Imprensa

Notícias

Notícias de 2013

Notícias de 2012

Notícias de 2011

Notícias de 2010

Notícias sobre o Haiti

Notícias de 2009

Notícias de 2008

Notícias de 2007

Concurso Adobe Youth Voices Aspire Awards UNICEF Challenge

Concurso infanto-juvenil de vídeos de um minuto

Materiais para radialistas

Dia Internacional da Criança no Rádio e na TV

Discursos do Representante do UNICEF no Brasil

Artigos

Outros discursos

Expresso 227

Contatos

 

UNICEF pede US$ 2,2 bilhões para ajudar 59 milhões de crianças em situações de emergência

Quase 40% do maior apelo emergencial já registrado será destinado à Síria e aos países vizinhos que recebem refugiados sírios

Genebra, 21 de fevereiro de 2014 – O Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) lançou hoje um apelo para arrecadar quase U$ 2,2 bilhões para proporcionar, em 2014, assistência humanitária essencial para 85 milhões de pessoas, incluindo 59 milhões de crianças, que enfrentam conflitos, desastres naturais e outras emergências complexas em 50 países.

"Acabo de regressar do Sudão do Sul, o último conflito em grande escala a afetar a vida de milhões de crianças inocentes. Mais de 400 mil crianças e suas famílias foram deslocadas pelo conflito, e mais de 3,2 milhões de pessoas estão precisando de assistência humanitária. A temporada de chuvas está chegando e precisamos estocar suprimentos e reforçar os serviços essenciais. Para tanto, necessitamos de financiamento urgente para evitar uma catástrofe", disse Ted Chaiban, diretor dos Programas de Emergência do UNICEF.

"As crianças do Sudão do Sul unem-se a milhões de outras afetadas pelo conflito na República Centro-Africana e na Síria. Mas, ainda que as manchetes de hoje centrem-se nessas crises complexas e sem recursos, muitas outras situações desesperadoras também exigem financiamento imediato e assistência humanitária urgente. Essas situações incluem Afeganistão, Colômbia, Iêmen, Mianmar, República Democrática do Congo e Somália e outros países refletidos no apelo do UNICEF", disse Chaiban.

O apelo do UNICEF Ação Humanitária para Crianças 2014 destaca os desafios diários enfrentados pelas crianças em crises humanitárias, o apoio necessário para ajudá-las a sobreviver e prosperar e os resultados que são possíveis, mesmo nas circunstâncias mais difíceis.

Para a Síria e os países vizinhos que recebem refugiados sírios, o UNICEF está pedindo US$ 835 milhões para poder prestar assistência vital, incluindo imunização, água e saneamento, educação e proteção, bem como apoiar a coesão social e o fortalecimento da paz necessários para construir um futuro mais sustentável.

"As crianças são sempre o grupo mais vulnerável em emergências, enfrentando um alto risco de violência, exploração, doenças e negligência", disse Chaiban. "Mas, quando o apoio está disponível, podemos mudar a vida das crianças para melhor. Com seus parceiros, o UNICEF está trabalhando para resolver toda uma série de situações humanitárias, incluindo a desnutrição no Sahel; a falta de água potável e saneamento adequado no Iêmen; a cólera no Haiti; o aumento dos ataques a crianças no Afeganistão; e a seca em Angola".

Os recursos conseguidos por meio deste apelo também vão ajudar o UNICEF e seus parceiros no trabalho para fortalecer as capacidades das comunidades para lidar com futuros problemas derivados de conflitos ou desastres naturais, reforçando os sistemas nacionais de preparação e desenvolvimento de resiliência entre as crianças e comunidades.

Contribuições advindas deste apelo do UNICEF permitirão que a organização reforce e amplie o trabalho realizado em 2013, quando foram obtidos, entre outros, os seguintes resultados:

  • 24,5 milhões de crianças vacinadas contra o sarampo;
  • Cerca de 20 milhões de pessoas com acesso a água potável para beber, cozinhar e tomar banho;
  • 2,7 milhões de crianças com acesso à educação melhorada (tanto formal quanto não formal);
  • 1,9 milhão de crianças tratadas por desnutrição aguda grave; e
  • 935 mil crianças com apoio psicológico.

No entanto, devido à escassez de financiamento em alguns países – como Angola, Eritreia, Lesoto e Madagáscar –, ao acesso humanitário inadequado, à insegurança e a um ambiente operacional desafiador, muitas necessidades não foram atendidas.

O UNICEF visa, em particular, à obtenção de recursos que não são destinados a programas ou crises específicas. Esses recursos vão possibilitar que a organização responda a situações de emergência deficitárias ou em áreas onde as necessidades são maiores; aplique soluções inovadoras para situações complexas; e integre a programação de recuperação rápida em caso de emergências de grande porte, muitas das quais afetam vários países simultaneamente.

Acesse o apelo Ação Humanitária para Crianças 2014 na íntegra (em inglês, francês ou espanhol) em: www.unicef.org/appeals

Nota para editores:
Os 50 países e regiões enumerados no apelo Ação Humanitária para Crianças 2014 são destaque por causa da magnitude da crise que enfrentam, da urgência de suas consequências sobre as crianças e mulheres, da complexidade da resposta humanitária e da capacidade de intervenção.

Para mais informações:
Departamento de Comunicação da sede do UNICEF em Nova Iorque
Kent Page
Telefone: 1-212-326-7605
Celular: 1-917-302-1735
E-mail: kpage@unicef.org

Kate Donovan
Telefone: 1-212-326-7452
Celular: 1-917-378-2128
E-mail: kdonovan@unicef.org
 
Assessoria de Comunicação do UNICEF no Brasil.

 

 
unite for children