Imprensa

Notícias

Notícias de 2013

Notícias de 2012

Notícias de 2011

Notícias de 2010

Notícias sobre o Haiti

Notícias de 2009

Notícias de 2008

Notícias de 2007

Concurso Adobe Youth Voices Aspire Awards UNICEF Challenge

Concurso infanto-juvenil de vídeos de um minuto

Materiais para radialistas

Dia Internacional da Criança no Rádio e na TV

Discursos do Representante do UNICEF no Brasil

Artigos

Outros discursos

Expresso 227

Contatos

 

Crianças visitam Centro de Treinamento da Seleção Brasileira de Futebol

Ação marca o lançamento de campanha do UNICEF pelo direito ao esporte; crianças convidam os jogadores a participar da campanha

Rio de Janeiro, 5 de junho de 2014 – Trinta crianças e adolescentes, que fazem parte de projetos de organizações parceiras do UNICEF, visitaram hoje os jogadores da Seleção, na Granja Comary, e os convidaram a participar da campanha Podemos ser ainda melhores, pela garantia do direito ao esporte a todos os meninos e meninas.

Após assistir ao treino, as crianças interagiram com os jogadores Neymar, Thiago Silva, Marcelo, Dante, Daniel Alves, entre outros, além de Luiz Felipe Scolari, Carlos Alberto Parreira e Flavio Murtosa, da comissão técnica.

Kauan Ribeiro de Sá, de 10 anos, frequenta o projeto da organização não governamental PROA (Morro dos Prazeres no Rio de Janeiro) e ganhou a camiseta do Neymar. "Eu estava sem camisa para autografar. Aí ele me chamou e meu deu a camiseta dele. Foi emocionante porque ele é meu primeiro ídolo no mundo do futebol. Vou usar na Copa, mas também para jogar futebol. Vai me trazer mais sorte"

Os meninos e meninas são das comunidades do Morro dos Prazeres e do Complexo do Alemão, na cidade do Rio de Janeiro, e do município de São Gonçalo, na região metropolitana do Rio.

João Vitor Mendes dos Santos, 13 anos, do projeto Craques do Amanhã, da organização não governamental CIEDS (São Gonçalo) ganhou a bola Brazuca das mãos do Daniel Alves. “A bola não vai ser só minha, vai ser da nossa turma dos Craques do Amanhã”. João joga futebol desde pequeno e quer ser goleiro. Para ele, toda criança deveria poder praticar esporte. “Essa atividade com a Seleção me deixou ainda mais animado e esperançoso para jogar futebol".

Segundo a Universidade do Futebol, de cada 3.000 crianças que buscam no futebol uma oportunidade, apenas uma (0,03%) consegue passar pela peneira para entrar num Clube de Futebol profissional. E esta ainda pode vir a sofrer exclusão.

Mariane Silva, 13 anos, saiu do evento com nove autógrafos. "Foi inesquecível! Nunca imaginei que poderia estar aqui! Vou guardar a camisa para usar na Copa. Nunca vou lavar". Ela joga futebol no Educap, no Complexo do Alemão (Rio de Janeiro). Os amigos reconhecem que ela é craque. Mariane diz que, na comunidade onde mora, há muito espaço para praticar esporte. "Deveria ser assim para todo mundo. O esporte me ajuda a ter mais saúde e a melhorar na escola".

Ao final, as crianças entregaram uma camisa da campanha, o Manifesto do UNICEF pelo Direito ao Esporte e desenhos feitos por elas com seus desejos de sucesso para a Seleção Brasileira na Copa do Mundo. E receberam em troca bolas e camisas dos jogadores, além de muitos autógrafos.

Podemos ser ainda melhores – A campanha está sendo lançada hoje nas mídias sociais e faz parte da estratégia do UNICEF de utilizar a paixão pelo futebol e os esportes para construir uma cultura de respeito aos direitos de todas as crianças e adolescentes. Por esse motivo, o Fundo também nomeou o coordenador técnico da Seleção Brasileira de Futebol, Carlos Alberto Parreira, como Campeão do UNICEF pelo Direito ao Esporte Seguro e Inclusivo, e tem parcerias com os clubes brasileiros Flamengo e Santos.

Esta iniciativa soma-se à mobilização global para a prevenção da violência contra crianças e adolescentes durante a Copa, lançada no mês passado pelo UNICEF. A mobilização promove o aplicativo “Proteja Brasil” – para smartphones e tablets. O aplicativo mostra quais são as violações que crianças e adolescentes podem estar sujeitos e onde as pessoas podem fazer denúncias caso presenciem algumas dessas violações. 

Criada pro bono para o UNICEF pela agência Ogilvy, a campanha Podemos ser ainda melhores aproveita o contexto da Copa do Mundo para convidar cada país participante dos jogos a uma conquista diferente: a estrela do UNICEF, que representa o compromisso de trazer mais vitórias para a infância. E integra também a iniciativa global #TeamUNICEF, em sintonia com a iniciativa regional (América Latina e Caribe) #VamosJogar.

Direito ao Esporte – No Brasil, o esporte é um direito reconhecido por lei. Entretanto, nem todas as crianças e adolescentes têm acesso a ele. Apenas uma em cada três escolas de ensino fundamental do País possui quadras esportivas, por exemplo. Nas regiões Norte e Nordeste, essa relação é ainda menor: só uma em cada dez escolas tem o equipamento.

Christian Mendes, 12 anos, também faz parte de projeto da PROA e era um dos mais empolgados na visita à Granja Comary. "Achei bem legal! Ganhei a camisa do Willian. Vou usar na Copa." Christian joga futebol desde pequeno na comunidade que mora e quer ser profissional. "A ideia da campanha é muito legal. Lá no morro há quadra e campo, mas em outros locais os jovens não têm nada para praticar esporte. Todos deveriam poder jogar bola, correr, brincar".

“O Brasil tem avançado muito no campo dos direitos da infância, entretanto, na área do esporte, ainda temos desafios que precisam ser superados. O UNICEF acredita que podemos ser ainda melhores, assegurando que todas as crianças e todos os adolescentes possam brincar e praticar esportes em espaços seguros e adequados, com educadores bem preparados, de acordo com sua idade e condição física”, afirma o representante do UNICEF no Brasil, Gary Stahl.

Gary lembra ainda que o esporte contribui com a garantia de outros direitos, como o de aprender e permanecer na escola, de se desenvolver de forma saudável, de crescer sem violência, de contribuir com a superação de conflitos e preconceitos presentes na vida de milhares de meninos e meninas.

Sobre o UNICEF
O UNICEF promove os direitos e o bem-estar de cada criança em tudo o que faz. Juntamente com os nossos parceiros, trabalhamos em 190 países e territórios para transformar esse nosso compromisso em ações concretas que beneficiem todas as crianças, em qualquer parte do mundo, concentrando especialmente os nossos esforços para chegar às crianças mais vulneráveis e excluídas.

Mais informações
Assessoria de Comunicação do UNICEF no Brasil
Alexandre Amorim
Telefones: (+55 61) 3035 1947 e 8166 1636
E-mail: aamorim@unicef.org

Adriana Alvarenga
Telefones (+55 11) 3728 5707 e 98561 1414
E-mail: aalvarenga@unicef.org

Ida Pietricovsky Oliveira
Telefones: (+55 61) 3035 1923 e (+55 91) 8128 9022
E-mail: ipoliveira@unicef.org

 

 
unite for children