Onde atuamos

Onde atuamos no Brasil

Grandes centros urbanos

Amazônia

Semiárido

Selo UNICEF Município Aprovado

 

Selo UNICEF Município Aprovado

 

Selo UNICEF chega a mais de 600 municípios na Amazônia em 2014.


No Semiárido, mais de mil prefeitos aderiram ao Selo UNICEF Município Aprovado Edição 2013-2016.

 

 

A fim de monitorar e certificar os impactos reais das políticas públicas no âmbito municipal, o UNICEF lançou em 2005 o Selo UNICEF Município Aprovado. A iniciativa de conceder um selo para os municípios que mais avançassem na promoção dos direitos de crianças e adolescentes surgiu em 1999 no escritório do UNICEF para o Ceará e o Rio Grande do Norte. Por meio de uma metodologia que combina capacitação de gestores municipais, melhoria dos mecanismos de gestão local e ampla mobilização social, o UNICEF convocou os municípios do Semiárido e a partir de 2009 também da Amazônia para participar de uma série de atividades voltadas a melhoria da qualidade de vida de crianças, adolescentes e suas famílias.

O Selo UNICEF Município Aprovado é um reconhecimento internacional que o município pode conquistar. A partir de um diagnóstico e de dados levantados pelo UNICEF, os municípios que se inscrevem passam a conhecer melhor sua realidade e as políticas voltadas para infância e adolescência. Com dados concretos e participação popular, o município tem condições de rever suas políticas e repensar estratégias de forma a alcançar os objetivos buscados, que estão relacionados aos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio.

Para participar da iniciativa, o prefeito municipal deve assinar um termo de adesão; garantir o funcionamento do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA), designar uma pessoa de sua equipe para organizar os processos de capacitação e liderar sua cidade para assegurar a prioridade aos direitos da infância. Os municípios são agrupados de acordo com sua realidade socioeconômica e são avaliados a partir de dois eixos: 1) Impacto Social e 2) Ações Estratégicas de Políticas Públicas e de Participação Social.

Impacto Social – Os municípios desenvolverão atividades para alcançar os sete objetivos propostos pelo Selo, que serão monitorados por meio de 13 indicadores de Impacto Social das áreas de saúde, educação, proteção e participação política. Os dados, produzidos por fontes oficiais nacionais, serão coletados pelo UNICEF no início, no meio e no final da edição do Selo, com base nas informações mais recentes disponíveis.

Ações Estratégicas – A melhoria na qualidade de vida de crianças e adolescentes, expressa pelos indicadores de Impacto Social, depende das ações, programas e políticas criadas, implementadas e gerenciadas pelo município. Esse eixo contempla um conjunto de 27 Ações Estratégicas – sendo 19 delas de Políticas Públicas e oito de Participação Social, incluindo três de realização obrigatória: o Núcleo de Cidadania dos Adolescentes (Nuca) e os dois Fóruns Comunitários do Selo UNICEF Município Aprovado.

Em 2007, nos 1.130 municípios inscritos no Selo, 4,2 % das crianças menores de 2 anos de idade estavam desnutridas. Em 2004, esse percentual era de 8,1%. Isso significa que 291 mil crianças ficaram livres da desnutrição. A queda da mortalidade infantil foi três vezes maior do que nos demais municípios brasileiros. De 2004 a 2006, a queda desse indicador foi de 10,7%. Isso significa que quase 1.500 crianças deixaram de morrer no primeiro ano de vida. No mesmo período, a taxa nos demais municípios do País caiu 3,1%. Nos municípios certificados, a queda foi ainda maior: 15,2%. Acesso ao pré-natal melhorou 21,2%. De 2004 a 2006, o percentual de mulheres que realizaram ao menos sete consultas de pré-natal passou de 32% para 38,8%. Enquanto o aumento na cobertura desse serviço nos demais municípios brasileiros foi de 7%. A distorção idade-série melhorou 63%. A qualidade do ensino foi medida pela adequação entre a idade do aluno e a série na qual está matriculado. Esse indicador passou de 47,1% para 17,4%, demonstrando que a distorção idade-série caiu 63% nos municípios participantes do Selo. Observou-se também aumento no acesso ao ensino fundamental. De 2004 para 2007, a taxa líquida de matrícula subiu 15,3% nesses municípios.

Em 2009, a metodologia estendeu-se para quatro anos e chegou à Amazônia Legal Brasileira. Assim, mais nove Estados, signatários da Agenda Criança Amazônia, foram envolvidos: Acre, Amapá. Amazonas, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins.

Para conquistar o Selo UNICEF Município Aprovado, o município aderiu à iniciativa em 2009 com o compromisso do gestor municipal em avançar na garantia dos direitos da criança e do adolescente.

Durante os anos seguintes, participou de atividades de capacitação técnica, recebeu material metodológico e orientação para desenvolver um Plano Municipal de Ação a partir da análise de um conjunto de indicadores de Impacto Social e Gestão de Políticas Públicas. O município também desenvolveu atividades de Participação Social, envolvendo principalmente as crianças e os adolescentes, além de promover fóruns com a comunidade.

Em 2012, o Selo foi conquistado por municípios que melhoraram em, pelo menos, 15 indicadores num total de 33 indicadores dos Eixos de Impacto Social e Gestão de Políticas Públicas, além de ter pontuado em pelo menos três das atividades de Participação Social.

Ao todo, 1.265 municípios do Semiárido e 534 municípios da Amazônia aderiram à iniciativa. Desse grupo, 208 municípios do Semiárido e 121 municípios da Amazônia foram certificados com o Selo UNICEF Município Aprovado Edição 2009-2012.

Saiba quais foram os 401 municípios ganhadores do Selo UNICEF Edição 2009-2012 na Amazônia e no Semiárido.

 

 
unite for children