Imprensa

Notícias

Notícias de 2013

Notícias de 2012

Notícias de 2011

Notícias de 2010

Notícias sobre o Haiti

Notícias de 2009

Notícias de 2008

Notícias de 2007

Concurso Adobe Youth Voices Aspire Awards UNICEF Challenge

Concurso infanto-juvenil de vídeos de um minuto

Materiais para radialistas

Dia Internacional da Criança no Rádio e na TV

Discursos do Representante do UNICEF no Brasil

Artigos

Outros discursos

Expresso 227

Contatos

 

No Dia Universal da Criança, a violência e o abuso velados devem estar no foco das atenções, afirma o UNICEF

Nova Iorque, 20 de novembro de 2013 – Enquanto o planeta celebra o Dia Universal da Criança – no aniversário da Convenção sobre os Direitos da Criança –, o UNICEF reforça o seu apelo para que uma luz muito mais forte seja lançada aos milhões de crianças em cada país e em cada nível da sociedade que são vítimas da violência e do abuso, que continuam acontecendo de modo não noticiado e não denunciado.

“Muito frequentemente, os abusos acontecem de maneira velada: eles não são detectados, não são denunciados, e – o que é pior –, muito frequentemente, são aceitos”, afirmou o diretor executivo do UNICEF, Anthony Lake. “Todos nós temos a responsabilidade de ‘tornar o invisível, visível’ – desde os governos, que promulgam e garantem o cumprimento das leis que proíbem a violência contra as crianças, até os cidadãos individuais, que devem se recusar a permanecer em silêncio ao testemunhar ou suspeitar da ocorrência de abusos”.

A violência contra as crianças acontece de muitas formas, incluindo a violência doméstica, a agressão sexual e as práticas disciplinares excessivamente rígidas, e com frequência ela está presente em situações de guerra e conflito. Ela pode infligir danos tanto físicos quanto psicológicos sobre as crianças.

“A violência contra as crianças vai além dos malefícios causados às crianças de modo individual; ela mina o próprio tecido da sociedade, afetando a produtividade, o bem-estar e a prosperidade”, disse Lake. “Nenhuma sociedade pode se permitir ignorar a violência contra as crianças”.

Existem abordagens que funcionam no sentido de prevenir e responder à violência contra as crianças. Elas incluem o apoio aos pais, às famílias e outras pessoas que cuidam de crianças; o fortalecimento das habilidades das crianças, auxiliando-as em se proteger contra a violência; a atuação explícita para mudar atitudes e normas sociais que toleram a violência e a discriminação; e o reforço na garantia das políticas e leis que protegem as crianças.

No início deste semestre, o UNICEF lançou a campanha “Fim da Violência contra Crianças e Adolescentes”, que conclama o público ao reconhecimento do problema da violência contra as crianças, e encoraja o apoio e o engajamento nos movimentos locais para enfrentar essa questão global de grande importância.

O Dia Universal da Criança também celebra a aprovação da Convenção sobre os Direitos da Criança, que neste ano comemora o seu 24º aniversário. Adotada em 1989, tornou-se a primeira convenção internacional de caráter vinculante que afirmou os direitos humanos de todas as crianças. Ela especifica que cada criança, em qualquer lugar, tem o direito a sobreviver, crescer e ser protegida contra todas as formas de violência.

O UNICEF também está reconhecendo hoje o importante trabalho da Linha Direta Internacional de Auxílio à Infância (CHI), uma rede global que inclui as linhas diretas de 173 membros em 141 países, e que hoje comemora o seu 10º aniversário. Em um comunicado global emitido hoje, a CHI afirma que a violência, o abuso e a negligência estão entre as principais razões pelas quais as crianças e os jovens ligam para as linhas diretas, chegando a 17% de todos os contatos realizados ao longo desses 10 anos.

 

 

 
unite for children