunicadores Amigos da Criança, que teve hoje lugar, foi também apresentada a vasta gama de recursos úteis agora disponíveis online no website desta Rede.

“Com o lançamento desta iniciativa, acreditamos estarem estabelecidas as bases para que os profissionais de comunicação possam criar sinergias, unir a sua voz, influência e acção, tornando os media num parceiro chave na promoção e protecção dos direitos da criança no país”, disse Leila Pakkala, Representante do UNICEF. 

O website disponibiliza notícias sobre a criança publicadas nos vários media nacionais, e as mais recentes publicações de referência sobre a situação da criança em Moçambique e no mundo, na área da saúde, educação, protecção e participação, entre outras.

Por outro lado, contém a variada legislação, convenções e tratados internacionais e políticas nacionais adoptadas por Moçambique com respeito à criança. Providencia relatórios de monitoria da cobertura jornalística, guias sobre questões éticas e como melhor reportar sobre a criança, sugestões de pautas, para além de contactos úteis de parceiros trabalhando na área da criança no país.

SOBRE A REDE DE COMUNICADORES AMIGOS DA CRIANÇA
   
A Rede de Comunicadores Amigos da Criança é uma iniciativa lançada pelo MISA-Moçambique em parceria com o UNICEF em 2007, e que conta actualmente com cerca de 300 membros inscritos em todo o país.

Através do estabelecimento desta Rede, pretende-se promover uma melhoria quantitativa e qualitativa das notícias, artigos e reportagens sobre a criança, que a imprensa tenha uma intervenção activa e efectiva na educação, sensibilização, mobilização e advocacia para a realização dos direitos da criança no país.

Como parte das suas actividades, a Rede tem vindo a realizar formações regulares para capacitação de jornalistas, a publicar análises regulares e recomendações para os media sobre a cobertura de assuntos relacionados com a criança.

A Rede tem vindo a produzir materiais de referência para jornalistas e comunicadores, a providenciar apoio para a produção de reportagens de fundo sobre a criança em zonas remotas do país, e a participar em acções de advocacia para a adopção e implementação de políticas e legislação para a criança.

Para mais informação queira contactar:

Célia Claudina Banze, MISA Moçambique,Tel: 82 320 0770; Email: cclaudina30@gmail.com

Augusto de Souza, MISA Moçambique, Tel: 82 320 0770; Email: augustodesousa@ymail.com

Emidio Machiana, UNICEF, Tel: 820305100; Email: emachiana@unicef.org

 

 
Search:

 Email this article

unite for children