Onde atuamos

Onde atuamos no Brasil

Grandes centros urbanos

Amazônia

Semiárido

Selo UNICEF Município Aprovado

 

Cultura transforma a vida de adolescente em Pedra Azul

Até o início de 2010, o adolescente de 17 anos Danilo Alves Cardoso Ferreira, do município mineiro de Pedra Azul, considerava-se uma pessoa apática e desinteressada sobre os assuntos do município. As atividades dele restringiam-se basicamente à escola e às festas. No entanto, ao acompanhar o trabalho de outros jovens na Cia de Teatro Arte Vale, Danilo descobriu um sentimento que mudou a sua vida: o amor pela interpretação.

A partir daí, Danilo passou a fazer parte do grupo de atores, formado por mais seis integrantes. Ele conta que o início foi complicado, mas, com o apoio dos outros jovens, conseguiu desenvolver as técnicas de dança e de interpretação. “Antes do grupo, eu acreditava que não podia desenvolver nenhuma função. Eu me sentia incapaz e desmotivado. Com o teatro, percebi que poderia me comunicar pela arte. No palco, posso interpretar quem eu quiser e compartilhar isso com o público. Então, resolvi mostrar para o mundo quem eu era de verdade e qual é o meu potencial”, exclama Danilo, que neste mês de abril comemora um ano de participação na companhia de teatro.

Os jovens atores reúnem-se todos os fins de semanas para ensaiar as apresentações circenses e discutir as peças de teatro que serão interpretadas. Segundo Danilo, não há um diretor para coordenar os trabalhos, mas sim um consenso entre os participantes durante as reuniões. Para ele, os outros seis membros da companhia de teatro transformaram-se em sua segunda família ao criarem uma relação de amizade e cumplicidade, até nos momentos mais inusitados. “Em uma das apresentações, eu deveria jogar uma amiga para cima e segurá-la em meus braços. Porém, ela foi parar no chão. Naquele momento, achei que ela tivesse desmaiado, pois não esboçava nenhuma reação. Quase morri do coração! Depois de alguns segundos, ela se levantou morrendo de rir”, conta Danilo.

Em relação à receptividade do público, o estudante do primeiro ano do ensino médio revela que muitos alunos participam das apresentações da companhia de teatro, porém, é preciso sensibilizar mais adolescentes no município. “Assim como eu fazia anteriormente, alguns jovens preferem frequentar bares ou festas a peças de teatro. Por esse motivo, investimos nas apresentações culturais para torná-las atrativas aos olhos dos adolescentes. A cultura tem o poder de chamar a atenção e motivar os adolescentes e os jovens para que se tornem mais participativos”, ressalta o adolescente.

A participação de Danilo na Cia de Teatro Arte Vale lhe rendeu outra oportunidade: o trabalho na ONG Centro de Defesa dos Direitos da Criança e do Adolescente do Vale do Jequitinhonha (Cededica – Vale). Nesse espaço, o adolescente atua como monitor das oficinas de cantigas de roda, cuja proposta é resgatar as raízes da cultura do Vale do Jequitinhonha. “Quando falamos em cantigas, as pessoas logo pensam naquelas tradicionais. O meu trabalho é apresentar e divulgar as músicas da região para as crianças. Para fazer isso, pesquiso muitas informações na internet e durante o Festivale, festival de cultura popular região”, argumenta.

A atuação de Danilo não se restringe aos palcos e às oficinas da ONG. O adolescente também participa das ações do Selo UNICEF desenvolvidas no seu município. Apoiado pelo articulador municipal, ele mobiliza outros jovens da cidade para que participem ativamente das atividades. “O Selo representa uma oportunidade única. Por esse motivo, temos que nos engajar para melhorar a situação do município. O Fórum Comunitário mostrou o quanto podemos fazer por Pedra Azul se estivermos envolvidos com o projeto”, afirma Danilo.

Para o adolescente, o maior aprendizado adquirido com as apresentações culturais foi a maleabilidade. Ele acredita que será essa característica que o ajudará a conquistar novos objetivos, entre eles, cursar a faculdade de medicina e seguir a carreira militar. Enquanto esses sonhos não se concretizam, Danilo dedica-se à companhia de teatro e à criação de um novo projeto “Circo é festa Só lesado é alegria”, que levará números circenses às cidades próximas à Pedra Azul.

 

 
unite for children