Imprensa

Notícias

Notícias de 2013

Notícias de 2012

Notícias de 2011

Notícias de 2010

Notícias sobre o Haiti

Notícias de 2009

Notícias de 2008

Notícias de 2007

Concurso Adobe Youth Voices Aspire Awards UNICEF Challenge

Concurso infanto-juvenil de vídeos de um minuto

Materiais para radialistas

Dia Internacional da Criança no Rádio e na TV

Discursos do Representante do UNICEF no Brasil

Artigos

Outros discursos

Expresso 227

Contatos

 

Mais de mil prefeitos aderem ao Selo UNICEF Município Aprovado no Semiárido

Salvador, 28 de janeiro de 2014 – Um total de 1.107 municípios do Semiárido brasileiro aderiu ao Selo UNICEF Município Aprovado Edição 2013-2016. O percentual representa 73% dos municípios de 10 Estados da região, onde vivem cerca de 9 milhões de crianças e adolescentes. Os números demonstram que os prefeitos, responsáveis pela inscrição dos municípios, aceitaram o desafio de melhorar as políticas públicas, promover direitos e reduzir as desigualdades que afetam a infância e a adolescência.

Quase 60% dos participantes da nova edição do Selo são municípios de menor porte e renda, que concentram os mais frágeis indicadores sociais do território. A Bahia tem 195 adesões (65% do total do Semiárido baiano); Ceará, 161 (88% dos municípios do Semiárido cearense); Rio Grande do Norte, 144 (86%); Paraíba, 134 (61%); Piauí, 141 (65%); Pernambuco, 119 (83%); Minas Gerais, 100 (70%); Alagoas, 52 (72%); Sergipe, 36 (73%); e Espírito Santo, 25 (86%).

Em novembro e dezembro de 2013, os lançamentos estaduais da iniciativa mobilizaram mais de 4 mil pessoas, entre governadores, prefeitos, secretários, técnicos estaduais e municipais, representantes de entidades do Sistema de Garantia de Direitos, organizações não governamentais e empresas, lideranças adolescentes e comunicadores. "Quem ganhou o Selo vai querer fazer muito mais para continuar recebendo a certificação nas próximas edições. Quem ainda não recebeu tende a promover ações para atingir as metas necessárias", diz José Queiroz, prefeito de Caruaru (PE), município aprovado em 2012.

Marco Leone, jovem liderança do município de Quijingue/BA, enfatiza a importância de mobilizar os adolescentes no desenvolvimento das ações do Selo ao longo de toda a edição. "No Semiárido, não falta água: sobra desigualdade. Isso machuca, mas faz brotar o desejo de ser protagonista e transformar a região", afirma Leone.

Programa de formação – O UNICEF já iniciou o primeiro de oito ciclos de capacitação que integram o programa de formação voltado para gestores municipais do Semiárido em cinco Estados: Bahia, Ceará, Espírito Santo, Piauí e Rio Grande do Norte. Os encontros reuniram 1.450 representantes de 542 municípios, entre articuladores do Selo, indicados pelos prefeitos para coordenar a iniciativa nos municípios, e conselheiros de direitos. Nos outros cinco Estados do Semiárido, o primeiro ciclo acontecerá em fevereiro e março de 2014.

No primeiro encontro, os gestores conhecem detalhes da metodologia e recebem material de apoio e orientação ao trabalho a ser desenvolvido nos próximos 30 meses. "Os técnicos municipais retornam aos seus municípios com a tarefa de articular a criação da Comissão Intersetorial pelos Direitos da Infância e Adolescência, que apoiará a gestão das ações locais pelo alcance dos objetivos do Selo e a redução das desigualdades sociais", explica Rui Aguiar, coordenador em exercício do UNICEF na Plataforma do Semiárido.

Simplificação da metodologia – As ações estratégicas de políticas públicas e participação social propostas pelo UNICEF, uma das novidades desta edição, tiveram boa aceitação entre os gestores municipais. "Com as ações estratégicas, podemos fortalecer políticas públicas estaduais e federais e também apostar nas particularidades e soluções encontradas pelo próprio município", afirma Mirna Moraes de Aguiar, articuladora do Selo UNICEF de Cariré (CE).

Experiências municipais – Para Carmen Soares de Sousa, articuladora de Sobral, município certificado nas seis edições do Selo no Ceará, a iniciativa contribui para que o município avance continuamente. "O UNICEF e o Selo não permitem que as novas gestões desfaçam conquistas sedimentadas ao longo das edições. Zelamos por elas como patrimônio imaterial do município. Exemplo disso é o Trevo de Quatro Folhas, uma política municipal voltada para a redução da mortalidade materna e infantil que já é uma referência nacional", celebra.

Clarice Santos, articuladora de Serra Dourada (BA), destaca a importância de os municípios se fortalecerem com a experiência: "Não fomos aprovados na primeira edição, mas viramos o jogo e recebemos o Selo em 2008 e 2012. Buscamos conhecimento para fortalecer as políticas públicas e melhorar a vida das crianças, adolescentes e famílias. Hoje, a prefeitura tem outro olhar sobre a infância e a adolescência. Aprendemos uma lição: não desistir nunca. A minha expectativa é conquistar o Selo também em 2016", diz.

Selo UNICEF Município Aprovado
O Selo UNICEF busca universalizar direitos e melhorar a vida de 23 milhões de crianças e adolescentes do Semiárido e da Amazônia Legal Brasileira, fortalecer a gestão municipal e reduzir desigualdades sociais no País. A metodologia é implementada em 10 Estados do Semiárido em parceria com organizações não governamentais e com o apoio da Petrobras, Fundação Telefônica, Coelce e Cemar.

Para mais informações
Assessoria de Comunicação do UNICEF
Andréia Neri
Telefone: (71) 3183 5701
E-mail: aneri@unicef.org

 

 
unite for children