Media centre

Media home

Newsline

Press releases

Statements

Information for journalist

Calendar of events

Media contacts

Photo essays

RSS Feeds

 

A União Europeia e o UNICEF juntam esforços para expandir o acesso à água e saneamento em Moçambique.

Maputo, 4 de Agosto de 2006- Dezenas de milhares de crianças e suas famílias na região central de Moçambique irão beneficiar de água potável e saneamento  através de uma nova colaboração entre a União Europeia, o Governo de Moçambique e o UNICEF.

O novo investimento de 5,570,000 euros ajudará a aumentar, a baixo custo, o acesso à água potável e infra-estruturas de saneamento em quatro distritos (Búzi, Nhamatanda, Nicoadala e Milange) e quatro cidades (Beira, Dondo, Quelimane e Mocuba) nas províncias de Sofala e Zambézia.

O programa de quatro anos irá centrar-se nas áreas rurais e peri-urbanas com baixa cobertura de água e saneamento que têm sido mais afectadas pelo HIV/SIDA e são particularmente vulneráveis às eclosões de cólera. 

A participação das autoridades distritais e das comunidades é crucial para o projecto. O objectivo é assegurar uma abordagem comunitária participativa e sustentável, com forte foco na planificação, implementação e monitorização a nível distrital. O programa irá providenciar:

  • Acesso à fontes sustentáveis de água potável para 150.000 pessoas

  • Acesso à infra-estruturas seguras de saneamento (latrinas familiares) para 25.000 famílias (125.000 pessoas)

  • Acesso à infra-estruturas seguras de saneamento e higiene (latrinas, urinóis e lavatórios) para 150 escolas e 45.000 alunos.

Os fundos serão usados para apoiar actividades de capacitação na Direcção Nacional de Águas (DNA) e na Direcção Nacional de Obras Públicas e Habitação (DNOPH) a nível  nacional, provincial, distrital e municipal, no que respeita à planificação, gestão e avaliação de actividades sustentáveis de água e saneamento. Uma componente importante do programa é a formação de centenas de pessoal e autoridades de saneamento, saúde e educação ao nível provincial e distrital, bem como a formação de mecânicos na manutenção de bombas manuais e activistas comunitários e professores para a promoção de boas práticas de higiene. O programa apoia também a criação de clubes de saneamento nas escolas e programas de sensibilização sobre a promoção de higiene na sala de aulas.

Fundos serão alocados  também para a construção e reabilitação de 220 fontes de água, tais como poços, furos e sistemas de colecta de água das chuvas, bem como infra-estruturas de saneamento e higiene nas comunidades e nas escolas, nas regiões com menor cobertura. Para além disso, o projecto apoia a construção de 25.000 latrinas familiares e 240 infra-estruturas de saneamento e higiene amigas da criança nas escolas primárias.

Embora tenha havido um considerável progresso nos últimos anos para providenciar abastecimentos de água e saneamento para Moçambique, somente 40 por cento da população tem acesso à água potável, com uma proporção ligeiramente menor nas zonas urbanas (36 por cento) do que nas zonas rurais (41 por cento). A Direcção Nacional de Águas (DNA) também estima que somente 33 por cento da população tem acesso a saneamento adequado, sem nenhuma diferença entre as áreas urbanas e rurais. As províncias da Zambézia e Sofala tem das mais baixas coberturas de água e saneamento do país e os maiores índices de prevalência do HIV.

Para mais informações, por favor contacte:

Luis Hebrero, União Europeia, Delegação da Comissão Europeia em Moçambique, Telephone: (+258) 21 481 000; luis.hebrero-rodriguez@ec.europa.eu

Thierry Delvigne-Jean, UNICEF Mozambique; Telefone: (+258) 21 481 121; tdelvignejean@unicef.org

 

 
Search:

 Email this article

unite for children